Internacionalização da empresa: como o processo impacta o RH?

A internacionalização é uma estratégia que vem sendo adotada por diversas empresas como uma saída para não depender tanto da demanda do mercado interno e também para potencializar suas vendas e seus conhecimentos no setor ao qual está inserido.

Dentre as estratégias de internacionalização mais adotadas pelas organizações, podemos citar a exportação de seus produtos, a criação de uma filial da empresa em outro país, ou ainda, a contratação de colaboradores estrangeiros, que trazem consigo um know-how interessante, enriquecendo culturalmente e profissionalmente o negócio.

É claro que antes da internacionalização de uma empresa, deve haver um amplo processo de planejamento, e é a partir dele que os gestores vão decidir qual estratégia utilizar e se ela realmente é viável e benéfica para o seu mercado de atuação.

Aqui, podemos citar algumas das vantagens normalmente obtidas pelos processos de internacionalização, como: não depender apenas das demandas sazonais do próprio país, aumento da qualidade do produto, devido aos altos padrões de qualidade de importação dos países de destino, diminuição dos tributos e a expertise de profissionais que atuam em outros mercados.

Entretanto, o processo de internacionalização traz muitas novidades para o cenário da empresa, por meio de diferentes culturas e backgrounds.

Por isso, o RH da companhia precisa estar preparado para lidar com todas essas mudanças e incentivar o aprendizado entre todos os seus colaboradores. Confira algumas dicas!

Informe-se sobre a nova cultura

Ao contratar um profissional vindo de outro país, saiba que não é apenas ele que deve se preocupar em conhecer e entender as diferenças culturais entre o seu país e o país no qual virá trabalhar.

Seus novos gestores também devem se preparar para recebê-lo e fazer o possível para que o choque cultural seja minimizado e o colaborador sinta-se à vontade em seu novo ambiente de trabalho.

Com certeza, a pessoa que vem de outro país enfrentará certas dificuldades até se adaptar completamente a essa nova cultura, e isso faz parte do seu aprendizado e do seu crescimento tanto profissional quanto pessoal.

Porém, o que os gestores e colegas puderem fazer para que ele sinta que é bem-vindo ao local de trabalho, vai fazer toda a diferença.

Por esse motivo, antes da chegada do novo profissional, estude bastante a sua cultura e seus hábitos, faça perguntas a ele e, principalmente, conheça as diferenças com relação ao funcionamento das leis trabalhistas e fiscalização das atividades exercidas em seu país de origem.

Também é importante lembrar que a parte burocrática como o visto de trabalho e a confecção do contrato devem estar de acordo com todas as leis e normas que regem os direitos dos estrangeiros em nosso país.

Tudo isso vai auxiliar, e muito, na hora de criar as políticas e procedimentos específicos para o exercício das atividades em outro país, ou na hora de adaptá-los e explicar melhor como funcionam os processos aqui, para os colaboradores que vem de fora.

Construa um time

Se no processo de internacionalização da sua empresa a criação de uma filial em outro país seja uma das estratégias, você primeiro deve tomar muito cuidado com a criação do RH local, já que mesmo que a organização esteja inserida em outra cultura, sua missão, visão e valores devem ser mantidos.

Por isso, leve profissionais daqui para realizarem treinamentos efetivos, não apenas sobre o trabalho e as funções em si, mas também sobre toda a cultura organizacional da empresa.

Provavelmente, as diferenças culturais que incluem a legislação farão com que algumas regras sejam distintas em cada país, mas a essência da companhia será a mesma e ela deve ser preservada.

Tanto nos casos de criar equipes em outro país ou trazer profissionais estrangeiros para trabalhar aqui, a construção de um time é muito importante.

Separe um dia no qual toda a equipe responsável por um projeto ou por um setor possa construir a sua própria identidade, levando em consideração as metas e os objetivos deste setor.

Esse deve ser um momento no qual o líder vai conhecer melhor cada membro de sua equipe, inclusive os estrangeiros, e vice-versa, criando laços fortes entre eles e um sentimento mútuo de confiança e pertencimento.

Deixe bem claro que eles são parte de um time em que podem dar sua opinião e trabalhar juntos para a conquista de um objetivo em comum, sendo cada um uma parte fundamental para o desenvolvimento do trabalho.

Promova a integração da equipe

Trabalhar com pessoas de outra cultura pode ser bem difícil no início, e garantir que essa integração aconteça da melhor maneira possível, garantindo o conforto e a produtividade do profissional, também é uma responsabilidade do setor de RH.

Muitas vezes, o funcionário pode ter um líder imediato, mas ele também pode enfrentar dificuldades em lidar com essa situação. Sendo assim, fica a cargo do RH, supervisionar essa relação e sanar as possíveis dúvidas e dificuldades que possam surgir, principalmente durante o período de adaptação.

Criar um calendário separando alguns horários para ter conversas individuais com os líderes e com os estrangeiros é muito importante durante todo o processo. Nessas reuniões, podem ser perguntadas quais as principais dificuldades e colhidos feedbacks que devem ser utilizados estrategicamente para a melhoria dos processos e relacionamentos.

