Intraempreendedorismo: afinal, o que é isso?

Fazer a diferença em um mercado cada vez mais competitivo, com muitas empresas disputando entre si e sofrendo mudanças bruscas a todo instante, é um verdadeiro desafio em todos os setores. Muitas vezes, o CEO ou o fundador quer ter novas ideias, mas o acúmulo de responsabilidades o impede de pensar mais criativamente. Para isso, o intraempreendedorismo pode ajudar.

Esse conceito defende a entrada de “sangue novo”: novos conceitos somados à vontade de fazer acontecer, o que caracteriza as pessoas capazes de criar novos negócios. Que tal aproveitar novos talentos para trazer mais crescimento à sua empresa?

Para entender melhor o que é intraempreendedorismo e como esse conceito vai ajudar a sua organização, continue lendo este post.

O que é intraempreendedorismo?

Intraempreendedorismo é uma característica buscada nos profissionais no mercado de trabalho atual, caracterizada pela habilidade em trazer ideias e inovações, tendo uma atitude proativa dentro da empresa.

Basicamente, os CEOs e empresários que buscam o intraempreendedorismo procuram por funcionários capazes de agir como empreendedores dentro da organização, resolvendo problemas, propondo soluções e entregando mais do que um funcionário comum faria.

Colaboradores com esse perfil de comportamento acabam se destacando pela vontade de fazer mais do que é pedido, mostram vontade de criar e não demonstram engajamento em atividades dominadas pela rotina. Em geral, profissionais da geração Millennial apresentam essas características, mas isso não é regra.

Qual a diferença entre intraempreendedorismo e empreendedorismo?

O empreendedor é aquele que assume os riscos de abrir uma empresa, se responsabilizando pelos prejuízos, problemas administrativos, gestão de funcionários, entre outras responsabilidades.

Essas pessoas têm a vontade de construir e trazer novas ideias, mas acabam assumindo uma carga muito grande ao tomarem a decisão de abrir uma empresa, com todos os ônus e os bônus que essa opção carrega.

Já o intraempreendedor tem as mesmas características positivas que um empreendedor, no entanto, assume essa postura dentro de uma empresa já formada por outra pessoa. Assim, fica livre das demandas burocráticas e tem mais liberdade para criar e propor melhorias dentro da organização.

Qual a importância do intraempreendedorismo para as empresas?

Um empreendedor tem a ideia inicial para abrir uma empresa, movendo toda a estrutura necessária para fazê-la acontecer. Já o intraempreendedor pode exercer um papel-chave na sobrevivência dessa organização, ajudando a preservar o conceito inicial vivo e buscando manter a companhia sempre à frente.

Esse funcionário tem a capacidade de aumentar a vantagem competitiva da empresa, já que sua inquietude desperta a busca por novos conceitos que podem ser aplicados tanto para produtos inéditos quanto para a melhoria de processos existentes.

O intraempreendedor também a habilidade de identificar problemas e propor soluções para essas questões, evitando que tornem-se problemas maiores que possam prejudicar seriamente o crescimento da empresa.

Além disso, ele evita que a organização torne-se obsoleta e perca valor de mercado. Mais do que isso, ele assume uma postura proativa, evitando que a organização tenha apenas que reagir diante dos acontecimentos, ajudando no alcance de metas e no aumento dos lucros.

Outro aspecto importante é que, ao absorver esses talentos, a empresa evita a formação de novos concorrentes, além de fornecer um terreno estável para que esses profissionais possam dar vazão à sua criatividade e agir com dinamismo sem a responsabilidade de guiar toda a estrutura de uma nova empresa e tudo que isso implica: impostos, contratação de funcionários, compra de maquinário, investimento inicial, etc.

Como estimular o intraempreendedorismo?

Para que o intraempreendedorismo tenha lugar, é essencial que a empresa abra espaço para esse tipo de abordagem, além de contar com uma cultura organizacional voltada para a inovação e aberta ao diálogo, para que os funcionários possam se expressar e testar projetos novos.

