Como dar e receber feedbacks sem constrangimento

Dentro das organizações e empresas, o feedback se destaca como uma das ferramentas mais poderosas no desenvolvimento das qualidades de indivíduos e equipes. Ao avaliarmos os pontos que podemos melhorar e os erros que cometemos, ficamos diante de uma informação muito valiosa sobre o nosso desempenho profissional: os fatos que retratam nossa experiência.

Dar e receber feedbacks é essencial para que essa dinâmica possa existir, estimulando todos os envolvidos a buscar constantemente as melhorias necessárias para desenvolver com excelência cada trabalho proposto. Deve-se evitar, entretanto, cometer os erros que levem o feedback ao nível em que quem dá ou recebe fixe apenas no erro que está sendo apontado. Aprenda a superar isso!

Veja agora como dar e receber feedbacks sem constrangimento:

O feedback é uma crítica construtiva

Esse é o primeiro passo para que você entenda o sentido do feedback nas relações profissionais. Sendo ele uma crítica construtiva, prepare-se para tratá-lo dessa maneira.

Durante o processo, todos os pontos que podem ser melhorados devem ser listados de maneira clara, assim como o caminho necessário para superá-los. Quem dá o feedback precisa ter o cuidado com a forma que fará isso, e quem recebe precisa encará-lo como uma oportunidade de melhoria, agradecendo por cada orientação dada.

Ataque versus defesa

Dar e receber feedbacks não é como uma zona de guerra. O encontro que dá origem a ele não conta com vilões ou mocinhos, bandidos ou vítimas. As diferenças, independentemente de quais forem, devem ser deixadas de lado.

Quem recebe o feedback precisa adotar uma postura aberta e receptiva, pois somente assim será possível assimilar as ideias e opiniões que serão apresentadas nesse encontro.

A necessidade de se preparar com antecedência

A reunião de feedback necessita que ambas as partes se preparem com antecedência. Quem vai transmiti-lo precisa estar com todas as informações e orientações em mãos, assim como quem vai recebê-lo, pois pode corrigir algum dado incorreto ou explicar melhor determinada situação.

Escute com atenção tudo o que for dito

Durante a fala de quem está dando o feedback, ouça com atenção todos os pontos. Não deixe que os ânimos se alterem e nem procure margens para interpretações, interrupções e justificativas. Apenas ouça! Dessa forma, você conseguirá absorver melhor a mensagem que a outra parte está transmitindo.

Você também pode anotar o que está sendo dito, pois isso ajuda na memorização de todas as informações.

Você compreendeu tudo o que foi levantado?

Caso seja necessário, apresente seu resumo com tudo o que foi dito durante o processo. As dúvidas precisam ser esclarecidas, principalmente para ajudar na compreensão de alguns fatos levantados — quem deu o feedback pode ter passado uma mensagem não muito clara.

Prepare-se para refletir e colocar tudo em prática

Quem recebe o feedback tem todo o direito de avaliar a qualidade das informações recebidas. É nesse momento que deve haver a reflexão. Caso ela leve ao questionamento sobre o que foi dito, pode-se criar um espaço para uma segunda opinião.

Caso o feedback seja compreendido como útil, cabe a quem recebeu a atitude para colocar tudo em prática. Quando a mensagem acrescenta valor ao crescimento profissional, motiva o colaborador a incorporá-la visando a melhoria de seu desempenho.

A importância do follow-up

As partes envolvidas no feedback devem nutrir uma relação duradoura após o feedback, pois esse tempo seguinte servirá para dividir expectativas e acompanhar a evolução do que foi conversado na reunião. Esse processo, chamado de follow-up, é importante para que as orientações dadas sejam cumpridas com o máximo de eficiência.

Dar e receber feedbacks é fundamental para uma gestão eficiente de pessoas, pois é dessa forma que todos aprendem com os próprios erros e buscam uma melhoria constante em suas carreiras profissionais.

Quer aprimorar ainda mais sua gestão? Leia nosso artigo e veja como definir metas que não sufocam seus funcionários!

Por que é importante dar valor ao intercâmbio no currículo?

Encontrar o emprego ideal é o sonho de muitos profissionais que, dentro ou fora do mercado de trabalho, tornam suas rotinas adaptadas às qualificações para que o currículo seja tão atraente quanto gostariam. Porém, é justamente por isso que o intercâmbio no currículo é um dos itens mais interessantes.

Isso porque a experiência profissional torna qualquer indivíduo adaptado às diferentes realidades do mundo, o que faz com que os olhos do mercado de trabalho se direcionem a ele com o seguinte questionamento: uma experiência internacional o torna atraente, mas como ele apresentará isso para mim?

