Saiba o que os jovens buscam nas empresas

Os jovens da geração atual estão cada vez mais exigentes na escolha da carreira que pretendem seguir, mas principalmente na empresa em que desejam trabalhar. Esse tem sido o grande desafio que as empresas têm enfrentado para atrair a geração Y, que busca acima de tudo, desenvolvimento profissional, boa imagem no mercado, possibilidade de inovar, desafios constantes e fazer o que se gosta, gerando realização pessoal.

Uma pesquisa realizada pela Cia de Talentos, com 39 mil universitários e recém-formados no Brasil, Argentina e México, mostrou que os jovens buscam nas empresas um bom ambiente de trabalho, desenvolvimento profissional e qualidade de vida. Além disso evidenciou, que 70% deles conhecem os valores das organizações que buscam trabalhar e se identificam com suas culturas, tornando esse, um motivo decisivo na escolha para o mercado de trabalho. A pesquisa apontou também que o salário inicial não é uma das principais preocupações dos jovens, mas sim um projeto a longo prazo acompanhado de aprendizado e experiência na área, e que além do salário, existem outras moedas de troca valorizadas como aprendizagem, desafio e reconhecimento.

Diante de todos os dados apontados pelo levantamento, podemos concluir que o que realmente importa para um jovem que ingressa em sua primeira empresa é a perspectiva que a corporação oferece. Os jovens possuem uma visão crítica em relação ao ambiente de trabalho e pensam diferente do modelo tradicional. Por isso, há a necessidade de as empresas entenderem melhor o perfil desse profissional.  A responsabilidade desse entendimento não é apenas do profissional de RH, mas de toda a liderança da companhia.  Diante desse cenário, empresas e RHs devem estar atentos ao que podem oferecer para os novos profissionais que estão entrando no mercado de trabalho.

Separamos alguns pontos principais que os jovens buscam ao escolher sua empresa dos sonhos.

1.       Relação menos hierarquizada e diálogo aberto

A frase “Manda quem pode, obedece quem tem juízo” não se encaixa no contexto atual e faz cada vez menos sentido para os jovens nos relacionamentos profissionais. Eles valorizam a abertura para colocar as suas opiniões, e poder falar o que pensam.

Um ambiente em que as pessoas têm medo de se expressar com sinceridade porque podem contrariar a opinião dos que estão acima, é mal visto e certamente não é o que os jovens buscam em uma empresa.

2. Trabalho que faça sentido na vida

O jovem profissional sempre busca um sentido naquilo que faz e quer saber como o seu trabalho contribui para a estratégia da empresa. Para alguns, o trabalho faz sentido enquanto estiverem aprendendo algo novo, para outros é mais importante enxergarem o impacto positivo no meio ambiente ou na sociedade.

A falta de sentido no trabalho combinado com a rotina é o que transforma a motivação em frustração. Sendo assim, é fundamental que o gestor conheça muito bem as individualidades de cada membro da equipe, não se limitando apenas ao âmbito profissional, para aproveitar todo o talento que o jovem possui.

3. Reconhecimento no tempo e na medida certa

Em um mundo cada vez mais dinâmico em que se exige mais competências e resultados dos profissionais, é natural que eles também queiram que o reconhecimento venha na mesma proporção e velocidade.

Métodos tradicionais de retenção que funcionaram décadas atrás não necessariamente tem a mesma efetividade nos talentos de hoje. O mundo mudou e os valores também mudaram. Por isso, as empresas precisam se ajustar à nova realidade e encontrar o ponto de equilíbrio que satisfaça os dois lados.

4. Flexibilidade e qualidade de vida

Em uma sociedade em que tudo é corrido e pra ontem, o trabalho pode acabar se tornando a grande prisão do homem moderno que muitas vezes deixa de trabalhar para viver e passa a viver para trabalhar. Os jovens de hoje, procuram um equilíbrio entre sua carreira profissional e sua vida pessoal e esperam poder ser felizes nos dois lados da mesma medida.

Encontrar uma empresa que respeite seu estilo de vida, seus horários e sua individualidade é a grande busca. Poder realizar suas atividades rotineiras como exercícios, momentos de lazer e descontração para se sentir bem consigo mesmo e ainda assim crescer em um mercado profissional competitivo, é o que buscam os jovens de hoje.

Procurando jovens talentos para a sua empresa mas não sabe como atraí-los? Conte com a AIESEC para te ajudar. Nós temos a mão de obra jovem e qualificada ideal para você e seu empreendimento! Entre e contato e saiba mais.

processo seletivo para jovens talentos

Como organizar um bom processo seletivo?