Algumas ações podem ser tomadas para isso. São elas:

  • faça uma pesquisa de clima organizacional, para entender em qual nível está a satisfação dos empregados e se eles se sentem à vontade no ambiente de trabalho. Em um lugar onde as pessoas são oprimidas ou não podem expressar suas ideias, é impossível que haja o intraempreendedorismo;
  • crie um canal de comunicação, no qual as pessoas possam apresentar suas sugestões e apontar falhas no processo, que estão atrapalhando a produtividade ou comprometendo a qualidade do trabalho;
  • procure pessoas dentro das equipes com perfil empreendedor. Algumas característica marcantes são o espírito de liderança e o pensamento “fora da caixa”;
  • analise o papel dos gestores. Para que a empresa seja um terreno fértil para novas ideias, os chefes devem atuar como líderes, inspirando e motivando os profissionais. Um chefe que cerceia a liberdade dos funcionários apenas sufoca possíveis iniciativas e inibe o progresso;
  • traga convidados para palestrarem dentro da empresa. Uma injeção de ânimo e novos conceitos podem despertar aspectos de funcionários que você nem fazia ideia que existiam, estimulando-os à inovação;
  • já pensou em um programa de participação de lucros ou no pagamento de bônus? Muitas vezes, um estímulo financeiro é o detalhe que falta para que os funcionários participem com mais afinco nos projetos;
  • delegue responsabilidades. Sem autonomia, os profissionais sentem-se inseguros para tomar decisões e, até mesmo, limitados, sem entender quais são os outros passos da rotina de trabalho e quais as consequências de uma mudança ou outra. Permita que os empregados assumam novas responsabilidades para que haja um crescimento não só dos profissionais, mas também dos resultados;
  • estabeleça metas audaciosas. Quando os objetivos são desafiantes, acabam servindo de estímulo para que os funcionários deem o seu melhor e proponham novos conceitos. Porém, cuidado para que essas metas não sejam irreais e acabem provocando o efeito contrário, desengajando os funcionários;
  • conte com um bom programa de gestão de pessoas ou coaching na empresa. Esse recurso vai ajudar não só a identificar os profissionais com características empreendedoras, mas também a desenvolver o engajamento dessas pessoas.

O intraempreendedorismo pode fazer toda a diferença na empresa, ajudando-a a alcançar patamares que não estavam previstos, mas totalmente positivos. Trata-se, cada vez mais, de aproveitar o capital humano que está à sua disposição e abrir espaço para novos conceitos.

Para ajudar nisso, contar com um time com pessoas distintas, com várias formações, experiências e traços de personalidade pode fazer a diferença. Leia o nosso artigo com dicas para montar uma equipe multidisciplinar na empresa.

4 formas de trazer a inovação para a empresa

Em um mundo cada vez mais dinâmico, onde as pessoas vivem buscando por coisas novas, inclusive quando se trata de produtos e serviços, trazer inovação para a empresa é questão de sobrevivência.

Porém, nem sempre é fácil aplicar novas ideias na resolução dos problemas ou na criação de novos produtos, já que, muitas vezes, seus gestores apresentam grande resistência às novidades e seus funcionários encontram-se saturados.

Para que a inovação faça parte de sua empresa, ela não deve ser sentida apenas pelos clientes. É importante que ela esteja verdadeiramente presente em todos os processos, atingindo os colaboradores, os gestores e os demais grupos de interesse.

Para ajudá-lo, criamos uma lista com algumas formas de trazer a inovação para a sua organização e, assim, aumentar seus resultados. Confira!

1. Mapeie os problemas e oportunidades

Para começar, a inovação só têm a chance de realmente aparecer quando são identificados problemas a serem solucionados e oportunidades a serem exploradas.

Toda corporação tem uma série de problemas a serem resolvidos para que seus processos sejam otimizados e melhorados, seus recursos mais bem aproveitados e seus consumidores tenham uma maior satisfação.

Mapear esses problemas é uma responsabilidade dos líderes da empresa, assim como o mapeamento das oportunidades. Por exemplo, as tendências do mercado são boas oportunidades que as marcas têm de se antecipar e, quem sabe, apresentar uma diferenciação da concorrência.

Pesquise a fundo os problemas da organização e as oportunidades do setor e traga essas informações para a sua equipe. A transparência é muito importante para despertar, nos funcionários, o sentimento de pertencimento, incentivando-os a trabalharem juntos na busca de ideias inovadoras.

2. Dê abertura para novas ideias

Para que seus colaboradores tragam novas ideias para a instituição, é necessário dar abertura.

É comum que os trabalhadores encontrem pontos de melhoria e tenham ideias incríveis, mas, por medo de serem repreendidos, preferem guardar o pensamento para si.

Por isso, nunca repreenda uma ideia, mesmo que a princípio ela não pareça boa. Sempre tome nota das sugestões de seus funcionários e estude a viabilidade das melhorias, dando um feedback a eles sempre que possível.

Invista na comunicação interna para mostrar que eles têm a liberdade de opinar nos processos e que suas ideias serão ouvidas. E, sempre que puder, crie um espaço para discussões, de modo que todos possam participar.