Se estes questionamentos fazem parte do seu dia a dia, você está no lugar certo.

A escolha do profissional ideal e a certeza da contratação

Escolher um profissional que teve experiência de intercâmbio é uma tarefa árdua, pois são diversos aspectos da vivência de cada um que serão interessantes — ou não — para a empresa.

De início, qual foi o destino escolhido? Algumas cidades são notoriamente conhecidas pela farra que proporcionam aos visitantes. Quanto tempo de curso? Se a escolha foi de apenas um mês, porque estava de férias, qual foi a carga horária adotada?

Um dos quesitos mais importantes a ser avaliado, além do idioma em si, é a motivação que levou aquela pessoa a fazer um intercâmbio. Muitos vão dizer que foi por questão profissional, pois precisava aprimorar o inglês, mas é justamente como o candidato demonstra isso que fará toda a diferença.

O intercâmbio no currículo torna alguém mais interessante

O valor que o candidato pagou em seu intercâmbio nem sempre é o proporcional à qualidade que ele apresenta ao mercado de trabalho. Isso é visível ao avaliar candidatos que ficaram meses fora e os que puderam permanecer apenas algumas semanas.

Isso porque o valor que o candidato terá para a organização é o mesmo que ele adotou ao considerar seu intercâmbio algo representativo. É a diferença entre encontrar um candidato capacitado e um acima das expectativas.

A diferença entre status e qualidade profissional

Ao adotar uma postura mais generalista na gestão de pessoas, é necessário averiguar não só a procedência intencional do candidato ao dissertar sobre seu intercâmbio, mas também quesitos como o planejamento estratégico junto ao departamento de Recursos Humanos.

Além disso, ao conseguir escolher um profissional gabaritado, qual será a postura da empresa para evitar a evasão em decorrência de pacotes remunerativos mais atrativos? Quais são as políticas de remuneração e, sobretudo, de reconhecimento profissional que a empresa tem?

O momento da entrevista é delicado e pede segurança no discurso, pois representar a empresa nesta troca de informações é algo acima do comum. É exigido como o momento de grande foco para decidir sobre o futuro de ambos os lados — empresa e candidato.

Para a empresa que busca profissionais reciclados pela experiência internacional, é necessário compreender muito bem o enquadramento no qual ele está: uma posição de negociação um pouco mais vantajosa.

E aí? Gostou desse conteúdo? Veja, então, como desenvolver melhor os profissionais da sua empresa, clicando aqui.

3 motivos para adotar a meditação no ambiente de trabalho

Em tempos de muita informação, tomadas de decisão rápidas e bastante estresse, um recurso vem sendo implementado por algumas empresas como Google, Mead Johnson e eBay, para ajudar a combater essas condições de trabalho. A meditação corporativa está ganhando espaço entre as grandes corporações como um modo de aumentar a produtividade e tranquilizar os pensamentos dos funcionários. Duas técnicas têm se destacado, a Mindfulness e a Meditação Transcendental.

Ambas são realizadas em ambientes silenciosos e com pouca luz, mas uma incentiva o indivíduo a se concentrar na respiração e a outra em mentalizar repetitivamente um mantra.

Quer saber um pouco mais sobre os benefícios que essas práticas podem trazer para o ambiente do seu negócio? Confira:

Aumento do foco e concentração

Meditar regularmente por alguns minutos no dia ou até mesmo uma vez na semana, concentrado em apenas uma coisa, exercita o cérebro e o acostuma com essa atividade. Assim, quem a pratica pode desenvolver a habilidade de prestar mais atenção no momento presente e isso será vantajoso na hora de tomar decisões, ter ideias e executar tarefas. A revista EXAME publicou um artigo onde foi citado um estudo realizado por neurocientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade Harvard, nos Estados Unidos. Nele, alguns voluntários participaram de um programa de oito semanas com 45 minutos de meditação por dia e foi revelado um aumento da capacidade de controle de uma onda cerebral ativada por informações que geram distração e dissipam a atenção.

Aumento da produtividade

Tendo mais foco e concentração, consequentemente um funcionário pode se dedicar melhor a sua função. Além disso, segundo o psicólogo Armando Ribeiro, especializado em Mindfulness, a gente passa a maioria do tempo tendo muitos pensamentos sobre o passado e o futuro. Ao combater esse comportamento, fica mais fácil viver o momento presente e consequentemente realizar as tarefas mais imediatas. A criatividade é outra beneficiada nessa prática. Quando limpamos a mente do excesso de pensamentos, da rigidez e das inibições é mais simples focar nas conexões relacionadas às ideias que precisamos ter.