Incentivar o trabalho colaborativo entre todos os membros do time também é fundamental para que os resultados da empresa sejam potencializados.

É comum que os outros colaboradores fiquem mais motivados e engajados com a chegada de um profissional de outro país, e a empresa deve saber usar essa motivação a seu favor.

Se possível, incentive o aprendizado de um novo idioma, firmando parcerias com escolas de idiomas, que oferecem descontos para alunos corporativos, ou se a realidade financeira da empresa permitir, invista nisso!

Padronize os sistemas

Trabalhar com um sistema padrão e unificado, em todas as filiais da organização é um dos pontos-chave para evitar as falhas de comunicação e a perda de informações durante o processo.

Isso já é algo fundamental em qualquer empresa, independente do seu tamanho, mas se torna ainda mais indispensável quando falamos de filiais que atuam em outro países.

Procure escolher um software completo e que atenda todas as demandas e necessidades de todos, ou quase todos, os setores da companhia. Ter todas as informações e banco de dados com fácil acesso, independente do local do escritório, vai facilitar bastante a globalização do seu negócio.

Está pensando em adotar uma estratégia de internacionalização na sua organização e contratar estrangeiros para fazerem parte da sua equipe? Baixe o nosso e-book com dicas valiosas para a contratação de estrangeiros!

Aprenda como encontrar funcionários e estagiários criativos

A criatividade é a habilidade de criar, de transformar e de inovar. Toda empresa precisa de inovação para continuar existindo. Portanto, entender como encontrar funcionários criativos é muito importante para qualquer negócio.

Essa tarefa, porém, pode se tornar um desafio quando o profissional de RH não sabe onde buscar pessoas com perfil criativo para preencher as oportunidades da empresa.

Neste post, você entenderá melhor a importância da criatividade no ambiente corporativo e aprenderá como encontrar bons profissionais com essa característica. Continue lendo!

Investir na criatividade em sua empresa é fundamental

Uma das principais características de um funcionário criativo é a habilidade de simplificar as coisas. Mesmo as demandas mais complexas não desanimam as pessoas criativas, porque elas sempre encontrarão uma maneira de resolver a situação.

Pense se essa fosse a consciência geral dos funcionários da sua empresa: com certeza, haveria menos burocracia, mais agilidade para tomar decisões e todos os processos fluiriam com mais harmonia.

Os funcionários criativos também são essenciais para destacar a sua empresa no mercado, pois eles contribuem com ideias inovadoras que se transformam em diferenciais e deixam a concorrência para trás.

Além disso, um time criativo consegue superar as crises com mais facilidade. É no momento de adversidade que as pessoas criativas encontram o melhor caminho para conquistar seus objetivos de maneira mais acertada.

Como encontrar funcionários criativos

Listamos os melhores lugares para você encontrar pessoas criativas para a sua empresa. Confira:

Agências de talento

Uma agência de talento é diferente de uma agência de RH porque tem a missão de encontrar profissionais talentosos, que tenham o perfil ideal para a sua empresa.

Elas possuem ferramentas capazes de encontrar os candidatos mais indicados para as oportunidades da sua companhia. Dessa maneira, você realiza uma contratação segura e tem a certeza de que o recém-chegado vai somar de verdade na sua equipe.

Freelancers

O freelancer é um profissional autônomo que se relaciona com as empresas de maneira independente. Eles são livres de obrigações comuns do ambiente corporativo, como as horas de trabalho fixas.

Um freelancer consegue se dedicar muito mais aos grandes projetos e, por atuarem com outras empresas, possuem uma noção muito mais abrangente e diversificada do mundo dos negócios. Isso pode ser uma carta na manga quando o assunto é inovação.

Os freelancers também representam uma boa maneira de introduzir a diversidade na sua empresa, uma vez que eles possuem conhecimentos e crenças diferentes do que é aplicado no dia a dia do seu ambiente de trabalho.

Redes sociais

As redes sociais funcionam como um ótimo filtro para encontrar pessoas criativas. Com elas, você pode buscar por referências, conhecer trabalhos anteriores e até entender um pouco mais do perfil do candidato.

Elas também servem para que você crie sua própria rede de pessoas criativas, que podem estar interligadas em um grupo no Facebook ou no LinkedIn. Dessa maneira, as chances de encontrar exatamente o que você procura se potencializam.

Usar o poder das redes sociais para encontrar os melhores talentos é uma maneira de tornar o RH mais estratégico e mais ligado com o que acontece dentro e fora da empresa.

Palestras e workshops

Se a empresa em que você trabalha costuma promover ou apoiar cursos, palestras e workshops, é hora de começar a prestar mais atenção na plateia. Ali no meio pode estar o próximo talento criativo da sua equipe.

Fique de olho nos participantes que fazem perguntas mais elaboradas e naqueles que permanecem no lugar mesmo depois do fim da apresentação para bater um papo com os palestrantes. Estes são indícios de pessoas interessadas em aprender e evoluir.