O mercado nos oferece todos os dias muitos profissionais, mas como achar aqueles que são realmente qualificados? Você saberia escolher o candidato ideal para os cargos da sua empresa? Saberia quais são os passos corretos e como realizar esse processo? Se você não sabe responder a essas perguntas, tudo bem.

Na hora de abrir um processo seletivo, é mais do que normal o surgimento de algumas dúvidas sobre o que fazer para atrair os candidatos certos e os meios utilizados para divulgar a seleção, por exemplo. Afinal, organizar um bom processo seletivo não é tarefa nada fácil. O nosso post de hoje pode te ajudar a esclarecer algumas dúvidas e a preparar uma boa seleção.

Escolher o profissional mais adequado e apropriado para a sua organização requer tempo e um bom olhar, além de atenção e cuidado na análise.

Use um processo de seleção por competências para conseguir analisar alguns quesitos, como quais são as atitudes do candidato, como ele costuma reagir, como ele pensa e se isso se adequa às suas expectativas. Mas só isso não é o bastante, por isso separamos alguns passos para você entender como organizar um bom processo seletivo. Confira!

Passo 1 – Planejamento e definição da vaga

O primeiro passo é definir a vaga a qual você pretende preencher e a descrição do cargo. Saiba qual lacuna você precisa solucionar e que função o candidato terá de desempenhar.

Comece descrevendo as funções que o futuro empregado vai exercer.

Passo 2 – Construindo o perfil desejado

Com base em todas as informações levantadas no planejamento, é hora de definir bem que tipo de perfil a vaga em aberto exige. Destaque especialmente as responsabilidades atribuídas à vaga, os conhecimentos necessários e as habilidades que os candidatos devem possuir.

Esse tipo de planejamento auxilia a eliminar pessoas despreparadas.

Passo 3 – Anunciando a vaga

Agora é hora de anunciar a vaga em diferentes plataformas. Para isso, mapeie as principais plataformas de anúncio de emprego que estejam de acordo com o perfil que você deseja e escreva um texto objetivo com as características da vaga.

Após esse mapeamento, anuncie a oportunidade em jornais, sites especializados de busca de empregos, grupos de emprego relacionados ao perfil da vaga e também no site e nas redes sociais da empresa.

É importante chamar a atenção para a experiência exigida, as atividades a serem realizadas, o horário de trabalho e o salário. Assim, os candidatos já vão sendo pré-selecionados.

Passo 4 – Filtrando candidatos

A essa altura, após a divulgação da vaga, você já deverá ter alguns currículos à sua disposição. Não se esqueça de responder a todos, mesmo aqueles que não preenchem os pré-requisitos procurados. Com todos os dados em mãos, filtre os currículos mais compatíveis com o perfil que você deseja.

Nem sempre as qualificações do candidato, apesar de serem as melhores possíveis, serão úteis para a função que você deseja. Por isso, foque nas qualidades que procura e no que o candidato terá de fazer em primeiro lugar.

Passo 5 – Dividindo o processo em fases

Em todo o processo seletivo, a equipe de RH deve sempre conhecer o máximo possível de cada um dos candidatos. Pensando nisso, uma das maneiras de como organizar um bom processo seletivo é separar os entrevistados em grupos pequenos. Isso ajuda a conhecer melhor todos os prós e contras de cada interessado na vaga.

Incluir testes de personalidade no momento da dinâmica em grupo também é uma boa forma de conhecer o perfil dos candidatos, avaliando como ele reage em equipe.

Passo 6 – Fazendo testes técnicos

Para que você entenda melhor como organizar um bom processo seletivo, saiba que será indispensável estipular testes técnicos para avaliação das habilidades dos candidatos. Dessa forma, apenas pessoas com o conhecimento necessário seriam selecionadas para a vaga em aberto.

O profissional pode elaborar testes de agilidade, assuntos específicos ou mesmo fazer uma avaliação para entender qual é o real nível de conhecimento do candidato — mesmo em situações de pressão.

Passo 7 – Preparando entrevistas individuais

Chegou a hora de conhecer todos os melhores candidatos pessoalmente. Nesse momento, é preciso avaliar não só a parte técnica, mas também se o perfil do entrevistado é compatível com a cultura da empresa.

Para isso, antes de cada entrevista, elabore perguntas condizentes com o que a empresa busca de um empregado, além de questões técnicas da vaga a ser preenchida. Se necessário, anote eventuais dúvidas sobre qualquer descrição que contiver no currículo para serem sanadas na hora da entrevista.