Algumas ações que fomentam bastante a inovação nas empresas são os concursos e o estabelecimento de um tempo diário ou semanal para o colaborador se dedicar a projetos de inovação. Estude o que poderia funcionar em sua empresa e nunca se esqueça do poder que o reconhecimento exerce na gestão de pessoas!

3. Ofereça um ambiente criativo

Para reforçar o conceito de inovação em sua empresa e estimular a criatividade de sua equipe, busque oferecer um ambiente criativo a todos.

Quando falamos isso, não estamos falando da decoração do seu escritório, pois apesar de isso ser importante, ela tem que combinar com o perfil do seu negócio.

Porém, um ambiente criativo é mais do que isso. Estimular o trabalho em equipe, zelar pela saúde e bem-estar dos colaboradores, oferecer a possibilidade de horários flexíveis e home office, respeitar as diferenças, propiciar momentos de descontração e integração e muitas outras ações podem desenvolver a criatividade da sua equipe.

4. Invista em uma equipe multidisciplinar e multicultural

Uma equipe multidisciplinar e multicultural por si só já é uma inovação. Contar com profissionais de diferentes formações e culturas agrega muito na hora de encontrar soluções criativas e “pensar fora da caixinha”.

Isso porque a bagagem que cada uma dessas pessoas têm se complementa, trazendo visões completamente diferentes e eliminando as chances de erros de um projeto, que passará pelo crivo de diversos profissionais já em sua fase de criação.

Uma excelente maneira de criar uma equipe multidisciplinar e multicultural é investindo na contratação de profissionais estrangeiros, ou que já realizaram um intercâmbio, pois eles geralmente chegam com muitas ideias na cabeça e muita vontade de fazer acontecer, o que faz toda a diferença e pode renovar positivamente a atmosfera da sua empresa!

Gostou das nossas dicas para trazer inovação para a empresa? Compartilhe este post em suas redes sociais e ajude outros gestores

A importância de valorizar o jovem de perfil empreendedor

O Empreendedorismo é uma prática cada vez mais valorizada pelos brasileiros, mesmo em época de crise econômica. A habilidade de propor novas soluções para o mercado vem recebendo incentivo para ser desenvolvida, principalmente entre os jovens, coisa que não acontecia com tanta frequência nas gerações anteriores. Os profissionais que estão chegando ao mercado, cada vez mais se enquadram dentro desse perfil e isso é muito vantajoso para as empresas. Quer saber por quê? Por algumas qualidades interessantes que eles possuem para ser um bom funcionário e que ajudam no crescimento de uma empresa. Confira:

Proatividade

Uma das principais características do jovem que se encaixa no perfil empreendedor é a proatividade. Quando ele se interessa por um assunto, ele é o tipo de pessoa que corre atrás de conhecimento e soluções, mesmo que não cobrem isso dele. Tal característica é bastante valorizada na hora da contratação numa empresa, pedir ajuda quando necessário, mas caminhar com suas próprias pernas durante os serviços.

Vontade de fazer

Mão na massa é algo que combina perfeitamente com empreendedorismo, afinal, não dá para abrir negócios e fazer novas propostas para o mercado sem muita dedicação e esforço. Jovens que já possuíram contato com iniciativas empreendedoras, seja através de projetos em ONGs ou na faculdade, geralmente desenvolvem bem o “querer fazer” e o espírito de liderança. A capacidade de dirigir e delegar tarefas é bastante comum do perfil empreendedor. Um bom líder tende a trabalhar bem em equipe e focar em iniciativas que beneficiem os negócios e as pessoas.

Inovação

O jovem, atualmente, possui muitas ferramentas para se informar e desenvolver sua criatividade. Isso é aproveitado na hora que ele pensa em abrir seu próprio negócio. Enquanto não possui investimento para isso, costuma colocar em todas suas experiências profissionais os princípios de fazer diferente e encontrar saídas diferentes para as questões que precisam resolver.

Deseja jovens empreendedores em sua empresa? Conheça um pouco mais o programa Talentos Globais da AIESEC e se torne parceiro!

Jovem brasileiro: As 5 empresas favoritas para se trabalhar

Já estivemos falando aqui no blog sobre o que o jovem busca nas empresas. Em 2016, baseando-se em critérios como: desenvolvimento profissional, carreira internacional, fazer o que gosta, ter desafios e boa imagem no mercado, a Cia de Talentos e a NextView People realizaram a quarta edição da pesquisa em parceria com diversas instituições, sobre as empresas que os jovens brasileiros mais gostariam de trabalhar. O levantamento de dados teve a participação de aproximadamente 64 mil jovens de todo Brasil. Além dos lugares para o jovem exercer suas funções, o estudo falou de temas como propósito de vida, aspirações para carreira e lideranças que inspiram. Confira 5 dos empreendimentos que apareceram no ranking:

Google

A empresa é referência quando se pensa em ambiente de trabalho e qualidade. Ela costuma estar nas primeiras posições de melhor empresa para se trabalhar no mundo e oferece vários benefícios diferentes para os contratados e suas famílias. Além disso, permite networking com grandes nomes da tecnologia e o nome do funcionário permanece na rede de contatos mesmo após a saída da empresa.