Alívio do Estresse

Infelizmente, o estresse é uma condição que quase todo mundo enfrenta diariamente. Técnicas de meditação contribuem muito para a redução dele. Elas podem ensinar os funcionários a manter suas emoções no controle e regular as respostas instintivas que fazem com que experimentamos essas sensações chatas. É uma boa para um possível programa de bem-estar na sua empresa.

5 aplicativos para se organizar em vários âmbitos da sua vida

Ter um cargo de liderança é uma ocupação trabalhosa e que exige bastante organização. Além das responsabilidades na empresa com o negócio e os funcionários, é necessário tirar um tempo para a família, os amigos, a saúde, o lazer e os relacionamentos. Precisa de uma mãozinha para conciliar suas tarefas e não se esquecer de nada? Confira alguns aplicativos que facilitam muito na hora de estruturar seus afazeres:

 

Para Lembretes: Any.Do

 

O Any.do é um aplicativo para gerenciar tarefas bastante intuitivo de mexer. Você registra seus afazeres e ele te ajuda a lembrar. Além disso é possível também compartilhar com outras pessoas as tarefas. Organize os horários de cada atividade e tenha lembretes.

 

Para fazer listas e organizar notas: Google Keep

 

O Google Keep é um app para criar anotações. As notas podem ser colaborativas e é possível adicionar áudios e fotos para complementar os textos.  Elas podem ser organizadas por cores e ter o formato de lista também, com quadradinhos para fazer checklist. O que for registrado pode ser sincronizado em todos aparelhos logados com sua conta Google, ou seja, existe a opção de acessar de qualquer lugar.

 

Para finanças: GuiaBolso

 

O GuiaBolso vai te ajudar no controle financeiro pessoal. Ele é bom para evitar gastos desnecessários e organizar metas para economizar. Você pode categorizar suas despesas e até fazer gráficos de desempenho. Além disso, é possível fazer um cadastro do CPF para conferir a situação dele e também conectar com suas contas no banco.

 

Para reuniões: Google Agenda

 

O Google Agenda é uma ferramenta ligada à sua conta no Google. Ela organiza compromissos e você pode compartilhar o “evento” com os outros envolvidos. As atividades podem ser lembradas por e-mail e acessadas através de todos dispositivos conectados com sua conta Google.

 

Para beber mais água: Hydro

 

Nessa correria a gente mal lembra de beber água. O app Hydro vai te ajudar a consumir a quantidade de líquido que seu corpo precisa. Eles possuem um tipo de  calculadora  para avaliar e sugerir o quanto de água será necessário e você terá objetivos para bater no seu dia a dia. Os lembretes te ajudarão nessa tarefa.

Como manter a Criatividade e a Inovação dentro da minha empresa?

Atualmente, para ser concorrente de algum negócio não existem limites geográficos e o mercado passa por uma grande instabilidade financeira. Neste cenário é bastante importante uma empresa se manter inovadora dentro do seu segmento. Para ter inovação é preciso criatividade e, para que essa habilidade seja desenvolvida, é essencial que os líderes de uma organização influenciem  suas equipes a alimentá-la.

 

Para fins empresariais, temos os conceitos definidos mais ou menos assim:

 

Criatividade: Habilidade de ter ideias diferentes do comum.

Inovação: Solucionar problemas que ainda não foram resolvidos de maneiras criativas.

 

Logo, criatividade e inovação não são a mesma coisa, mas precisam andar juntas para funcionar no seu negócio. Procure ser uma pessoa criativa e, assim, auxiliar que essa característica se torne comum em todo o ambiente corporativo.

 

Como ser uma pessoa criativa

 

Criatividade não é um dom divino dos deuses e por isso é bem possível cultivá-la. Ela é nada mais que a conexão de coisas que já existem no seu cérebro para formar uma ideia nova. Então, qual é o segredo? Essas informações são chamadas de referências. As referências são construídas a partir de todas as vivências que temos, como livros lidos, filmes vistos, exposições visitadas, produtos consumidos, blogs acessados, lugares conhecidos, culturas vivenciadas etc. Quanto mais abertura a novas experiências, melhor para aumentar seu repertório.

 

Incentivar a criatividade e inovação no clima organizacional

 

Para que um funcionário seja criativo é necessário que ele tenha espaço para isso. Assim, a empresa precisa incentivar que seus colaboradores deem ideias e questionem processos para sugerir novas soluções. Um líder autoritário e fechado para o novo pode bloquear o fluxo criativo. Não é permitido achar a ideia do outro tola, para que assim a pessoa possa ter a coragem de tentar mais vezes. Outro ponto interessante é realizar atividades entre equipes de áreas diferentes para haver troca de conhecimento. Treinamentos sobre criatividade e inovação também são bem-vindos.