Colocando nossas dicas em prática, os grandes talentos começarão a passar pela sua porta em pouco tempo! Gostou de descobrir como encontrar funcionários criativos? Então veja como fazer a descrição de cargos da sua empresa para garantir as melhores contratações!

Conheça as tendências de Employer Branding

Gerir talentos é um dos principais desafios dentro de uma organização. Por isso, muitas empresas estão investindo em tendências de Employer Branding, que é um conjunto de técnicas para definir a reputação de uma empresa enquanto marca empregadora. Ou seja, é forma como o mercado e potenciais colaboradores enxergam a sua empresa.

Atualmente são os colaboradores que escolhem as empresas, e não o contrário. E a escolha de boa parte desses profissionais é baseada na qualidade de vida e do ambiente de trabalho. Logo, o Employer Branding é utilizado para evidenciar o valor da empresa enquanto empregadora, demonstrando o seu diferencial em relação ao mercado.

Para consolidar uma marca positiva, a empresa precisa conhecer as melhores práticas e tendências de Employer Branding e, assim, criar estratégias eficazes para atrair, recrutar e manter os melhores talentos.

Que tal entender um pouco mais sobre essas tendências, que podem impactar o futuro da sua instituição? Continue a leitura do artigo!

Engajar pessoas como tendência de Employer Branding

Essa sem sombras de dúvidas, é a principal estratégia de Employer Branding. O primeiro passo é definir a Proposta de Valor ao Empregado (PVE), ou seja, os principais benefícios que a sua empresa oferece em troca do trabalho e desempenho do colaborador.

Para elevar o Employer Branding da sua marca, é fundamental focar em ações que aumentem o bem-estar dentro da empresa. São alguns pontos que colaboram para o sucesso das estratégias de Employer Branding no ambiente interno:

  • investir no desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores;
  • propiciar melhorias nas condições de trabalho;
  • inserir o público interno nas decisões estratégicas da empresa

Estreitar relações entre Marketing e Rh

Para o sucesso das estratégias de Employer Branding, é necessário estreitar as relações entre Marketing e Recursos Humanos, pois, a meta principal é cativar pessoas e atrair talentos. Não existe nada mais estratégico para a sua empresa do que poder contar com os melhores profissionais do mercado.

Por isso, embora o Employer Branding seja um trabalho de marketing, voltado para a gestão da marca empregadora, ele precisa ser desenvolvido em parceria com o departamento de recursos humanos.

Criar estratégias digitais para fortalecer sua marca

A criação de campanhas de Employer Branding na internet — especialmente nas redes sociais como Facebook, Linkedin e Twitter — colaborou para a adaptação e direcionamento das mensagens. Algumas empresas também estão investindo na estruturação e manutenção de grupos sociais (comunidades) com temas de interesse dos potenciais colaboradores.

As estratégias de Employer Branding em ambiente digital devem disseminar o que significa trabalhar na sua empresa e a forma como a cultura organizacional propicia um ambiente satisfatório de trabalho. Para isso, segmente o perfil ideal de candidatos, e utilize descrições personalizadas de acordo com o que a empresa espera do candidato.

Atrair os melhores talentos é extremamente positivo para as empresas, mas mantê-los também prevê grandes benefícios, como redução de custos e rotatividade. Seguindo as principais tendências de Employer Branding, certamente a sua empresa obterá um série de vantagens.

A Votorantim Cimentos, o Santander, a Kroton e o Itaú são algumas empresas que seguem essas tendências de Employer Branding.

Gostou do artigo? Conte-nos como a sua empresa tem feito para melhorar a sua marca empregadora no mercado? Vocês já utilizam alguma técnica de Employer Branding? Deixe um comentário!

5 dicas para criar política de Recursos Humanos

Você sabe o que o setor de recursos humanos da sua empresa faz? Ele vai muito além de realizar a admissão/demissão, folha de pagamento e o controle de benefícios. O RH não se limita a essas atividades. A gestão de pessoas e o investimento no capital humano também são tarefas exercidas por essa área e, por isso, é essencial que se crie uma política de recursos humanos.

De forma simplificada, essa política representa um passo a passo de como devem ser os procedimentos em relação a algo de RH. É um conjunto de diretrizes e condutas que uma empresa deve adotar para realizar a administração dos colaboradores. Assim, eles podem exercer suas tarefas da melhor maneira. 

Para apoiar os profissionais da área, neste post abordaremos 5 dicas de como criar a política de RH. Acompanhe!

1. Elabore um plano estratégico para criar a política de Recursos Humanos

Primeiramente, é necessário desenvolver um plano estratégico de RH, que consiste em um manual de ações que visam ao crescimento da empresa e que estipulam quais são os objetivos e as metas do negócio.

Esse plano deve ser baseado em uma avaliação atual do ambiente de trabalho como, por exemplo, os pontos a serem desenvolvidos e o estabelecimento de condutas a serem aderidas.

2. Defina bem o recrutamento e a seleção 

É de responsabilidade desse setor contratar o profissional mais adequado para o cargo e evitar o turnover. Para tal, é preciso definir os parâmetros que serão levados em consideração na hora de avaliar os candidatos.

