Entenda a importância do negócio de impacto social

Os anos passam e os modelos de negócio vão se modificando e se adaptando com o tempo. Novos valores, novas prioridades e novas possibilidades vão surgindo e oferecendo oportunidades para inovações e melhorias.

Apesar de não serem tão recentes, os negócios de impacto social têm ganhado cada vez mais importância e são uma boa alternativa para empreendedores que almejem fazer mudanças significativas na sociedade.

Entenda como esse tipo de negócio possui uma importância vital e aprenda como funciona esse modelo.

O que é o negócio de impacto social?

Negócios de impacto social são aqueles que possuem como meta, objetivo ou missão resolver (ou amenizar) determinado problema social. Normalmente são autossustentáveis financeiramente (ou seja, não dependem de lucro para existirem).

Como ele funciona?

Negócios de impacto social basicamente funcionam como os modelos tradicionais, porém suas receitas são apenas para cobrir seus custos de execução e planejamento. Ou seja, todo o lucro obtido é reinvestido automaticamente para ampliação do impacto social que a empresa visa causar.

Assim, a mensuração do sucesso, diferentemente dos modelos tradicionais, não é feita a partir do lucro alcançado, mas, sim, do impacto social causado pelas atividades desenvolvidas. Seu foco é essencialmente realizar uma transformação na sociedade por meio do trabalho realizado.

Qual a sua importância?

Em primeiro lugar, a própria transformação social já carrega consigo uma enorme importância para esse modelo de negócio. Determinado grupo, minoria ou causa será beneficiado por meio de um trabalho sério feito de forma profissional, diminuindo injustiças, desigualdades, resolvendo problemas e amenizando determinadas situações de grande impacto social.

Um segundo ponto é o incentivo ao empreendedorismo e à inovação. Por ser um modelo diferenciado, focado na resolução de um problema específico (e, geralmente, complexo), exige que as pessoas envolvidas “saiam da caixinha” e deixem de lado tipos padrões de negócios, o que é um grande acréscimo para o mercado empreendedor.

Por fim, incentiva-se a colaboração com comunidades locais e também permite que, cada vez mais, se estimule a promoção de valores e princípios fundamentais ligados a questões sociais, em empresas.

Como criar um negócio de impacto social?

Muitas pessoas têm, de fato, o anseio de abrir seu próprio negócio e, com isso, auxiliar alguma causa que lhe seja cara. Algumas delas têm isso, inclusive, como uma das maiores metas de vida. Se esse é o seu caso, veja como criar um negócio de impacto social:

  • Escolha uma causa pela qual seja apaixonado: você só conseguirá oferecer uma solução realmente efetiva e interessante se for por um tema que você domine e seja apaixonado por ele.
  • Compreenda seu público-alvo: mesmo sendo algo que você conheça muito bem, é importante não deixar de ouvir seu target. Isso porque as dores, as expectativas, os anseios e as necessidades quem realmente conhece é seu público e, por isso, para conseguir de fato causar impacto social, é preciso ouvi-los.
  • Tenha um modelo de negócio viável: é preciso que seu negócio tenha um modelo viável. Principalmente por ser feito dentro de uma cultura autossustentável, é preciso se certificar de que as estratégias traçadas permitam essa retroalimentação constante de receitas, ou o negócio poderá falir.

O que achou do negócio de impacto social? Acha que empreender nessa área agregaria valor à sua vida? Conte-nos sua opinião em nosso comentários, queremos conhecer seu ponto de vista sobre o tema.

Canvas para negócios digitais: o que é e como aplicar

O método Canvas para negócios digitais é uma variante do celebrado Business Canvas Model, desenvolvido por Alexandre Osterwalder. Uma ferramenta bem prática e muito versátil para operacionalizar o gerenciamento estratégico de novos modelos de negócios.

Uma das vantagens do método Canvas é que, quando utilizado, ele correlaciona recursos, ações e impactos, permitindo aos gestores terem uma visão bem mais ampla dos possíveis cenários que se relacionam com aquele novo empreendimento.

Preparamos um resumo para você, em 4 tópicos, explicando o funcionamento, aplicação e quais vantagens de se usar o método Canvas. Acompanhe!

1. O que é o método?

O método Canvas é composto basicamente de uma tabela, um quadro a ser preenchido com as informações do modelo de negócios proposto.