Outra dica é sempre fazer anotações pertinentes sobre cada entrevistado. Dessa maneira, será possível avaliar e comparar todos os concorrentes sem o risco de o entrevistador esquecer qualquer detalhe importante.

Passo 8 – Realizando entrevistas

Entre em contato com os candidatos para marcar as entrevistas. Durante o processo, faça perguntas para conhecer melhor os concorrentes. As perguntas devem ser feitas levando em consideração os empregos anteriores e situações vividas.

Nesse momento, analise com cuidado a capacidade e compatibilidade do interessado com o perfil da vaga. Não se esqueça de buscar por condutas adequadas às competências requeridas e dê atenção ao comportamento demonstrado pelo candidato, pois ajuda a reduzir os erros na hora de contratar.

Após a escolha final, é hora da contratação. Deixe tudo claro, como as regras da empresa, os procedimentos e até mesmo o que você espera a respeito do rendimento do funcionário. E por fim, lembre-se: tempo nesses casos é investimento! Quanto mais rápido é o processo seletivo, menos se conhece o profissional. Fazer uma contratação errada é prejuízo para a empresa!

Delegar tarefas é uma das formas mais eficientes de ver seu negócio crescer. Se você não se sente confortável em realizar os processos acima, ou não tem o tempo necessário para realizá-los e dar a devida atenção, conte com a AIESEC para te ajudar. Podemos encontrar pessoas preparadas que se encaixem perfeitamente ao perfil da sua empresa e que se empenhem bastante em fazer o seu negócio acelerar.

E então, leitor? Gostou do conteúdo e tirou todas as suas dúvidas sobre como organizar um bom processo seletivo? Não deixe de comentar e dar sua opinião!

processo seletivo para jovens talentos

 

3 dicas para montar uma equipe de alta performance

Não seria incrível ter uma equipe que entrega todos os resultados, bate todas as metas, trabalhe de forma harmoniosa e ainda é movida por desafios? Pois é, esse é o sonho de todo dono de uma pequena e média empresa, montar uma equipe perfeita que ultrapasse as suas expectativas. Mas será que para ter uma equipe de alta performance você precisa contratar pessoas excepcionais?

Segundo o empresário Marcelo Germano, dono do EAG, Empresa Autogerenciável você não precisa contratar pessoas extraordinárias. “A grande verdade é que pequena parte da população são pessoas extraordinárias e a maioria das pessoas são pessoas comuns. Ao invés de procurar pessoas extraordinárias você precisa criar na sua empresa um ambiente propício para que as pessoas comuns desenvolva resultados extraordinários.”

Mas afinal, o que são equipes de alta performance?

São equipes que se destacam por apresentar elevada competência e que são capazes de se desenvolver rapidamente. São compostas por pessoas alinhadas com a missão e valores da empresa; engajadas para atingir um objetivo em comum.

Se a sua responsabilidade é contratar o funcionário certo para a sua empresa, vale ressaltar que não adianta contratar um colaborador talentoso, que adquire todas as skills que você precisa para o cargo se ele não tem o perfil da sua empresa ou não se identifica com os valores e a missão da organização.

Na AIESEC, durante o processo de recrutamento entre a empresa e o intercambista, nós nos certificamos que haja uma comunicação mais efetiva entre ambas as partes para que os dois lados se conectem. Que a empresa encontre no intercambista todas as característica que ele procura, como, por exemplo, as habilidades técnicas e o perfil desejado pela empresa, como havia dito antes.

Como montar uma equipe de alta performance?

Sabemos que donos de pequenas e médias empresas (PME) têm dificuldade em montar uma equipe que saiba performar. Por isso separamos para você alguns passos essenciais para que você forme a sua equipe de alta performance.

Escolha a sua equipe

Reconheça seus funcionários e saiba quais são os seus pontos mais fortes. Compartilhe a visão e os objetivos da sua empresa e se comprometa a transformar essa visão em realidade, assim seus colaboradores vão se sentir responsáveis pelas metas estabelecidas.

Defina as metas

Por via de regra, muitas equipes não performam porque elas não sabem o caminho a seguir. É preciso deixar claro o que se espera da equipe. Defina quais serão as metas e as mensuráveis com um certo grau de desafio. Sua equipe precisa saber que você conta com ela para atingir os resultados e só passando pelo primeiro passo você saberá se sua equipe é capaz de atingir as metas estabelecidas pela empresa.