Para que isso seja feito com qualidade, algumas ações podem ser tomadas:

  • elabore procedimentos e fluxos eficazes;
  • tenha um banco de currículos;
  • aplique testes nos candidatos;
  • sempre dê o feedback a todos os candidatos;
  • crie um processo de contratação e de integração.

3. Ofereça treinamentos e cursos

O objetivo é capacitar, qualificar e desenvolver funcionários por meio de treinamentos e cursos que estejam alinhados com as metas da empresa. Eles podem ser comportamentais, de línguas, informática, dentre outros.

O treinamento sempre é uma forma de investimento e complemento que apoia no alcance dos objetivos, não devendo ser visto somente como algo obrigatório. Desse modo, é importante desenhar um programa que identifique as competências primordiais para a organização.

Faça um levantamento e um orçamento de todos os treinamentos necessários para seus colaboradores, defina quais são os essenciais para determinada função ou área, crie calendários (de preferência anual) e realize a avaliação de eficácia.

4. Avalie o desempenho

A avaliação de desempenho é um processo que permite ao colaborador identificar e analisar os seus pontos fortes e de melhoria, gerando assim uma melhor performance no cargo.

Além de proporcionar uma reflexão, motiva o colaborador a planejar sua carreira dentro da empresa.

No momento de elaborar a política, estabeleça em qual periodicidade ocorrerá a avaliação de desempenho, quais critérios serão analisados e qual profissional será o responsável pela atividade.

5. Evite boatos e ruídos com a comunicação interna

Fazer uma boa gestão de pessoas pode se tornar algo difícil quando não se tem uma política bem estruturada, uma vez que é ela uma das ferramentas mais eficazes para estreitar a comunicação e promover o clima organizacional.

São realizadas ações como informativos em murais, e-mails institucionais, novidades, tudo para deixar claro para os seus colaboradores o que está acontecendo na organização. Ademais, é imprescindível que a empresa mostre que ela está aberta a ouvir críticas, sugestões ou reclamações.

Em suma, fazer uma boa gestão de pessoas pode se tornar algo difícil quando não se tem uma política de recursos humanos bem estruturada, uma vez que é ela que define o conjunto de regras a serem seguidas. 

Com nossas dicas, ficará mais fácil criar uma política de recursos humanos em sua empresa! Gostou do artigo? Baixe nosso e-book e tenha acesso a muito mais conteúdo informativo!

Entenda como evitar processos trabalhistas

Para ter um negócio de sucesso, é necessário que o empreendedor pense à frente, se antevendo aos problemas. Entre os mais recorrentes estão os processos trabalhistas. Como a carga tributária no Brasil é muito alta, muitos empregadores acabam contratando funcionários sem devida formalidade para evitar o pagamento de mais impostos.

O problema é que esse tipo de comportamento causa muitos problemas e uma grande dor de cabeça. Para não correr o risco de ter um empregado entrando com uma ação judicial contra a sua empresa, veja as dicas que preparamos para que você evite esse tipo de situação!

Cumpra o que está na lei

Uma das melhores formas de evitar um processo trabalhista é, simplesmente, cumprindo a lei. Na Consolidação das Leis do Trabalho, mais conhecida como CLT, é possível identificar todas as normas que devem ser seguidas na hora de contratar um funcionário.

E fique sempre atento a isso porque as leis no nosso país mudam constantemente. Por exemplo, já temos uma mudança sobre a questão da terceirização do trabalhador. Caso você não tenha como despender tempo para isso, contrate alguém que faça por você.

Trate os subordinados com respeito

Ser respeitado e mostrar a sua autoridade dentro do ambiente de trabalho não significa que você precise tratar mal as pessoas. Todos os funcionários merecem ser tratados de forma digna como qualquer outro ser humano. A lógica é simples: trate as pessoas como você gostaria de ser tratado.

Formas humilhantes, perseguição e ridicularização para com o empregado dentro do ambiente laboral pode causar sérios problemas com a justiça. Ele pode ingressar com uma ação de assédio moral contra a sua empresa.

Demita sem deixar ressentimentos

Uma demissão mal feita pode trazer consequências ruins para a empresa. O funcionário, munido de um sentimento de vingança por conta do que foi falado no momento da demissão, pode querer revidar entrando com um processo na justiça do trabalho. Um mínimo detalhe pode ser motivo para que isso aconteça.

Portanto, na hora de demitir, converse, argumente, mostre para o funcionário de forma clara os motivos pelos quais está fazendo isso. Escute o que ele tem a dizer, afinal de contas, para ele é um momento de grande preocupação.

Cuidado com as brincadeiras

Muitas vezes, pelo contato diário com uma pessoa, acabamos nos afeiçoando e criando uma certa liberdade. As brincadeiras entre colegas de trabalho são bem comuns e ajudam a criar maiores laços dentro da empresa, porém, é preciso ter equilíbrio.