Esse quadro está dividido em quatro grandes áreas: clientes, oferta, infraestrutura e viabilidade financeira. Além disso, esses quatro setores juntos estão subdivididos em 9 elementos:

  • segmentos de clientes;
  • propostas de valor;
  • canais;
  • relação com clientes;
  • origens de receita;
  • principais recursos;
  • atividades-chave;
  • principais parcerias;
  • estruturação dos custos.

O modelo também é dividido em dois hemisférios: o direito, relacionado à decisões mais emocionais, e o esquerdo, voltado a processos decisórios mais objetivos, pautados na lógica.

2. Como aplicar o método Canvas para negócios digitais?

Para aplicar o método Canvas deve-se imprimir o quadro e utilizar post-its para fazer anotações nas subdivisões que já relatamos no passo anterior. Dessa forma, fica mais fácil acrescentar novas informações, ou mesmo descartar outras no meio do processo. Também existe a opção de preencher a tabela de forma digital.

Um outro ponto importante é que a aplicação do método deve ser realizado de forma coletiva. Como líder, você pode trazer sua equipe para o processo de preenchimento do quadro. Isso pode ser muito produtivo, pois adicionará o fator da multiplicidade de visões sobre um mesmo aspecto, levando a um produto final mais rico.

3. Quem pode usar o Canvas?

Como já dissemos, o método Canvas é utilizado para elaboração de novos modelos de negócios, mas isso não significa que ele se destine apenas a empresas iniciantes ou startups.

Uma das coisas interessantes sobre essa ferramente é o fato de ela poder ser usada também por empresas que já estejam em operação. Com essa técnica, será possível procurar formas de se diferenciar da concorrência, implementar modificações ou ingressar em novos mercados.

4. Quais as vantagens de se utilizar o método Canvas?

O fato de ser extremamente simples é a principal delas. Basta papel e caneta para preencher o quadro, o que faz com que seja uma solução de custo muito baixo. 

A versatilidade é outra vantagem que podemos destacar. O método Canvas pode ser aplicado indiscriminadamente a qualquer que seja o empreendimento proposto. Afinal, o objetivo é auxiliar os empreendedores a organizar a quantidade excessiva de informações disponíveis de uma forma personalizada e direcionada ao modelo de negócio.

Como vimos, o método Canvas para negócios digitais é extramente versátil, prático e se destaca como uma ferramenta valiosa na hora de empreender novos projetos. Conte pra nós o que você achou sobre este post, ou se você tem alguma dúvida, comentando abaixo!

Sem fronteiras: 4 dicas para expandir um negócio local

Sua empresa tem um produto ótimo e as vendas crescem todos os meses. As finanças estão em ordem e a matriz funciona corretamente. Chegou, finalmente, a hora de expandir o seu negócio e cogitar uma parceria com empresas globais. Mas, como fazer isso?

A verdade é que, no crescimento de um negócio, não só a lucratividade aumenta, como o trabalho também. Por esse motivo, é preciso estar preparado para dar esse importante passo no empreendimento.

Neste artigo, você encontra 4 dicas para expandir um negócio local e se preparar para o que vem por aí. Continue a leitura para saber mais!

1. Reveja o planejamento estratégico

Antes de pensar em expandir um negócio, você precisa rever todo o planejamento estratégico da empresa. Mesmo que o empreendimento tenha êxito em uma região, isso não significa que o mesmo vai ocorrer após a expansão.

Esse detalhe não deve ser observado apenas na expansão internacional, mas também na abertura de filiais no Brasil. A extensão territorial e costumes regionais, por exemplo, são alguns fatores que determinam o sucesso ou fracasso de seu negócio em determinadas regiões do país.

Por esse motivo, analise as questões estratégicas do negócio antes da expansão. Verifique detalhes como público-alvo, poder aquisitivo, análise SWOT, entre outros. Será que sua empresa está realmente preparada para atender clientes de outros lugares?

2. Mapeie as oportunidades

As boas oportunidades não marcam data e hora para surgir. Para aproveitá-las, você precisa ficar de olho no mercado e acompanhar tudo o que acontece à sua volta. Só assim será capaz de identificar e aproveitar uma excelente oportunidade de expansão.

Para manter-se ávido às oportunidades, além de acompanhar as tendências de mercado, você também deve ficar atento a questões internas de sua empresa. Investir em melhorias de processo, soluções tecnológicas e treinamentos são fundamentais para colocar sua empresa à frente no mercado.