 

Colocando na prática

 

Ao modo que os funcionários forem se acostumando com o cotidiano de trabalho criativo, melhores ideias podem surgir e serem aproveitadas. Procure escolher algumas para serem testadas. Quem sabe não podem virar soluções concretas e eficazes? É um modo de criar colaboradores participativos e que vão ajudar a empresa a crescer.

 

21 ferramentas gratuitas para Gestão de Pessoas

Aqui no blog da AIESEC trazemos sempre dicas para de Gestão de Pessoas, com informações que abrangem diversas funções do escopo de trabalho do profissional dessa área. Por isso, elaboramos um material especial para você com 21 ferramentas gratuitas que podem ajudar você em diversas fases do escopo de seu trabalho.

Todo profissional de Gestão de Pessoas está em busca da melhoria contínua de sua equipe. Seja por meio de ações e desenvolvimento de estratégias que avaliem o time, ou mesmo através de uma seleção que busque trazer profissionais alinhados com os objetivos da empresa.

Nesse guia pensamos justamente em centralizar algumas ferramentas simples que facilitam sua rotina profissional nas áreas de:

  • Produtividade e Organização
  • Recrutamento e Seleção
  • Clima Organizacional
  • Coaching
  • 5S
  • Redes Sociais
  • Testes comportamentais

Aproveite a leitura!

rodapé-21-ferramentas

Saiba como usar o Linkedin a favor do seu negócio

Durante anos o Linkedin foi visto apenas como uma plataforma para postagem de currículos online e procura de empregos. Mas ao contrário do que muita gente imagina, o LinkedIn não é voltado apenas para a área de RH.  A ferramenta é usada também como estratégia de marketing proporcionando a expansão de diversos tipos de negócios. Com mais de uma década de existência, a rede já possuí mais de 200 milhões de usuários registrados, de mais 200 países diferentes. Destes números, três milhões são páginas de empresas.

Além disso, o LinkedIn é também um amplo canal de networking, pois possibilita o contato com diversas pessoas diferentes, de ramos distintos, que buscam a troca de informações voltadas ao desenvolvimento do seu trabalho. São razões de sobra para a sua empresa não perder nem mais um minuto fora dessa rede. Por isso, se você ainda não aproveita as suas vantagens, confira agora 10 formas de usar o LinkedIn a favor do seu negócio.

1)      Saiba a diferença entre perfil e página para criar o canal ideal para sua empresa

Quando decidir ingressar uma empresa no Linkedin, é muito importante saber a diferença estratégica entre Perfil e página. Por isso, a dica é criar primeiro o perfil pessoal e, a partir dele, a página da empresa. Esse é o primeiro passo para marcar presença no LinkedIn: criar uma página (Company Page) para a sua empresa.

2)      Seja assertivo e preencha corretamente os dados sobre o seu negócio

Inclua uma imagem de capa de destaque e que seja atraente no topo da página e preencha corretamente as informações da sua empresa. Neste momento, certifique-se de dizer exatamente o que a empresa faz, quem são os seus clientes e como pode ajudá-los.

3)       Promova  interação

Criada a sua “Company Page”, convide os seus clientes, parceiros, família e amigos para serem seus “seguidores” no LinkedIn. Aproveite para convidar os contatos que você possui em outras redes, como Twitter e Facebook e chame as pessoas para visitarem sua página e passarem a segui-la. Outra opção é aproveitar o envio de umEmail Marketing para sua base de contatos, incluindo um breve texto convidando o leitor a visitá-la.

4)      Seja relevante no conteúdo compartilhado

Com a sua rede de contatos formada, tenha o cuidado de partilhar no LinkedIn informações interessantes e que sejam capazes de levar aos seus contatos profissionais a interagirem consigo. Assim como nas redes sociais, a regra aqui é a mesma: para conquistar seguidores e proporcionar resultados positivos à empresa, é importante compartilhar conteúdos relevantes ao seu público alvo. Uma ótima forma de fazer isso, é promover o debate sobre as notícias mais recentes e relevantes sobre o seu negócio. Faça perguntas e incentive diálogo com os seus seguidores online. Além de gerar tráfego qualificado para seu endereço, você vai poder acompanhar a aceitação do conteúdo por meio de métricas como impressões, curtidas, compartilhamentos e comentários. Essas mesmas métricas vão ajudar você a entender o que funciona melhor com seus seguidores e onde é possível melhorar.

5)       Transforme seus cliques em vendas

O principal objetivo da sua página empresarial no LinkedIn é transformar os seus seguidores em clientes e os cliques em vendas. Para isso, aposte em publicações que incluam um ‘call to action’, ou seja, em vez de se limitar a partilhar apenas os links para o site ou blog da sua empresa, incentive os seus seguidores a agirem e clicarem.