Tente sempre manter um certo limite, afinal de contas, ele não é seu amigo e sim o seu funcionário. Você pode exagerar e cometer alguma gafe, expondo a pessoa ao ridículo perante os colegas. Caso ele sinta-se ofendido, isso pode gerar um processo na justiça e você pode ser penalizado pelas palavras ditas de forma errada e no momento errado.

Mantenha o contrato de trabalho compatível

Precisa mudar um funcionário de função? Para isso deve ser realizado um acordo entre as partes e se o funcionário aceitar a mudança, então o contrato também deve ser modificado. Ele deve receber a remuneração compatível com o novo cargo e todo o material que precisará para exercê-lo.

Tem mais alguma dica sobre como evitar processos trabalhistas? Então compartilhe-as comentando aqui!

Como motivar funcionários sem afetar o orçamento da empresa?

Manter a motivação dos colaboradores é uma tarefa que exige planejamento por parte do RH de uma empresa. Isso porque, para colocar em prática ações eficazes, é necessário envolvimento dos diferentes níveis hierárquicos e, dependendo do que será feito, destinar uma verba para isso. Mas como motivar funcionários sem afetar o orçamento da empresa?

A seguir você descobrirá algumas dicas simples de como colocar essa ação em andamento. Continue a leitura e veja como motivar os funcionários é possível, mesmo gastando pouco!

Ofereça um plano de desenvolvimento de carreira

Muitos candidatos a uma vaga dentro da empresa a escolhem pelos benefícios oferecidos, o que inclui salário, bônus, ambiente de trabalho aberto ao desenvolvimento, entre outros. No entanto, isso também deve ser trabalhado com os colaboradores que já estão inseridos dentro do seu quadro de funcionários.

Por isso, ofereça um plano de desenvolvimento de carreira. Isso motivará o colaborador a buscar aperfeiçoamento para ascender de cargo e, consequentemente, obter melhores salários e benefícios. Ademais, trará a vantagem de um trabalho mais bem elaborado, já que a ansiedade dele em relação ao futuro na companhia diminui bastante.

feedback e saiba como motivar funcionários

Dar um retorno sobre o trabalho de um funcionário é essencial para que ele possa melhorar e se desenvolver. Por isso, trabalhe o feedback sempre que possível para que o grupo tenha um norte sobre os próximos passos a serem dados.

Lembre-se de fazer isso de maneira individual para não criar indisposições e nem mesmo julgamentos. No entanto, dê um feedback coletivo para que o grupo aprimore o trabalho como um todo.

Permita a flexibilidade de horário

Com a modernidade, os trabalhadores têm prezado por muito mais que uma carreira, eles também desejam ter qualidade de vida e esperam que as empresas lhes deem a oportunidade de viverem isso. Por esse motivo, se você deseja profissionais mais motivados ofereça horários flexíveis de trabalho.

Muitas pessoas trabalham melhor na parte da manhã, mas outras funcionam melhor à noite. Logo, a opção de home office também deve ser estudada para que o colaborador possa atingir o seu máximo potencial.

Invista na capacitação

Outro aspecto que é bastante eficaz no processo de estímulo dos colaboradores é a capacitação. É fundamental que a sua empresa os incentive por meio de bolsas e cursos de capacitação.

Que tal oferecer treinamentos internos? Ou mesmo incentivar a mentoria interna? Isso, com certeza, fará com que ele veja a sua empresa com outros olhos, valorizando a preocupação dela para com o seu público interno.

Fortaleça a comunicação

Uma das maiores fontes de controvérsia dentro de uma empresa é a comunicação. Quando ela não está clara ou não atinge todos os níveis hierárquicos as mensagens podem gerar ruídos, o que acaba prejudicando a motivação dos colaboradores.

Por isso, para incentivar os funcionários, invista em um ambiente aberto ao diálogo. Não se esqueça de divulgar as conquistas, os projetos em andamento e o desempenho das equipes. Essas ações farão uma grande diferença.

Celebre as vitórias

Com funcionários motivados as vitórias serão mais constantes. Isso porque os colaboradores engajados produzem mais, além de serem mais propensos à inovação. Por isso, sempre que uma meta for batida comemore de alguma maneira com o seu grupo.

Não precisa gastar tanto dinheiro com isso. Pode ser uma reunião de confraternização pequena, um brinde, um dia de folga etc. Você deve escolher algo que se encaixe nas possibilidades da organização e converse com os desejos dos seus funcionários.

Falando nisso, não se esqueça de dar valor aos projetos pessoais dos seus colaboradores. Essa atitude os ajuda a desenvolver a autonomia e a trazer mais novidades para dentro da sua empresa.

Viu como motivar funcionários sem comprometer o orçamento é simples? Esperamos que tenha gostado do nosso conteúdo. Se tiver qualquer dúvida sobre o assunto ou quiser compartilhar suas ideias, deixe o seu comentário!

Como reduzir indicadores de absenteísmo nas empresas?

A qualidade e eficiência da equipe de trabalho são fatores determinantes para o sucesso de qualquer empresa, pois os trabalhadores são os principais protagonistas das atividades realizadas por ela. Assim, problemas dessa natureza podem terminar comprometendo os resultados empresariais e, consequentemente, seus funcionários. Reduzir os indicadores de absenteísmo, então, é algo crucial para a organização crescer e obter destaque no segmento em que atua.