Por outro lado, sua empresa também pode diversificar seus produtos e serviços, aumentando as fontes de receita do negócio. Ou ainda investir em novos mercados para expandir o alcance da marca.

3. Faça parcerias com empresas globais

Empresas globais ou multinacionais são grandes corporações, boa parte delas com origem estrangeira. Os negócios menores, no entanto, podem se beneficiar dos polos comerciais gerados por essas organizações. É o que acontece, por exemplo, nas cadeias de fornecimento destes empreendimentos.

Com o negócio em expansão, sua empresa poderá atuar no suprimento da empresa global. Essa parceria se dá pelo fornecimento de produtos, serviços ou mão de obra qualificada para a grande empresa.

Outras alternativas ainda incluem licenciar o seu produto para uma empresa estrangeira em troca de royalties ou cogitar uma fusão e aquisição com outros empreendimentos.

4. Contrate um estrangeiro

Aprendizado e novos desafios são os principais combustíveis na expansão de qualquer negócio. Dentro deste contexto, a contratação de novos colaboradores é um dos fatores mais determinantes para promover novos conhecimentos dentro da organização.

Por esse motivo, investir na contratação de estrangeiros para sua empresa também contribui com a expansão do negócio. Além de adicionar uma visão externa ao negócio, também é útil para facilitar a internacionalização da marca.

Sendo assim, você pode começar por contratar estagiários estrangeiros. Nada melhor do que preparar a sua empresa para o mundo, não é mesmo? E por que não começar com funcionários estrangeiros?

Expandir o negócio e torná-lo sem fronteiras não é uma tarefa fácil, mas pode ser muito simples. A melhor forma de simplificar este processo é começar as mudanças internamente. Entre em contato conosco para avaliar o potencial global de sua empresa agora mesmo!

Além do Vale: conheça 8 polos de empreendedorismo e startups do mundo

As startups representam hoje modelos de negócios muito importantes e promissores para a economia global, sendo favorecidas pelo surgimento de polos de empreendedorismo em muitos países.

O Vale do Silício já não é mais o único ecossistema atrativo para se abrir uma empresa de tecnologia. É isso que mostra um relatório da Startup Genome, que avaliou e listou cidades interessantes para pequenos empreendedores.

Elas consistem em locais com altos índices de incentivo à criação de empresas, disponibilidade de capital e de talentos, favorecendo um ambiente de inovação. Continue a leitura e confira alguns dos principais polos de empreendedorismo e startups pelo mundo!

Polos de empreendedorismo no Brasil

No Brasil, há 90 polos tecnológicos mapeados. Praticamente todas as regiões brasileiras apresentaram aumento de incentivo ao setor de startups nos últimos anos. São notáveis os celeiros empreendedores em capitais como:

1. São Paulo

Esta é a única cidade brasileira que consta no ranking mundial de Ecossistemas para Startups (feito pela Startup Genome, comunidade digital que mapeia sistemas de startups pelo mundo), à frente de cidades europeias como Berlim e da australiana Melbourne.

A cidade se destaca pelo tamanho de mercado, acesso a capital e infraestrutura como escritórios de coworking. Lá se instalaram iniciativas como a Google Campus, na zona sul, inaugurada em junho de 2016, que sedia programa de mentoria a empresas iniciantes.

2. Belo Horizonte

A cidade comporta o San Pedro Valley, um dos maiores ecossistemas de empresas do Brasil, concentrando mais de 100 empreendimentos, e trabalha em integração com o SEED (Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development), programa de aceleração de ideias. Na região também é interessante a integração da economia com as universidades locais, o que fomenta a pesquisa em tecnologia.

3. Florianópolis

A capital catarinense tem algumas startups de sucesso. Em 2015, a cidade recebeu um espaço para uso de empresas participantes de um programa de aceleração, criado pela Senior, uma das maiores empresas brasileiras de software de gestão.

4. Rio de Janeiro

Grande parte do celeiro de empreendedores da cidade se concentra na região sul, polo universitário que também conta com incentivos do governo, como o Startup RIO, programa que oferece R$100 mil para os empreendedores digitais selecionados, além de outras vantagens.