Comece a delegar

Se o líder da equipe é centralizador, tem medo de ceder alguma tarefa ao funcionário por achar que ele fará melhor do que qualquer outra pessoa, pare agora. Delegar é um exercício desafiador para qualquer líder, pela insegurança de achar que o trabalho não será entregue ou não será bem feito. Mas saiba que delegar faz parte do desenvolvimento da sua equipe, é um fatores determinantes para o crescimento de qualquer funcionário.

Formar uma equipe de alta performance é um dos caminhos para obter vantagem competitiva perante o mercado, além de garantir um grande desenvolvendo dos seus funcionários e da empresa.

processo seletivo para jovens talentos

3 passos para se tornar um líder

O que é ser um líder para você? Para a AIESEC, maior organização liderada por jovens do mundo, é a chave para alcançar a paz mundial e o preenchimento das potencialidades humanas. Em uma entrevista para Forbes, Ken Blanchard, especialista americano em liderança, autor de bestsellers como The One Minute Manage define três passos para alguém se torna e crescer como líder.

1 –  Conhecer suas franquezas e fortalezas

O autoconhecimento é essencial para descobrir o que realmente motiva cada pessoa, dá brilho no olho, quais são seus valores e propósito pessoal, para que assim as escolhas a serem tomadas sejam mais assertivas, principalmente para a Geração Y que pretende permanecer em média 3 anos dentro de uma mesma empresa, uma pesquisa da consultoria Future Workplace.

Quanto mais você sabe sobre você mesmo, mais você sabe onde pode pisar e onde tem que tomar cuidado”. Marcelo Aidar, professor da FGV-SP, que ressalta “É difícil enxergar as oportunidades quando não conheço direito qual é o meu verdadeiro perfil”.

2 – Relacionar-se com os outros

Em um mercado no qual o ‘senso de dono’ torna-se um dos principais valores para grandes empresas, o poder do empoderamento, e daquele que sabe empoderar, está em voga. Confiar na capacidade dos colaboradores, permitindo e aprendendo com os erros, gera um engajamento exponencial, aumenta a qualidade de trabalho e fidelidade daqueles que trabalham com você, além de diminuir o turnover. Saber valorizar e criar um ambiente para que seus liderados sintam-se a vontade para inovar, expor suas opiniões e assim tenham a responsabilidade para contribuir com o crescimento e desenvolvimento do local de trabalho empresa junto com você, é uma qualidade essencial para líder de hoje.

3 – Ser aberto para o mundo

O que isso significa? Em um mundo cada vez mais conectado é ter uma visão global, ou seja, entender outras realidades, saber lidar com diversas culturas,  conseguir trabalhar com pessoas de diferentes formações, idiomas e educações, estar conectado ao que acontece ao redor do mundo, entender as causas globais, compilando tudo isso na autocapacitação, para agir da melhor forma possível a nível local.

Maria Tereza Fleury, diretora da Eaesp-FGV, concorda que esse global mindset é típico da nova geração e começou a surgir no Brasil a partir da abertura do mercado nos anos 1990. “Antes, as companhias se concentravam unicamente no mercado doméstico. O fenômeno da internacionalização é recente e tanto as escolas quanto o mundo corporativo precisam aprender a lidar com ele”, afirma. Sendo assim, nota-se que tal qualidade é muito importante na formação de líderes responsáveis e guiados por valores éticos claros, que possuem visão holística e sabem interagir com o diferente, tendo a oportunidade, assim, de formar um time heterogêneo e multicultural, que agregue por meio de vários pontos de vista.

Não menos importante, é ser orientado para resolução de problemas. Focar em solução, ao invés de se prolongar na busca de culpados ou na própria questão em si, diminui o tempo de ação, otimiza processos e permite que o líder seja mais estratégico, podendo portanto dar mais atenção a pessoas.

Essa qualidade, típica de profissionais com postura mais proativa, gera soluções e resultados maiores e melhores, de forma mais ágil e eficaz, ou seja, a receita para projetos e empresas de sucesso.  Visão Global, autoconhecimento, poder de empoderar, foco em solução são as quatro qualidades que embasam o Modelo de Desenvolvimento de Liderança da AIESEC. Depois de vários estudos sobre o que o mundo precisa, quais as principais qualidades dos líderes atuais e o que é relevante para o mercado de trabalho, a organização setou que através de uma jornada interna e externa, todo jovem que passasse por um de nossos programas (tanto intercâmbio quanto trabalho em equipe) deveria desenvolver conscientemente as qualidades citadas acima, para que assim se tornasse um agente de mudança necessários para o impacto que o mundo precisa.

processo seletivo para jovens talentos