A atividade empresarial é complexa e, por isso, deve ser repartida pela equipe de funcionários. Cada colaborador é responsável por uma parcela do todo, numa união de esforços individuais em prol de objetivos comuns. Para que as metas sejam alcançadas, é indispensável que todos trabalhem juntos. Se um deles falta, os colegas ficarão sobrecarregados, e isso prejudica o desempenho da equipe e interfere negativamente na motivação do grupo e na eficiência dos processos internos.

Em razão da gravidade do problema para o êxito das atividades e para os resultados comerciais, é preciso adotar medidas para combatê-lo de forma eficaz.

Neste post daremos 4 dicas para reduzir os indicadores de absenteísmo nas empresas. Confira!

1. Ofereça boas condições de trabalho

Uma das principais causas do absenteísmo é a insatisfação dos colaboradores com as condições de trabalho, o que causa desmotivação. Zelar pela qualidade do ambiente físico, conforto e ergonomia dos móveis e pela qualidade dos materiais e máquinas otimizará a realização das tarefas e trará mais satisfação para a sua equipe.

Além disso, também vale investir numa política de benefícios. Trabalhar para uma empresa que se preocupa com seu bem-estar e investe na sua qualidade de vida desenvolverá nos trabalhadores o sentimento de gratidão pela empresa e os motivará a se dedicar cada vez mais para o sucesso dela, evitando faltas.

2. Cuide do clima organizacional

Um ambiente tranquilo e harmonioso, além de ser fundamental para a fluidez das atividades empresariais, também reduzirá os indicadores de absenteísmo da empresa, uma vez que os funcionários se sentirão mais felizes e determinados a trabalharem mais e melhor, e não encontrarão obstáculos internos para isso.

Para isso, vale estimular as relações interpessoais entre os trabalhadores, o que pode ser feito com a promoção de encontros e eventos empresariais.

3. Invista em saúde ocupacional

O investimento em saúde ocupacional, além de evitar acidentes e promover melhores condições de trabalho para a sua equipe, também poupará importantes recursos financeiros da empresa.

A organização pagará menos impostos e não arcará com indenizações trabalhistas e previdenciárias. Além disso, também evitará afastamentos por acidentes de trabalho e a consequente necessidade de contratação de um trabalhador substituto.

4. Dê voz aos seus funcionários

Adotar políticas de valorização dos funcionários, permitindo que eles participem ativamente de todos os processos empresariais vai ampliar o nível de comprometimento e responsabilidade da sua equipe, que se sentirá peça fundamental da empresa, e não mera coadjuvante das atividades desenvolvidas.

Essa prática aumentará a autoestima dos trabalhadores e, consequentemente, a motivação e engajamento no trabalho, o que reduzirá o absenteísmo e elevará os resultados da organização.

Viu só como é possível reduzir os indicadores de absenteísmo da empresa com atitudes simples? Os trabalhadores são a força motriz de qualquer organização. Cuidar do bem-estar e da satisfação da equipe de trabalho, além de ser uma prática moralmente elogiável, também trará resultados concretos para o seu negócio.

Gostou do artigo? Sabe de mais alguma forma de combater esse problema nas empresas? Deixe seu comentário!

Benefícios para funcionários: por que são importantes?

Você já deve ter percebido que o perfil dos trabalhadores está mudando, principalmente entre os da geração Y. Hoje, oferecer um bom salário não é garantia de reter um talento em sua empresa. É preciso oferecer outras vantagens para motivá-lo a continuar fazendo parte da equipe.

Os funcionários precisam se sentir motivados e engajados para realizarem um trabalho cada vez melhor e conseguirem oferecer soluções criativas e inovadores aos clientes. Sendo assim, investir em benefícios para funcionários é fundamental.

A princípio, pode parecer um gasto sem muito retorno para a empresa, mas você verá que quanto mais vantagens são oferecidas aos empregados, maiores serão os resultados alcançados pela organização.

Por que investir em benefícios para funcionários?

Atualmente, passamos por um período em que é cada vez mais difícil encontrar mão de obra especializada de qualidade. Portanto, quando as empresas encontram um profissional competente, é importante não perdê-lo para a concorrência.

Até porque, cada vez que um funcionário é desligado, a organização tem um custo alto com todo o processo e mais gastos na contratação e treinamento de um novo profissional.

Desta forma, investir em programas de incentivo que tragam benefícios para o funcionário é uma forma de reduzir custos e contribuir com a qualidade de vida do profissional, aumentando, assim, sua produtividade. Afinal, um trabalhador motivado se dedicará ainda mais em suas tarefas.

Aliás, é possível que a empresa consiga reduzir até o número de faltas no trabalho, pois trabalhar em um ambiente que preze pelo bem-estar do colaborador reduz a probabilidade de doenças.

Além disso, esse investimento pode melhorar a imagem da empresa no mercado. Afinal, o funcionário que admira o seu local de trabalho compartilha seu orgulho pela organização com seu ciclo social.