5. Manaus

Na cidade se localiza um dos centros de desenvolvimento e capacitação tecnológica da Samsung (o outro é em São Paulo), o Samsung Ocean, que capacita equipes interessadas em iniciar uma startup, gerando protótipos funcionais.

Polos de empreendedorismo internacionais

6. Tel Aviv

A cidade israelense lidera o ranking da Startup Genome dos 20 melhores lugares para se abrir uma startup. Ela concentra o maior número de startups de tecnologia do mundo e recebe grandes investimentos ocidentais.

7. Nova Iorque e Toronto

Canadá e Estados Unidos juntos rankeiam 8 das 20 melhores cidades para empreendedorismo: Los Angeles, Seattle, Nova Iorque, Boston, Toronto, Vancouver, Chicago, Waterloo (nesta ordem).

Destaques vão para Nova York, favorável para startups de e-commerce, mídia e moda, diferindo-se um pouco da dominância das empresas de tecnologia e de empreendedores do sexo masculino — cerca de 18% são mulheres empreendedoras; e para Toronto, cujos empreendedores querem mudar o mundo mais do que apenas gerar um bom produto, segundo a pesquisa.

8. Outros polos

Além dos polos mencionados, outras cidades promissoras são: Londres, como principal polo europeu seguido por Paris e Berlim; o polo australiano Sidney, rankeado algumas posições acima de Melbourne; os grandes asiáticos Moscou, focado em internet, e Singapura, deixando países como Índia, Indonésia e China para trás em questão de startups; e Santiago, um dos únicos representantes latino-americanos (junto com São Paulo), e que apresenta a faixa etária mais jovem de empreendedores do ranking.

Gostou de conhecer alguns dos polos de empreendedorismo mais famosos do mundo? Compartilhe o post em suas redes sociais!

Por que investir no potencial global da sua empresa?

Nas últimas décadas houve um grande aumento no número de empresas globais, motivado principalmente pela transformação digital. No Brasil, o índice de internacionalização das multinacionais foi de 22,9% para 24,4% em um único ano, por exemplo. Esses dados mostram que o potencial de expansão das empresas vem aumentando e se tornando uma forte tendência mercadológica.

Por causa disso, nós vamos te contar tudo sobre os benefícios de investir no potencial global da empresa. Vamos conhecê-los?

Vantagens de investir na internacionalização

Diminuir a dependência do mercado interno

Entrar em outros países vai te proteger contra os riscos das flutuações do mercado interno. Quanto menos a sua lucratividade depender de apenas um local, maiores são as chances de você conseguir manter a sua estabilidade. Além disso, atuar em mais de um país aumenta as chances de crescimento para a sua empresa.

Tornar a marca internacional

Ter uma marca conhecida internacionalmente traz vários benefícios. Na hora de expandir para outros países, por exemplo, fica muito mais fácil competir. Outra vantagem é o potencial do seu negócio, pois quando você expande em nível internacional, não há um limite de crescimento — já que você alcança cada vez mais pessoas.

Transformação digital

Nunca houve um momento tão favorável para a expansão global quanto agora. Por causa da transformação digital, hoje as empresas nacionais e internacionais conseguem se conectar pelo mundo, alcançando mais clientes e competindo em vários mercados além do local.

Na verdade, expandir digitalmente vem se tornando essencial para o sucesso dos empreendimentos.

Aprimorar a qualidade do produto ou serviço

Atuando em nível mundial, você vai testar o seu serviço em diferentes lugares e culturas, o que no final o tornará mais aprimorado. Além disso, você também receberá auxílio de pessoas com diversos conhecimentos e culturas que podem te ajudar a melhorar o seu negócio com insights inovadores.

Por onde começar a desenvolver o potencial global da empresa

Diversificar o quadro de funcionários

Para começar o processo de internacionalização, você não precisa ir direto para outro país e pode começar do seu lugar atual. Uma forma de fazer isso é diversificar o quadro de funcionários. Englobando funcionários estrangeiros à sua equipe você também vai adquirir habilidades de gestão multicultural que serão muito úteis no futuro.

Ver se o produto atrai colaboradores de outro país

Saber se a sua mercadoria seria atrativa em outro país é fundamental. Por isso, você deve investigar a visão que as pessoas têm do seu produto, se ele é já é conhecido, se a população já o usa e o aprova. E o mais importante, se ele é conhecido pela mão de obra local, pois, caso seja, você pode expandir a produção para o novo lugar.