6)       Crie e participe em grupos

Ao entrar no LinkedIn, não adote uma atitude passiva. Criar e gerir grupos dentro da rede social não só dará credibilidade ao seu negócio, mas também lhe permitirá expandir a sua rede de contatos e chegar a profissionais especializados e influentes. Como ponto de partida para os grupos, defina dois ou três dos tópicos de maior interesse na sua área de negócio.

7)       Encoraje os seus colaboradores a terem perfil no Linkedin

Trabalhadores motivados são sempre uma vantagem para o seu negócio. Uma forma eficaz de aumentar o número de seguidores do seu negócio no LinkedIn, passa por encorajar os seus colaboradores e funcionários a criar perfis e a partilhar a página da empresa onde trabalham. Assim, você conseguirá angariar mais público através das redes de todos os que trabalham consigo.

8)       Faça o perfil do seu negócio destacar-se nas pesquisas

Está comprovado que centenas de milhões de pessoas usam o LinkedIn para pesquisar produtos e serviços, por isso é importante que o perfil da sua empresa se sobressaia no gigante universo de marcas presentes na rede social. Inclua palavras-chave estratégicas relacionadas com o seu negócio para facilitar a pesquisa.

9)       Consiga recomendações da sua rede de contatos

Mais do que promover em massa a qualidade dos seus produtos no LinkedIn, o ideal é que os seus clientes deixem testemunhos pessoais na página da empresa ou recomendem outros a optar pelo seu negócio. Nunca peça recomendações aos seus seguidores. Recomende outros e espere que façam o mesmo por si, ou então escreva mensagens personalizadas para os clientes mais antigos ou fiéis.

10)   Defina alguém da equipe como responsável pelas atualizações da Página

Escale alguém que possa coordenar os conteúdos que serão postados, além de analisar se esses conteúdos possuem uma performance dentro das metas da empresa para esse canal. Outra boa dica, é usar os plugins sociais do LinkedIn . Estes plugins são botões que indicam que você é um membro ativo dentro da rede. Existem duas opções: uma de compartilhamento de conteúdo e outra que permite que seus visitantes sigam a sua página. A dica é adicionar esses plugins ao seu site, blog, post e campanhas de Email Marketing, para assim atrair mais seguidores e impulsionar seu conteúdo.

Como qualquer outra rede social, para estabelecer uma presença significativa leva tempo e não acontece de forma imediata. Mas os resultados são ótimos, pois o LinkedIn possui uma audiência bastante qualificada principalmente para empresas. Não perca mais tempo e comece hoje mesmo! Aproveite e siga a AIESEC agora mesmo no LinkedIn clicando aqui.

processo seletivo para jovens talentos

Endomarketing – Sua empresa tem um Marketing Interno forte?

O Endomarketing ou marketing interno é um termo muito constante na gestão moderna das empresas, pois muitas delas já se atentaram a ele como um grande aliado para manter os funcionários satisfeitos e como medida para vender mais. Parece ótimo, não é mesmo? Mas você sabe como o Endomarketing pode ajudar a sua empresa a ser mais produtiva e competitiva? Preparamos um post para que você comece hoje mesmo a estruturar seus planos de abordagem aos empregados, visando a máxima qualidade do produto-atendimento oferecido aos seus mercados.

O endomarketing é uma das áreas da administração que utiliza técnicas do marketing convencional com o público interno de uma organização. Assim, essa técnica preza pelo relacionamento interpessoal, pela disseminação da cultura empresarial e pelo fluxo de informações. O significado de endomarketing é claro, mas seu conceito é muito amplo. Existem muitas definições práticas a respeito do tema, mas em suma, conhecido como marketing interno das empresas, o endomarketing tem como sua principal função, atrair e reter o cliente interno, com a função de obter resultados positivos para a empresa. Por isso, é muito comum que os setores responsáveis pelo endomarketing nas empresas sejam a integração do setor administrativo (RH) e marketing (comunicação).

Benefícios do Endomarketing

Existe uma serie de benefícios para o uso do endomarketing nas empresas. Dentre eles, podem ser citadas:

  • Aumento da conexão entre a pessoa e a empresa
  • Funcionários mais motivados
  • Retenção de talentos
  • Diminuição de custos trabalhistas
  • Consciência sobre o trabalho realizado
  • Melhoria na comunicação interna
  • Agilidade no fluxo de informações
  • Alinhamento de objetivos da empresa e do colaborador
  • Sintonia entre valores
  • Aumento de vendas

Ao fazer endomarketing, cada empresa poderá constatar outros benefícios e moldar a técnica para atingir melhorias exclusivas.  À medida que novas gerações integram a equipe de trabalho, são integrados também novas características de personalidade, satisfação e reconhecimento que exigem mudanças internas. Então as empresas estão estudando cada vez mais como utilizar o marketing interno para sensibilizar sua equipe e melhorar sua performance.