Petrobrás

Uma das maiores petrolíferas de capital aberto do mundo é vista pelo jovem como um mundo de possibilidades. Dentro da empresa existe uma “universidade corporativa” para treinar o funcionário sobre o funcionamento dela. Além disso, é uma companhia que investe no crescimento do jovem e oferece atividades desafiadoras. Mesmo estando envolvida em escândalos de corrupção, segundo Maíra Habimorad da Cia de Talentos, os jovens não veem esse acontecimento como uma decisão corporativa.

ONU

Trabalhar na ONU é visto como uma possibilidade de ter contato com pessoas do mundo todo. Fazer viagens constantes e sempre lidar com culturas diferentes é um dos pontos mais desafiadores e interessantes. A organização é uma novidade no ranking em relação às pesquisas anteriores.

PwC

A prestadora de serviços se destaca pelo discurso do constante aprendizado dentro da companhia. A empresa oferece plano de carreira e oportunidades de relacionamentos a longo prazo. Os desafios também auxiliam no desenvolvimento profissional.

Ambev

A grande multinacional tem um nome bastante forte no mercado para o jovem. Além disso, é vista como uma grande oportunidade de crescer profissionalmente, já que eles trabalham num sistema meritocrático. O contato com os produtos também foi um importante critério de escolha, já que foram indicados como de qualidade.

Quer conferir o restante do ranking e saber mais sobre a pesquisa? Clique AQUI

O que nós jovens queremos em um ambiente de trabalho?

Movidos por desafios, os jovens cada vez mais procuram um ambiente de trabalho dinâmico, flexível, e que tenha espaço para novas ideias. Essa geração, a qual conhecemos por geração Y, é influencia pela tecnologia, especificamente a internet. Esses jovens são movidos pela ansiedade mais exagerada devida a instabilidade com que as coisas vão mudando.

O que esperamos do mercado de trabalho?

Estabilidade, antes no topo da lista de benefícios de uma oportunidade profissional, hoje perde lugar para aspectos como clima agradável e cultura organizacional. Existe uma mistura entre a vida pessoal e profissional que não existia antes; uma busca por conquistar o mundo rapidamente.

Essa geração busca possibilidade de crescimento, e em geral não concorda com a necessidade de cumprir um expediente rígido. O que importa, para eles, é que o resultado final seja entregue dentro do prazo esperado, ainda que boa parte tenha sido produzida fora do intervalo entre 8h e 18h. Os jovens querem empreender dentro das empresas e sentir que têm voz. Querem o aval de seus líderes para assumir riscos quando necessário, e apoio para implementar inovações. “Busco um lugar que seja colaborativo, que me permita aprender coisas novas e me dê autonomia”, diz Aline Frigo, 24 anos, formada em administração. Ser reconhecido pelo trabalho realizado, para o recém graduado engenheiro civil Flávio Santos, também é importante.

Por que os jovens querem sucesso antes dos 30?

Essa ambição por atingir o êxito no ambiente de trabalho antes dos 30 anos, vem daquilo que havia mencionado antes, a ansiedade de querer conquistar o mundo, de resolver tudo rápido. Todavia, esses jovens entram no mercado de trabalho qualificados em termos acadêmicos, não tiveram que suportar a dura realidade de trabalhar muito cedo como a maioria dos pais tiveram. Eles são super protegidos pelos pais e sentem a necessidade de superá-los.  Assim, vem a pressão de alcançar o sucesso, uma forma de devolução a todo o esforço que seus pais tiveram e de investimento no filho.

Dinheiro é importante, claro, e a ambição por cargos mais altos vem cada vez mais cedo. Mas essa não é uma geração que produz mais sob pressão. Quanto mais apaixonados pelo que fazem, mais além querem ir. Ofereça liberdade, autonomia, e uma causa para perseguir, que em troca terá equipes fieis e motivadas para fazer sua empresa ir mais longe.

processo seletivo para jovens talentos

Seja um parceiro AIESEC e traga o mundo para dentro da sua empresa

A AIESEC pode fazer a diferença na sua empresa

O empreendedor está sempre à procura de um diferencial para o seu negócio, e em busca de pessoas que possam ajudá-lo a fazer a diferença. Mas nem sempre é fácil achar o que sua empresa precisa. A AIESEC é uma organização formada por jovens que se preocupam em liderar um impacto positivo na sociedade em que vivemos, a partir da promoção da paz, igualdade, tolerância e bem-estar social. Para gerar esse impacto, ela desenvolve nos jovens habilidades e potencial de liderança através do aprendizado proativo, experiências voluntárias e intercâmbios.