Não se esqueça de que a ajuda de colaboradores locais será importante para entender a cultura e fazer com que o seu empreendimento consiga competir em pé de igualdade no mercado e ser compreendido pela população.

Ter um produto com apelo global

Se o seu produto já tem demanda estrangeira, ele já tem um grande potencial de exportação. Mas além disso, você precisa estar atento às necessidades do mercado em que vai atuar, como o design, a adequação às normas técnicas e a estratégia de marketing. Só assim você vai garantir a aceitação no novo país.

Depois de saber mais sobre o potencial global da empresa, você viu que a internacionalização não é apenas uma tendência, mas pode ser a grande diferença entre você e o seus competidores. Por isso, não se esqueça das nossas dicas!

Gostou do conteúdo? Baixe o nosso ebook sobre Gestão de Recursos Humanos Internacionais e aprenda mais sobre o potencial global de seu negócio!

3 vantagens de contratar um estagiário estrangeiro

 

Na hora de contratar um novo estagiário, é preciso estar atento a diversas questões, como os aspectos legais do modelo de trabalho e o perfil do candidato em si. O que poucas empresas sabem é que é possível inovar também nesse tipo de contratação. Contratar intercambistas, por exemplo, pode ser uma ótima opção para a sua empresa.

Para explicar melhor, listamos aqui 3 vantagens de contratar um estagiário estrangeiro. Veja quais são!

1. Capital humano diversificado

O enriquecimento que o convívio entre pessoas de diferentes culturas traz é o que motiva milhares de pessoas a se aventurarem em novos países todos os anos. E tratando-se de uma empresa, quanto mais diverso for o capital humano, mais rico também ele será.

Assim ocorre no Google, um dos empreendimentos de maior sucesso nos últimos anos. Em seu quadro efetivo, existem pessoas do mundo todo. Segundo gerentes e recrutadores, a busca pela diversidade é uma constante na empresa. Em relação a seu impacto nos negócios, é justamente esse fato que faz com que eles consigam agradar a um público tão diversificado.

2. Abertura para uma percepção diferenciada.

Nada melhor do que alguém de fora para enxergar de maneira diferente o que nós, brasileiros, estamos acostumados a fazer sem nos questionarmos. Logo, a presença de um estagiário estrangeiro poderá se transformar em uma oportunidade de rever certos conceitos com que a empresa trabalha, modificar o que se julgar necessário e valorizar aquilo que é feito de maneira automática.

Todos sabem do valor que o feedback tem na rotina de uma empresa, além do seu papel transformador se as pessoas forem capazes de utilizá-lo de maneira consciente e construtiva.

Os Jogos Olímpicos desse ano, que aconteceram na cidade do Rio de Janeiro, são o maior exemplo para nós do quanto o contato com pessoas de países completamente diferentes pode ser rico. A presença de  um estrangeiro mudou o olhar dos brasileiros em relação a sua própria cultura, sendo esse ponto uma das oportunidades únicas que essa troca possibilita.

2. Contratar intercambistas traz aprendizado

Sem dúvida, a presença de um estrangeiro na empresa tira todos de sua zona de conforto. Além de fazer com que a equipe perca o medo desse contato, ela traz um desafio concreto para colaboradores, que é o de justamente aprender outro idioma.

Uma cultura de aprendizado é o que toda organização deve buscar nos dias de hoje, uma vez que vivemos uma era em que o conhecimento ocupa um lugar central e pode levar empresas cada vez mais longe, construindo uma trajetória de sucesso mais duradoura.

É preciso lembrar, no entanto, que existem três maneiras de contratar intercambistas: a Resolução Normativa 111 que estabelece um prazo máximo de 120 dias para o estagiário (sem precisar estar matriculado em universidade brasileira), a Resolução 88 e a de número 94, a qual abrange, também, intercambistas recém-formados.

Gostou desse conteúdo? Aproveite para conferir também nosso artigo sobre por que recrutar candidatos que fizeram voluntariado!