Como o endomarketing pode ajudar sua empresa

À medida que se desenvolve fluxos de comunicação mais ágeis e transparentes por meio do marketing interno, os funcionários se sentem motivados a participar de ações de endomarketing, tornando-se mais abertos a uma comunicação mercadológica focada na venda de atributos intangíveis — como a melhor empresa para se trabalhar, o melhor produto do mercado e assim por diante. O objetivo é sempre manter os funcionários satisfeitos com o trabalho, produtivos e bem relacionados com seus colegas, contribuindo para a qualidade do clima organizacional e tornando-se exemplos a serem seguidos pelos futuros funcionários.

É importante ressaltar que se a empresa não atua conforme o que comunica, não será bem-sucedida em suas ações de endomarketing, pois suas ações serão conflitantes com a comunicação interna. Portanto, alinhar o marketing interno à cultura da empresa é um passo simplesmente essencial.

Separamos algumas dicas para você usar o Endomarketing a favor da sua empresa para vender mais e obter melhor satisfação interna com funcionários e gestores.

  • Use seu site para fazer Endomarketing: toda vez que publicar um post novo no seu blog, envie um e-mail para toda a empresa. Assim, sua comunicação ficará mais fluída e todos saberão os tópicos que você está usando para sensibilizar seus clientes. Além disso, aua equipe se atualizará com conhecimentos complementares para o dia a dia.
  • Use enquetes para fazer Endomarketing: independente do tempo que um colaborador trabalha na sua empresa, ele pode contribuir com ideias interessantes para melhorar produtos, serviços e até mesmo o ambiente de trabalho. Ao elaborar pequenas enquetes você pode receber ideias espetaculares para melhorar sua empresa.
  • Ferramentas para fazer Endomarketing: O TinyPulse é uma ferramenta online muito simples que te ajuda coletar informações úteis dos seus colaboradores. Você cadastra sua equipe com Nome e E-mail, configura perguntas e respostas e semanalmente a ferramenta dispara uma pesquisa para a equipe e compila resultados online. É muito útil e fácil de usar.
  • Fazer Endomarketing com Ebook para equipe de vendas: sua equipe de vendas precisa estar atualizada com seu time de marketing, por isso, é fundamental que os vendedores da sua empresa tenham em mãos todos os ebooks que você disponibiliza no seu site. Assim, eles podem conversar no mesmo nível que seus clientes, e caso o comprador ainda não tenha lido algum material importante, o vendedor pode entregar aquele conhecimento através do ebook gratuito.
  • Automação de marketing para fazer endomarketing: você pode criar uma sequência de e-mails automáticos para transmitir à toda empresa um novo conhecimento ou uma novidade estratégica da sua gestão. Praticamente todos os funcionários de empresas de prestação de serviços utilizam e-mail corporativo, por isso, você pode aproveitar este canal para enviar informações programadas para sua equipe estar alinhada com suas estratégias de gestão, objetivos alcançados, etc.

Fonte: 5seleto.com.br

processo seletivo para jovens talentos

Saiba o que os jovens buscam nas empresas

Os jovens da geração atual estão cada vez mais exigentes na escolha da carreira que pretendem seguir, mas principalmente na empresa em que desejam trabalhar. Esse tem sido o grande desafio que as empresas têm enfrentado para atrair a geração Y, que busca acima de tudo, desenvolvimento profissional, boa imagem no mercado, possibilidade de inovar, desafios constantes e fazer o que se gosta, gerando realização pessoal.

Uma pesquisa realizada pela Cia de Talentos, com 39 mil universitários e recém-formados no Brasil, Argentina e México, mostrou que os jovens buscam nas empresas um bom ambiente de trabalho, desenvolvimento profissional e qualidade de vida. Além disso evidenciou, que 70% deles conhecem os valores das organizações que buscam trabalhar e se identificam com suas culturas, tornando esse, um motivo decisivo na escolha para o mercado de trabalho. A pesquisa apontou também que o salário inicial não é uma das principais preocupações dos jovens, mas sim um projeto a longo prazo acompanhado de aprendizado e experiência na área, e que além do salário, existem outras moedas de troca valorizadas como aprendizagem, desafio e reconhecimento.