Você sente dificuldade em contratar mão de obra qualificada e com o espírito que você precisa? Tenha acesso ao nosso banco de talentos e conheça o programa Talentos Globais.

O custo benefício é vantajoso para ambas as partes. Os candidatos são jovens que buscam autoconhecimento, e a chance de se tornarem excelentes profissionais com crescimento em sua área de atuação. Os principais cursos são das áreas de Administração, Negócios Internacionais, Marketing, RH e Finanças. O perfil dos candidatos é diferenciado e contempla uma visão global de negócios para quem está à procura de internacionalização e competitividade internacional. Assim, a empresa paga apenas uma taxa pela adesão do programa e uma bolsa auxílio (vale-refeição, vale-transporte e host) para o participante nos meses de duração do intercâmbio.

Os benefícios de trabalhar com intercambistas de todo o mundo são inúmeros. Você pode escolher para sua empresa um universitário ou recém-formado, de acordo com sua necessidade. Escolhendo esses profissionais globais, você pode agregar valor ao seu negócio com o conhecimento do estudante, ampliando a visão empreendedora da sua companhia com pessoas pró ativas em seu painel de funcionários. A chance de ter novas ideias e abordagens de negócios mais arrojadas também são grandes. Se você se interessar pelo profissional, você ainda pode optar por contratá-lo através do sistema de trainee. Conheça um case que pode ajudá-lo na decisão de trazer o mundo para a sua empresa:

 

processo seletivo para jovens talentos

AIESEC como referência de liderança jovem para seu negócio

A era da Digitalização está sendo discutida há alguns anos, definida em vários processos e, agora, podemos dizer que é definitiva. Ao encarar o cenário do Segundo Setor, não é diferente. Há a necessidade de se reinventar, adaptar-se a tendências e digitalizar-se para atingir a sua grande massa de novos talentos: os jovens que seguem assiduamente a era virtual. Para isso, a AIESEC no Brasil lança este canal de conteúdo sobre quais são as inovações e obrigações que devem ser abraçadas caso o intuito seja atrair talentos jovens com propósito e que relacionam resultado com liderança.

Hoje, para os que ingressam ao mercado de trabalho, é impossível desvincular trabalho de desenvolvimento e valores. Sendo assim, os setores de Recursos Humanos, Responsabilidade Social e Marketing devem estar bem informados sobre como trabalhar esse conceito de Employer Branding, ao passo que é sabido que quanto melhor você posiciona sua marca para o publico com fit de valores, há um aumento da retenção corporativa, de pessoas que se conectam e têm sentimento de dono pela empresa, que desperta a vontade de ir além no organograma. Esta página falará bastante de como explicitar a sua marca de forma a encontrar os talentos mais preparados.

Além disso, outros dois assuntos imprescindíveis para esse público, que se relaciona intensamente com o mundo, são: Internacionalização e Responsabilidade Social Corporativa. Ou seja, como vejo oportunidades fora do meu país e como que tenho um papel mais ativo na mudança do planeta. Por isso, uma empresa é diferencial na escolha se abraça projetos sociais ou oportunidades internacionais.

A AIESEC, maior organização mundial gerida por jovens reconhecida pela ONU e presente em cerca de 120 países e territórios, não poderia ir em contramão à necessidade de conectar-se às empresas e start ups por meio digital. A nossa missão de alcançar a paz e o preenchimento das potencialidades humanas é vivenciada em cada uma de nossas ações. Nós fazemos isso ao fornecer um ambiente desafiador para ativar a liderança jovem – liderança essa que acreditamos ser pautada em ser uma pessoa preocupada com os problemas do mundo, que tem foco em solução, procura ter auto-conhecimento e saber trabalhar em equipe. Para que esse movimento de liderança jovem aconteça, realizamos experiências interculturais, seja de voluntariado, seja de estágios internacionais.

Se você e a sua organização sentem que é hora de procurar o que move esses talentos e realmente se conectar com essa perspectiva, acompanhe nossos conteúdos sobre geração Y e Z, liderança jovem e mobilidade internacional. Uma oportunidade de negócio pode estar aqui!

processo seletivo para jovens talentos