A importância de valorizar o jovem de perfil empreendedor

O Empreendedorismo é uma prática cada vez mais valorizada pelos brasileiros, mesmo em época de crise econômica. A habilidade de propor novas soluções para o mercado vem recebendo incentivo para ser desenvolvida, principalmente entre os jovens, coisa que não acontecia com tanta frequência nas gerações anteriores. Os profissionais que estão chegando ao mercado, cada vez mais se enquadram dentro desse perfil e isso é muito vantajoso para as empresas. Quer saber por quê? Por algumas qualidades interessantes que eles possuem para ser um bom funcionário e que ajudam no crescimento de uma empresa. Confira:

Proatividade

Uma das principais características do jovem que se encaixa no perfil empreendedor é a proatividade. Quando ele se interessa por um assunto, ele é o tipo de pessoa que corre atrás de conhecimento e soluções, mesmo que não cobrem isso dele. Tal característica é bastante valorizada na hora da contratação numa empresa, pedir ajuda quando necessário, mas caminhar com suas próprias pernas durante os serviços.

Vontade de fazer

Mão na massa é algo que combina perfeitamente com empreendedorismo, afinal, não dá para abrir negócios e fazer novas propostas para o mercado sem muita dedicação e esforço. Jovens que já possuíram contato com iniciativas empreendedoras, seja através de projetos em ONGs ou na faculdade, geralmente desenvolvem bem o “querer fazer” e o espírito de liderança. A capacidade de dirigir e delegar tarefas é bastante comum do perfil empreendedor. Um bom líder tende a trabalhar bem em equipe e focar em iniciativas que beneficiem os negócios e as pessoas.

Inovação

O jovem, atualmente, possui muitas ferramentas para se informar e desenvolver sua criatividade. Isso é aproveitado na hora que ele pensa em abrir seu próprio negócio. Enquanto não possui investimento para isso, costuma colocar em todas suas experiências profissionais os princípios de fazer diferente e encontrar saídas diferentes para as questões que precisam resolver.

Deseja jovens empreendedores em sua empresa? Conheça um pouco mais o programa Talentos Globais da AIESEC e se torne parceiro!

A importância do feedback para uma empresa

Uma empresa que se preocupa com o crescimento dos seus funcionários e de bons resultados, provavelmente já é uma adepta do sistema de feedbacks. Essa técnica é essencial para estabelecer uma relação de confiança entre colaboradores e líderes, além de ajudar a aprimorar habilidades e solucionar problemas no ambiente de trabalho. Segundo um estudo global do Top Employers Institute, essa foi eleita, num levantamento feito com 600 empresas pelo mundo, a melhor forma de avaliação de desempenho. Veja a seguir as vantagens de implementar o feedback em uma empresa:

Para os funcionários

Reconhecimento é algo muito importante para o ser humano. De acordo com um artigo do Instituto Brasileiro de Coaching, existem alguns estudos que mostram que nosso cérebro tem uma parte dedicada à recompensa e a motivação. Assim, quando essa área é ativada, o corpo libera substâncias que fazem com que a pessoa fique mais comprometida e focada em suas metas.

Logo, ter o reconhecimento de pontos bons ajuda bastante no empenho de atividades. Mas, como nem tudo são flores, o feedback vem também para apontar melhorias. Sendo indicadas da maneira certa e com a sugestão de caminhos produtivos, essa é uma ótima maneira de desenvolver o contratado, colocando metas flexíveis e criando um diálogo contínuo durante a transformação.

Para a empresa

O objetivo de um empreendimento é crescer e alcançar cada vez mais resultados positivos, certo? Para isso é necessário, além de outras coisas, que exista uma equipe qualificada por trás dos serviços. Utilizando a técnica do feedback, os líderes de uma empresa conseguem uma relação mais próxima com seus colaboradores, aprendendo suas necessidades, forças e fraquezas. Assim, é possível encontras soluções para os problemas de forma mais simples, ter mais propriedade para negociar com um funcionário e indicar caminhos para o aprimoramento de suas habilidades.

E como é feito um bom feedback?

Confira algumas dicas para realizar um bom feedback:

1- Se organize

Pense no que e em como você irá falar

2- Escolha o lugar certo

Pense num ambiente quieto e confortável, para diminuir a tensão

3- Não comece pelos pontos negativos

A pessoa pode ficar chateada e na defensiva para ouvir o restante das coisas.

4- Fale mas também escute

Escute as opiniões da pessoa recebendo o feedback e esteja aberto a tirar dúvidas e a acompanhá-la ao decorrer da transformação.