Diante de todos os dados apontados pelo levantamento, podemos concluir que o que realmente importa para um jovem que ingressa em sua primeira empresa é a perspectiva que a corporação oferece. Os jovens possuem uma visão crítica em relação ao ambiente de trabalho e pensam diferente do modelo tradicional. Por isso, há a necessidade de as empresas entenderem melhor o perfil desse profissional.  A responsabilidade desse entendimento não é apenas do profissional de RH, mas de toda a liderança da companhia.  Diante desse cenário, empresas e RHs devem estar atentos ao que podem oferecer para os novos profissionais que estão entrando no mercado de trabalho.

Separamos alguns pontos principais que os jovens buscam ao escolher sua empresa dos sonhos.

1.       Relação menos hierarquizada e diálogo aberto

A frase “Manda quem pode, obedece quem tem juízo” não se encaixa no contexto atual e faz cada vez menos sentido para os jovens nos relacionamentos profissionais. Eles valorizam a abertura para colocar as suas opiniões, e poder falar o que pensam.

Um ambiente em que as pessoas têm medo de se expressar com sinceridade porque podem contrariar a opinião dos que estão acima, é mal visto e certamente não é o que os jovens buscam em uma empresa.

2. Trabalho que faça sentido na vida

O jovem profissional sempre busca um sentido naquilo que faz e quer saber como o seu trabalho contribui para a estratégia da empresa. Para alguns, o trabalho faz sentido enquanto estiverem aprendendo algo novo, para outros é mais importante enxergarem o impacto positivo no meio ambiente ou na sociedade.

A falta de sentido no trabalho combinado com a rotina é o que transforma a motivação em frustração. Sendo assim, é fundamental que o gestor conheça muito bem as individualidades de cada membro da equipe, não se limitando apenas ao âmbito profissional, para aproveitar todo o talento que o jovem possui.

3. Reconhecimento no tempo e na medida certa

Em um mundo cada vez mais dinâmico em que se exige mais competências e resultados dos profissionais, é natural que eles também queiram que o reconhecimento venha na mesma proporção e velocidade.

Métodos tradicionais de retenção que funcionaram décadas atrás não necessariamente tem a mesma efetividade nos talentos de hoje. O mundo mudou e os valores também mudaram. Por isso, as empresas precisam se ajustar à nova realidade e encontrar o ponto de equilíbrio que satisfaça os dois lados.

4. Flexibilidade e qualidade de vida

Em uma sociedade em que tudo é corrido e pra ontem, o trabalho pode acabar se tornando a grande prisão do homem moderno que muitas vezes deixa de trabalhar para viver e passa a viver para trabalhar. Os jovens de hoje, procuram um equilíbrio entre sua carreira profissional e sua vida pessoal e esperam poder ser felizes nos dois lados da mesma medida.

Encontrar uma empresa que respeite seu estilo de vida, seus horários e sua individualidade é a grande busca. Poder realizar suas atividades rotineiras como exercícios, momentos de lazer e descontração para se sentir bem consigo mesmo e ainda assim crescer em um mercado profissional competitivo, é o que buscam os jovens de hoje.

Procurando jovens talentos para a sua empresa mas não sabe como atraí-los? Conte com a AIESEC para te ajudar. Nós temos a mão de obra jovem e qualificada ideal para você e seu empreendimento! Entre e contato e saiba mais.

processo seletivo para jovens talentos

Como organizar um bom processo seletivo?

O mercado nos oferece todos os dias muitos profissionais, mas como achar aqueles que são realmente qualificados? Você saberia escolher o candidato ideal para os cargos da sua empresa? Saberia quais são os passos corretos e como realizar esse processo? Se você não sabe responder a essas perguntas, tudo bem.

Na hora de abrir um processo seletivo, é mais do que normal o surgimento de algumas dúvidas sobre o que fazer para atrair os candidatos certos e os meios utilizados para divulgar a seleção, por exemplo. Afinal, organizar um bom processo seletivo não é tarefa nada fácil. O nosso post de hoje pode te ajudar a esclarecer algumas dúvidas e a preparar uma boa seleção.

Escolher o profissional mais adequado e apropriado para a sua organização requer tempo e um bom olhar, além de atenção e cuidado na análise.

Use um processo de seleção por competências para conseguir analisar alguns quesitos, como quais são as atitudes do candidato, como ele costuma reagir, como ele pensa e se isso se adequa às suas expectativas. Mas só isso não é o bastante, por isso separamos alguns passos para você entender como organizar um bom processo seletivo. Confira!

Passo 1 – Planejamento e definição da vaga

O primeiro passo é definir a vaga a qual você pretende preencher e a descrição do cargo. Saiba qual lacuna você precisa solucionar e que função o candidato terá de desempenhar.

Comece descrevendo as funções que o futuro empregado vai exercer.