Como funcionam os programas de incentivo?

Antes de tudo, é importante entender que os programas de incentivo vão muito além dos benefícios oferecidos por lei. Conceder assistência médica, plano odontológico e vale-refeição é importante, mas são benefícios que a maioria das empresas já apresenta.

Desta forma, a organização que consegue ofertar benefícios diferentes dos tradicionais será mais atrativa para o mercado profissional.

Para começar, existem programas de incentivo destinados a melhorar o clima organizacional. Celebrar datas comemorativas como Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal, por exemplo, melhoram o ambiente e valorizam os colaboradores.

Estes programas contribuem com a reputação da empresa, pois, geralmente, os empregados compartilham estas celebrações em suas redes sociais.

Outra forma de incentivo é recompensar os funcionários com premiações. Elas podem acontecer no cumprimento de metas da organização ou individualmente, por algum mérito do colaborador.

Neste caso, a premiação não precisa ser financeira, necessariamente. O funcionário pode ser premiado com viagens, bens de consumo ou refeições, como almoços e jantares. Aqui, é fundamental que o empregado premiado seja reconhecido publicamente dentro da empresa.

Mais uma forma é proporcionar programas que visem à melhoria da qualidade de vida do funcionário. Destinar espaços ou horários que os empregados possam ter momentos de lazer e descanso é um meio de aumentar a produtividade e estimular a criatividade do profissional.

Quais empresas já realizam?

Várias empresas já entenderam a importância de investir em benefícios para funcionários. Porém, existem algumas que conseguem ser tão inovadoras que se tornaram o sonho de local de trabalho de qualquer profissional. Uma delas é o Facebook.

A rede social oferece aos seus colaboradores transporte e refeições gratuitas, licenças ampliadas em caso de falecimentos, barbearia, cabeleireiro, espaço de jogos, conserto de celulares e outros dispositivos móveis.

Além dele, o Google também é uma das principais referências entre as melhores empresas para se trabalhar. O site de buscas oferece uma série de incentivos aos seus profissionais, provando que este tipo de investimento só traz benefícios para todos, funcionários e organização.

É importante lembrar que qualquer programa de incentivo deve estar relacionado aos objetivos estratégicos e coerentes à cultura organizacional da empresa.

Agora que você já sabe como é importante para uma empresa investir em benefícios para empregados, compartilhe conosco os programas de incentivo que a empresa onde você trabalha poderia realizar. Deixe o seu comentário!

Como o Endomarketing melhora a satisfação interna dos colaboradores?

O Endomarketing é uma estratégia voltada para atividades dentro das empresa. Tem por objetivo encantar o cliente interno com a missão, visão e valores da organização. Para um trabalho de Endomarketing eficiente, é preciso que a comunicação interna seja uma forte aliada.

O Endomarketing é uma das formas mais eficazes para reduzir a rotatividade de pessoas nas empresas, o chamado turnover, e também colabora para atrair os melhores profissionais. A estratégia ajuda na construção da imagem de bom lugar para se trabalhar, além de fidelizar os colaboradores como embaixadores da marca. Continue a leitura e saiba mais!

Por que o Endomarketing é importante?

Como uma estratégia de Endomarketing bem alinhada com a comunicação interna e os objetivos da organização, é possível criar influência em torno dos colaboradores dentro da própria empresa — as pessoas possuem contato diário com todos os processos e isso as torna mais capacitadas para dar opinião e influenciar outras a respeito da marca de modo geral.

A lógica é simples: quando os colaboradores estão satisfeitos com o trabalho e as condições dentro da organização, eles tendem a falar mais sobre as vantagens e benefícios para seu público de relacionamento.

Isso faz com que esse público passe a ter uma percepção diferente do negócio: começam a enxergar a empresa de uma forma mais humana e sociável, como uma empresa que faz a diferença na vida das pessoas.

Qual é a dica para uma estratégia de Endomarketing de sucesso?

Apesar do nome, Endomarketing não se resume apenas a ações de marketing. É uma junção de ações entre Recursos Humanos e o setor de marketing da organização. O RH precisa ficar atento às necessidades das pessoas que fazem parte da organização, transformando questões internas em possibilidade de melhora e trabalhando para garantir um clima organizacional favorável ao desenvolvimento das pessoas.

Para ser eficaz, o Endomarketing precisa motivar, fazendo com que os colaboradores realmente se sintam uma parte essencial dentro da organização. Para isso, o RH e a equipe de marketing precisam trabalhar juntos, buscando a interação do colaborador com a empresa, desenvolvendo atividades no cotidiano que resultem em uma maior motivação da equipe.

Como fazer Endomarketing?

São exemplos de Endomarketing:

  • ações que fomentam a participação da família junto à empresa;
  • treinamentos para habilitar os funcionários e os tornarem cada vez mais capacitados e preparados para enfrentar as atividades diárias;
  • troca de conhecimento entre os colaboradores;
  • valorização do desempenho individual e do time, mostrando a percepção positiva da organização diante do bom trabalho desenvolvido pela equipe.