5- Cuidado com as palavras

Escolha com cuidado que palavras usar e lembre-se, o feedback é para ser construtivo e trazer melhorias, não tristeza e desmotivação

3 erros que bons líderes não devem cometer

Ter um perfil de liderança é algo que vem sendo bastante valorizado pelas empresas na hora de escolher seus funcionários. Mesmo que você ainda seja um “subordinado”, é importante buscar exercer hábitos praticados por um líder pois, muitas vezes, existem situações de trabalho em equipe que é preciso ter alguém para delegar tarefas. Quer desenvolver características de liderança? Veja alguns erros que bons líderes não devem cometer:

Querer fazer tudo sozinho

Conhecer bem e ter confiança no time que você trabalha é essencial. Assim, será possível distribuir as tarefas de uma forma que não sobrecarregue ninguém. Além disso, se você tiver um conhecimento amplo sobre alguma coisa, é interessante compartilhar com o restante da equipe. As pessoas podem realizar o trabalho e você supervisionar, tirar dúvidas. Guardar um conhecimento apenas para você e não se preocupar com o aprendizado do outro é egoísta e péssimo para a imagem de um líder.

Falar uma coisa e fazer outra

Como já foi citado no item anterior, confiança é essencial na hora de construir coisas em grupo. Logo, é importante para um líder ser uma pessoa de palavra. Se propôs a fazer algo? Então faça. Falar uma coisa e fazer outra é uma armadilha para figuras de liderança, já que assim ela perde toda a autoridade para cobrar bons resultados. O líder é o espelho e inspira os demais. Não atrapalhe o andamento de todo um grupo!

Enxergar as pessoas da equipe como inferiores

Sim, existe uma hierarquia dentro de qualquer lugar mas, respeitar as pessoas que trabalham com você independente do cargo é essencial. Tenha tempo para observar seu time e se disponibilizar ajuda a aumentar o conhecimento do colega. Rotular as pessoas é péssimo. Procure entender os pontos fracos e fortes de cada membro do grupo e se dedicar a ensinar quem tiver precisando de uma mão.

Saber, não só liderar, mas também fazer parte de um trabalho em equipe é essencial para qualquer bom profissional. Quer saber mais sobre liderança? Clique AQUI.

Qual é a importância do Marketing Pessoal?

O Marketing é um conjunto de estratégias que visa atender as necessidades dos clientes de uma empresa e fortalecer sua imagem no mercado, certo? Já pensou que é possível criar alguns caminhos para fazer isso com sua própria imagem, como se fosse um negócio? É assim que funciona o Marketing Pessoal. Se você deseja ser referência no seu segmento, ele é essencial e deve ser trabalhado o tempo todo.

Vamos começar pensando em redes sociais. Não que você vá fazer todas elas de perfis profissionais, mas é interessante levar em consideração que funcionários, parceiros e possíveis clientes podem ter acesso ao que é compartilhado. Então, é possível aproveitar essa oportunidade para compartilhar conteúdos interessantes e reforçar sua autoridade no seu segmento. Esse é um modo de fortalecer a marca “você”. Porém, é preciso também ter cuidado com tudo que é falado, seguindo essa mesma lógica do público que você tem na internet.

Para além do online, é importante que você cuide da sua aparência, tanto física quanto no modo de se comportar. Vai do modo como você se veste até como compartilha seu conhecimento e valoriza o do outro. É necessário lembrar de cuidar da sua imagem mas sem fingir algo que você não é.

O autoconhecimento é uma ferramenta chave para um bom Marketing Pessoal. Sabendo suas habilidades, defeitos e qualidades fica mais fácil de destacar os pontos positivos e mostrá-los na sua vida profissional. Você escreve bem? Que tal produzir artigos e publicar em blogs? Tem uma didática muito boa? Que tal fazer um vídeo discutindo sobre um assunto? Aproveite suas habilidades!

Resumindo, para construir uma estratégia de Marketing Pessoal, você levará em consideração elementos parecidos com os do Marketing tradicional: o público, o produto e os objetivos. Vamos recapitular o que fazer, então?

1- Tenha cuidado com as redes sociais, observe o que é bom e o que não é ideal postar

2- Invista no visual e preste atenção no seu comportamento perante as pessoas

3- Compartilhe seu conhecimento

4- Observe seus pontos fracos e fortes

Procure estar atento a essa dicas, construa um Marketing Pessoal eficiente e aumente sua visibilidade como profissional.