Passo 2 – Construindo o perfil desejado

Com base em todas as informações levantadas no planejamento, é hora de definir bem que tipo de perfil a vaga em aberto exige. Destaque especialmente as responsabilidades atribuídas à vaga, os conhecimentos necessários e as habilidades que os candidatos devem possuir.

Esse tipo de planejamento auxilia a eliminar pessoas despreparadas.

Passo 3 – Anunciando a vaga

Agora é hora de anunciar a vaga em diferentes plataformas. Para isso, mapeie as principais plataformas de anúncio de emprego que estejam de acordo com o perfil que você deseja e escreva um texto objetivo com as características da vaga.

Após esse mapeamento, anuncie a oportunidade em jornais, sites especializados de busca de empregos, grupos de emprego relacionados ao perfil da vaga e também no site e nas redes sociais da empresa.

É importante chamar a atenção para a experiência exigida, as atividades a serem realizadas, o horário de trabalho e o salário. Assim, os candidatos já vão sendo pré-selecionados.

Passo 4 – Filtrando candidatos

A essa altura, após a divulgação da vaga, você já deverá ter alguns currículos à sua disposição. Não se esqueça de responder a todos, mesmo aqueles que não preenchem os pré-requisitos procurados. Com todos os dados em mãos, filtre os currículos mais compatíveis com o perfil que você deseja.

Nem sempre as qualificações do candidato, apesar de serem as melhores possíveis, serão úteis para a função que você deseja. Por isso, foque nas qualidades que procura e no que o candidato terá de fazer em primeiro lugar.

Passo 5 – Dividindo o processo em fases

Em todo o processo seletivo, a equipe de RH deve sempre conhecer o máximo possível de cada um dos candidatos. Pensando nisso, uma das maneiras de como organizar um bom processo seletivo é separar os entrevistados em grupos pequenos. Isso ajuda a conhecer melhor todos os prós e contras de cada interessado na vaga.

Incluir testes de personalidade no momento da dinâmica em grupo também é uma boa forma de conhecer o perfil dos candidatos, avaliando como ele reage em equipe.

Passo 6 – Fazendo testes técnicos

Para que você entenda melhor como organizar um bom processo seletivo, saiba que será indispensável estipular testes técnicos para avaliação das habilidades dos candidatos. Dessa forma, apenas pessoas com o conhecimento necessário seriam selecionadas para a vaga em aberto.

O profissional pode elaborar testes de agilidade, assuntos específicos ou mesmo fazer uma avaliação para entender qual é o real nível de conhecimento do candidato — mesmo em situações de pressão.

Passo 7 – Preparando entrevistas individuais

Chegou a hora de conhecer todos os melhores candidatos pessoalmente. Nesse momento, é preciso avaliar não só a parte técnica, mas também se o perfil do entrevistado é compatível com a cultura da empresa.

Para isso, antes de cada entrevista, elabore perguntas condizentes com o que a empresa busca de um empregado, além de questões técnicas da vaga a ser preenchida. Se necessário, anote eventuais dúvidas sobre qualquer descrição que contiver no currículo para serem sanadas na hora da entrevista.

Outra dica é sempre fazer anotações pertinentes sobre cada entrevistado. Dessa maneira, será possível avaliar e comparar todos os concorrentes sem o risco de o entrevistador esquecer qualquer detalhe importante.

Passo 8 – Realizando entrevistas

Entre em contato com os candidatos para marcar as entrevistas. Durante o processo, faça perguntas para conhecer melhor os concorrentes. As perguntas devem ser feitas levando em consideração os empregos anteriores e situações vividas.

Nesse momento, analise com cuidado a capacidade e compatibilidade do interessado com o perfil da vaga. Não se esqueça de buscar por condutas adequadas às competências requeridas e dê atenção ao comportamento demonstrado pelo candidato, pois ajuda a reduzir os erros na hora de contratar.

Após a escolha final, é hora da contratação. Deixe tudo claro, como as regras da empresa, os procedimentos e até mesmo o que você espera a respeito do rendimento do funcionário. E por fim, lembre-se: tempo nesses casos é investimento! Quanto mais rápido é o processo seletivo, menos se conhece o profissional. Fazer uma contratação errada é prejuízo para a empresa!

Delegar tarefas é uma das formas mais eficientes de ver seu negócio crescer. Se você não se sente confortável em realizar os processos acima, ou não tem o tempo necessário para realizá-los e dar a devida atenção, conte com a AIESEC para te ajudar. Podemos encontrar pessoas preparadas que se encaixem perfeitamente ao perfil da sua empresa e que se empenhem bastante em fazer o seu negócio acelerar.

E então, leitor? Gostou do conteúdo e tirou todas as suas dúvidas sobre como organizar um bom processo seletivo? Não deixe de comentar e dar sua opinião!

processo seletivo para jovens talentos