Como o Endomarketing melhora a satisfação dos colaboradores?

Quando as pessoas estão mais felizes com o lugar onde trabalham, o rendimento delas é maior e elas estão mais dispostas para entregar seus resultados. Veja agora 4 vantagens que o Endomarketing traz para as empresas:

1. Colaboradores mais motivados

Isso acontece porque a organização se mostra mais aberta a ouvir e a oferecer informações direcionadas para a equipe interna. A performance das pessoas tende a aumentar consideravelmente ao perceberem que estão dentro de um ambiente que se importa com a qualidade do trabalho e bem-estar da equipe.

2. Baixa rotatividade de funcionários

Quando as pessoas estão mais motivadas e satisfeitas com o ambiente de trabalho, é notável que a rotatividade de funcionários diminui. Ao perceberem que estão inseridas em um ambiente de trabalho que preza pela qualidade e bem-estar dos funcionários, poucos se mostram dispostos a deixar a organização — não pensando apenas em remuneração, mas na importância que a empresa dá para todos os seus colaboradores.

3. Sentimento de pertencimento e lealdade

Um ambiente favorável ao desenvolvimento profissional impacta diretamente na lealdade e compromisso que as pessoas têm com o lugar onde trabalham.

4. Clima organizacional mais saudável e agradável

Quando a organização se preocupa com a qualidade de trabalho e bem-estar das pessoas que fazem parte dela, o fluxo de tarefas se ajusta e os processos passam a seguir de forma mais eficiente.

E então, o que você achou deste post sobre Endomarketing? Deixe seu comentário e compartilhe suas considerações!

Depois do feedback: como acompanhar os funcionários com follow up

Tão importante quanto planejar os rumos do negócio é monitorar os resultados almejados. Afinal, assim podemos acompanhar cada uma das metas e avaliar se estamos realmente no caminho certo. Parte desse monitoramento envolve os próprios colaboradores, que precisam atender o desempenho esperado para que toda a organização conquiste os resultados.

É durante o acompanhamento dos colaboradores que acontecem os famosos feedbacks. Nesse momento, os gestores trabalham no alinhamento, para que todos realizem suas funções da melhor maneira possível.

No entanto, é comum não saber o que fazer depois do feedback. Você vai descobrir, no post de hoje, como fazer o follow up junto à equipe. Confira!

Mantenha a postura de coaching

Depois do feedback, o colaborador precisa entender que ainda pode recorrer ao gestor. Por isso, é muito bom manter a postura de coaching. Assim, você não fecha o diálogo com o profissional, que poderá entrar em contato sempre que surgirem novas dúvidas a respeito dos processos internos da empresa.

Existem organizações que realizam um trabalho ainda mais intenso de coaching, internamente. As lideranças, mais experientes, se tornam responsáveis pelos novatos. Dessa forma, o fluxo de conhecimento da empresa é sempre reciclado e todos trabalham de maneira harmônica e coesa.

Claro que o coaching pode ser mais ativo, afinal, a ideia é realizar o follow up depois do feedback.

Parabenize o progresso individual

Quando for realizar o follow up, é importante sempre estimular o progresso do profissional, mesmo quando ainda existem questões a serem trabalhadas. Ele precisa entender o que está fazendo de errado e, também, o que está acertando, para que possa fazer as correções certas no desenvolvimento das suas tarefas. Generalizar, portanto, não é a solução.

Além disso, mostrar que o colaborador também age corretamente é uma forma de manter o seu motivacional, afinal, receber apenas críticas pode desestimular a ponto de influenciar até mesmo o que ele está realizando bem.

Estimule a autorreflexão

Embora a visão do gestor seja fundamental e determinante para que o colaborador continue no caminho certo, o ideal é quando o próprio profissional reconhece suas falhas e acertos. Por isso, é muito importante que você estimule a autorreflexão.

Algumas avaliações de desempenho são destinadas especificamente para esse tipo de olhar voltado para si mesmo. No entanto, o próprio gestor pode fazer perguntas para os colaboradores no dia a dia, como questionar sobre suas rotinas – se estão melhores ou piores, por exemplo –, sobre os resultados conquistados após o feedback e o acerto na mudança de postura.

Trabalhe com dados e informação

Por fim, é fundamental que o gestor trabalhe sempre com dados e informação, caso contrário, o colaborador não terá as bases para avaliar o que precisa ser mudado e o próprio gestor enfrentará problemas para monitorar os resultados.

Por isso, é muito importante levantar esses dados, e a melhor forma de fazer isso é por meio da automação. Hoje, existe uma série de softwares e sistemas internos destinados a esta tarefa. Usá-los pode ser o seu trunfo para melhorar os resultados dos colaboradores na sua empresa.

As técnicas de follow up existem para estimular o desenvolvimento de todos, gestores e colaboradores, e garantir que o seu crescimento profissional não estacione em alguma reunião, num passado remoto, mas siga evoluindo, mesmo depois do feedback.

Gostou das nossas dicas de hoje? Então que tal compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais?