6 estilos de liderança e as vantagens e desvantagens de cada um deles

No ambiente organizacional, existem diversos estilos de liderança. A figura do líder é fundamental, pois os funcionários só desempenham seus papéis dentro da empresa e cumprem suas metas se estiverem convivendo em um ambiente de bem-estar e harmonia — além, é claro, de não se sentirem pressionados a todo o instante.

Contudo, há diferentes tipos de líderes que utilizam as mais distintas estratégias para fazer com que o público interno cumpra seus objetivos e traga resultados para o negócio. Enquanto alguns adotam uma postura ríspida, outros preferem deixar os funcionários mais livres para que tomem suas próprias decisões, aprendendo com os acertos e erros cometidos.

Lidar estrategicamente com pessoas não é uma tarefa fácil: exige dom, comprometimento, disciplina e motivação. Neste post, apresentaremos 6 estilos de liderança (e as vantagens e desvantagens de cada um deles), para que você possa se identificar e, quem sabe, se aperfeiçoar, adotando novas estratégias em seu trabalho. Confira!

1. Liderança autoritária

O líder autoritário é mais conhecido como “chefe” — e esse tipo de liderança é o mais presente no mercado de trabalho. Ele obriga os funcionários a seguirem as regras e a cumprirem as demandas, não levando em consideração a opinião das pessoas e muito menos os motivos de não terem cumprido alguma regra ou um prazo.

Nada flexível e com o perfil dominador, o líder autoritário não aceita ser contrariado e é temido por toda a equipe. Quando ele está presente, os colaboradores ficam atrapalhados, sem saberem ao certo como devem se comportar para mostrar produtividade.

Por não deixar que os funcionários se expressem, o “chefe” não encontra muito crescimento dentro da organização e não visualiza uma promoção ou um aumento de salário (e conhecimento). Assim, esse tipo de comportamento é líder em demissões e desmotivação dos funcionários, fazendo com que haja grande índice de rotatividade e, consequentemente, improdutividade no setor.

2. Liderança democrática

Diferentemente da liderança autoritária, a democrática permite que todas as decisões da empresa sejam tomadas levando-se em consideração a opinião da maioria dos funcionários. O líder está sempre aberto a críticas ou sugestões e promove atividades de integração da equipe, fazendo com que seus membros se sintam parte de uma família, um time de vencedores.

Além disso, é construído um ambiente organizacional agradável para que o colaborador trabalhe e exponha suas ideias. Dessa forma, eles podem ter como meta uma promoção e/ou um aumento de salário.

Esse estilo de liderança preocupa-se com o trabalho de todos e considera que cada um é extremamente importante para o sucesso da empresa. São promovidos laços de relacionamento baseados em confiança, troca de informações e credibilidade.

3. Liderança carismática

Neste caso, o líder transpassa carisma em todas as suas atividades rotineiras. Os funcionários se inspiram nele devido ao ambiente de fidelidade e confiança criado, se espelhando em sua figura. Isso faz com que o líder exerça grande influência sobre todo o time.

Dessa forma, os colaboradores almejam produzir cada vez mais para obter resultados eficazes e com dedicação. E o gestor, por sua vez, é visto como a chave ou a razão principal para a motivação do grupo.

Sabemos que todos preferem conviver em um local de trabalho no qual as pessoas se dão bem e são alegres. Contudo, uma figura totalmente carismática pode, em alguns casos, transparecer que o ambiente não é levado a sério, fazendo com que alguns indivíduos (que possuem o perfil mais acomodado) não realizem as suas atividades da forma como deveriam.

4. Liderança motivadora

A liderança motivadora trabalha com as questões emocionais de seus funcionários. Ela acredita no desenvolvimento pessoal de cada indivíduo, fazendo com que ele queira crescer e buscar por resultados melhores a cada dia, desenvolvendo o seu potencial (muitas vezes, inclusive, desconhecido ou adormecido).

Esse tipo de profissional contagia as pessoas com seu otimismo e sua confiança, além de estimular o grupo a buscar pelas melhores maneiras de executar o trabalho diariamente. A maioria dos colaboradores adora a postura de um líder motivador.

Isso ocorre principalmente porque há dias em que algo pode estar incomodando o funcionário — como algum problema pessoal que, ao chegar ao ambiente de trabalho, é totalmente deixado de lado, pois todos estão felizes e compartilhando energias positivas.

5. Liderança liberal

A liderança liberal deixa os membros da equipe mais livres para tomarem decisões, desempenharem seus respectivos trabalhos e desenvolverem o seu capital intelectual da forma que considerarem conveniente. Ela é mais eficiente no sentido de perceber quem realmente está interessado em fazer as coisas acontecerem e aqueles que não querem nada com nada, se acomodam ou se tornam irresponsáveis.

Tal estilo é eficiente no sentido de que os funcionários se sentem livres para trabalharem da forma com a qual são mais produtivos. Esse modelo funciona quando as equipes já são mais experientes e a empresa está em fase de maturidade — não havendo grande rotatividade de colaboradores.

Como ponto negativo, o líder pode ser visto como desnecessário para o grupo com o passar do tempo, já que todos sabem quais são seus papéis dentro da companhia e não precisam de ninguém apontando se estão certos ou errados por fazerem isso forma automática.

6. Liderança técnica

Este líder possui todo o conhecimento técnico e sabe mais do que qualquer membro da organização. Competente, suas decisões são muito respeitadas e seguidas pelo quadro de funcionários.

Os profissionais trabalham de forma segura porque sabem que haverá sempre a supervisão de alguém que entende do assunto e que poderá ajudar quando houver alguma dúvida. Dessa maneira, o gestor passa a ser visto como um modelo a ser seguido.

Mas, ao mesmo tempo, ele pode não ter tantas habilidades comunicativas, por ter desenvolvido sua habilidade técnica e deixado de lado o aspecto emocional. Em casos mais extremos, nos quais há a falta do perfil comunicativo, o líder técnico pode ser muito confundido com o autoritário.

Sabemos que nem todos dominam a arte de liderar. Lidar com pessoas é uma tarefa muito complicada e exige bastante planejamento estratégico para se fazer a diferença na vida dos colaboradores e garantir a lucratividade da empresa.

Neste post, você conheceu 6 estilos de liderança, suas vantagens e desvantagens. Agora, siga-nos no Facebook e no LinkedIn para acompanhar nossas publicações e ter acesso a conteúdos exclusivos!

5 características de um líder para identificar na sua equipe

Todos sabemos como é desafiador encontrar candidatos para as vagas mais estratégicas da equipe. Afinal, uma escolha errada pode acarretar em muitos problemas futuros e, inclusive, impactar no crescimento da empresa ou gerar descontentamento das equipes internas.

Nesse contexto, torna-se necessário criar mais engajamento e identidade de equipe por meio da busca de liderança em potencial no seu quadro de colaboradores.

Portanto, confira agora as 5 principais características de um líder e saiba como avaliá-las da maneira correta. E fique alerta, pois a tão buscada liderança pode estar sentada na sala ao lado! Vamos lá?

1. Gostar de trabalhar em equipe

Ter boa comunicação e saber interagir com a própria equipe — e outras, quando necessário — são características essenciais de um líder.

Essa posição exige que as demandas sejam passadas de forma clara e sem ruídos, que as cobranças sejam feitas sempre de maneira respeitosa e que as conquistas sejam reconhecidas, independente de seu tamanho. Portanto, a habilidade para trabalhar com outras pessoas é um dos principais requisitos de um futuro líder.

2. Ter uma visão ampliada do negócio

Um bom colaborador deve saber desempenhar suas funções com qualidade, agilidade e com o menor número de refações possível.

Enquanto desempenha sua função com essas qualidades, um perfil de liderança consegue olhar para além da própria atividade e enxergar de modo mais global as necessidades e os desafios de seus liderados e de sua empresa.

Se identificar um colaborador que se preocupe com a desenvoltura dos que estão ao seu redor e da companhia como um todo, fique atento: ele é um forte candidato a ocupar um cargo mais complexo.

3. Aprender com agilidade 

Outra característica de um líder é a disposição para aprender e ensinar.

A candidatura a um cargo de liderança exige do colaborador novas habilidades e um engajamento renovado. Para isso, é importante que você identifique nele rapidez em aprender e assimilar novas funções sem problemas.

Lembrando que não devem restar dúvidas quanto às mudanças de posição, função e descrição de cargo para não afetar o entrosamento da equipe!

4. Ser questionador e curioso

Para uma empresa crescer de modo saudável, é importante ter em seu quadro de profissionais pessoas questionadoras.

Esse perfil é conhecido por incorporar novas ideias sem travas. Eles também possuem o tino para descobrir e aprender novos jeitos de se fazer a mesma tarefa com mais qualidade, mais eficiência e menos desperdício de tempo e dinheiro.

Promover alguém com essas qualidades instigará os demais integrantes da equipe a questionar com menos hesitação e a demonstrar disposição para tentar coisas novas. 

5. Ter empatia e compreender diferentes culturas

É um fato que as pessoas são diferentes umas das outras, e é essencial que um candidato a líder enxergue esse conceito com clareza.

Um líder deve saber extrair as melhores qualidades de cada um da equipe e expor de maneira construtiva seus desafios, tanto em feedbacks espontâneos como naqueles com hora marcada.

Uma equipe com diversidade vai trazer ideias novas e crescer mais rápido, além de ser mais bem aproveitada pela empresa por meio da promoção de uma integração real e produtiva.

Gostou de descobrir como identificar características de um líder na sua equipe? Quer saber como orientar melhor essa próxima promessa da sua empresa? Então, não deixe de baixar nosso e-book com tudo o que precisa saber sobre trainees!

6 lições de trabalho em equipe para desenvolver líderes

Com a mudança no perfil profissional dos colaboradores, motivado principalmente por mudanças culturais, avanços tecnológicos e midiáticos, desenvolver líderes capazes de engajar e sensibilizar positivamente a força de trabalho é algo desafiador para as empresas e para os próprios líderes, que se viram tendo de desenvolver habilidades emocionais e subjetivas para conquistar a confiança das suas equipes.

Nesse sentido, as competências técnicas, tão exaltadas antigamente no modelo de chefia, perderam espaço para outras habilidades, ainda mais valorizadas, como empatia, saber ouvir e mediar conflitos. A liderança mais do que nunca passa a buscar a colaboração coletiva para alcançar metas cada vez mais desafiadoras dentro das organizações.

Se você quer saber como aprimorar sua liderança, separamos para você 6 lições de trabalho em equipe para desenvolver líderes. Confira!

1. Trabalhe a sua confiança enquanto líder

Tenha em mente que liderar pessoas é o conjunto de comportamentos assimilados e aperfeiçoados por meio de provas cotidianas de paciência, respeito ao próximo, abertura de pensamento e, principalmente, empatia.

Todo líder deve ter confiança no que fala e defende, e a mesma confiança para mudar de opinião quando se vê em um momento em que a mudança se faz necessária. Ser flexível não quer dizer irresponsável: as opiniões devem ser bem pensadas e os riscos planejados. Manter a palavra também ajuda a transmitir confiança.

2. Transmita credibilidade

Quando falamos de confiança, é relevante recordar que uma das grandes provas para verificar se uma pessoa sabe como liderar uma equipe é avaliar sua habilidade ao transmitir credibilidade para as pessoas. Basta uma colocação errônea durante uma reunião, ou uma imposição feita sem diálogo, para a empatia e a confiança se fragilizar.

Saiba que as pessoas sentem quando podem confiar umas nas outras, e quando se está em evidência, como no caso de uma liderança, as palavras não ditas tornam-se ainda mais relevantes. Faça tudo dentro do mais alto senso de justiça e o melhor, todos os dias. As pessoas ao seu redor perceberão o seu valor e a credibilidade e confiança serão algo cada vez mais natural.

3. Colabore com a equipe

Colaboração é uma peça fundamental no trabalho em grupo, afinal, o que é uma equipe sem o comprometimento de um líder? Indivíduos agrupados sem nenhum propósito.

Ao liderar uma equipe, é preciso mostrar que você se importa e trabalha pelo sucesso de todos, por um mesmo objetivo. Com a colaboração não só é possível dar visibilidade aos funcionários, como também fazer com que sua visão da organização seja mais transparente.

Nesse sentido, impor regras ou processos engessados impede a motivação entre a equipe, e barra a criatividade. Procure lidar com as pressões externas sem perder o tom da sua autoridade.

4. Tenha responsabilidade

Quem assume uma liderança deve se preparar para assumir grandes responsabilidades. Deste modo, evite ser um líder que sempre culpa os outros pelos fracassos e erros da equipe.

Seja sempre franco consigo mesmo e com o time ao trazer para si seus próprios erros. E lembre-se: quando alguém da equipe erra ou acerta, todo mundo erra ou acerta junto.

5. Trabalhe em equipe

Compartilhar as responsabilidades é uma boa forma de criar uma dinâmica envolvente com a equipe. Se todas as pessoas se sentem parte do processo, trabalharão pelo seu sucesso também.

Coloque todo mundo para jogar a favor da empresa! Envolva todos com os objetivos da organização e trace metas coletivas.

6. Pratique a empatia

Um bom líder sabe sentir as dores do outro e trabalha para melhorar a si próprio e quem dele precisa. Saber ouvir, se colocar no lugar do outro e contribuir para o crescimento profissional dos liderados são tarefas desafiadoras, pois não são ensinadas na faculdade, no entanto, extremamente necessárias para o desenvolvimento de uma boa liderança.

Comece hoje estes exercícios e ao longo do tempo será algo natural na sua rotina como líder. Gostou dessas 6 lições de trabalho em equipe para desenvolver líderes? Para desenvolver mais características de liderança, e não de chefia, entre em contato conosco!

5 filmes sobre professores que inspiram liderança

Professores são os primeiros líderes que temos contato. Do maternal a pós-graduações, eles fazem parte de nossas vidas e quem nunca teve um professor inspirador?

Dia 15 de outubro, se comemora o dia deles e hoje separamos para você alguns filmes com líderes do ensino que puderam transformar a vida de seus alunos através de lições de vida e exemplos de liderança. Confira:

1- Mentes Perigosas – Para trabalhar a mudança de métodos

O filme, baseado numa história verídica, conta a história da professora LouAnne Johnson que, ao perceber que os métodos convencionais não estavam conseguindo chamar a atenção dos seus alunos, decidiu inovar. Para motivá-los, ela começou a trazer para suas aulas assuntos que estavam relacionados ao universo deles, como o Karatê ou as músicas de Bob Dylan. Com essas estratégias, ela conseguiu se aproximar dos estudantes e mostrar que era possível repensar as práticas pedagógicas.

2- Matilda –  Para trabalhar o afeto

Matilda era uma garota com habilidades especiais e com sede de conhecimento que sempre foi incompreendida pelos pais. Então, ao passar a frequentar a escola ela encontrou uma professora que notou o seu potencial. Em diversos momento do filme, Jennifer Honey (Embeth Davidtz) mostra como um professor inspirador e afetuoso pode ser importante para um aluno.

3- Sociedade dos poetas mortos – Para trabalhar a reflexão

Em 1959, numa tradicional e conservadora escola preparatória, um ex-aluno (Robin Williams) se torna o novo professor de literatura, mas logo seus métodos de incentivar os alunos a pensarem por si mesmos cria um choque com a direção do colégio, principalmente quando ele passa a falar para os  estudantes sobre a “Sociedade dos Poetas Mortos”.

4-O sorriso de Monalisa – Para trabalhar o empoderamento

Julia Roberts interpreta uma professora que dá aulas de História da Arte. Ela desafia o conservadorismo da escola e das estudantes que têm como único sonho casar e ter filhos. Sua trajetória acaba servindo de inspiração para o empoderamento das mulheres de sua classe.

5- Escola de Rock – Para trabalhar o potencial da equipe

Quem nunca teve aquele professor “maluco”?Jack Black interpreta um músico que acaba de ser demitido. Sem ter o que fazer, ele aceita dar aulas como professor substituto em uma escola particular de disciplina rígida. Dewey passa a ensinar música fazendo com que alguns alunos se juntem a ele para montar uma banda local, sem o conhecimento de seus pais.O personagem não era maior exemplo de líder a ser seguido, mas a partir do momento que passou a ensinar música para as crianças, mostrou a elas o potencial que tinham e pode desenvolver uma equipe de sucesso.

Sinopses adaptadas dos sites: Porvir, Adoro Cinema e MdeMulher

5 líderes admirados pela geração Y

Todo ano, a AIESEC realiza um estudo que procura oferecer para vários jovens a oportunidade de opinar sobre vários temas. Propósitos de vida, objetivos globais e liderança são alguns deles. O Youthspeak Survey é realizado em todo o mundo e em 2015, só no Brasil, foram colhidas 14.000 respostas. No tópico “liderança” foram levantadas as principais características que jovens brasileiros de 16 a 30 apontam como essenciais para definir um bom líder: humildade, altruísmo, carisma, visão, ambição, empatia, determinação e dedicação.

De acordo com esses atributos, veja alguns líderes que apareceram como mais admirados pelos jovens brasileiros de acordo com as características citadas anteriormente:

1- Nelson Mandela

O líder foi um dos mais importantes presidentes da África do Sul. Além de ter sido o primeiro negro a ocupar o cargo, foi muito importante para a história, liderando o movimento contra o Apartheid, regime de segregação racial de 1948 a 1994. Posteriormente negociou a Constituição que colocou fim nessa política.

2- Mahatma Gandhi

O líder pacifista foi a principal personalidade na luta pela independência dos indianos. Cursou direito e  também lutou contra o racismo na África do Sul. Era humilde, pregava o amor aos pobres e o diálogos entre as religiões para instaurar a paz.

3- Malala Yousafzai

A líder paquistanesa é uma jovem militante dos direitos das meninas de ir à escola. Ela fez um blog falando sobre seus obstáculos para estudar e por isso levou três tiros contra sua cabeça quando estava dentro do ônibus. Malala se recuperou, se tornou porta voz da causa e aos 17 anos foi considerada a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz. 

4- Barack Obama

Obama foi o primeiro negro a ser presidente dos Estados Unidos da América, nação que possui muitos conservadores na política. Muito carismático, se mostrou em sua campanha preocupado com o sistema de saúde, se posicionou a favor do fim da guerra do Iraque e do desarmamento nuclear.

5- Papa Francisco

Francisco é o primeiro papa latino-americano da história. É considerando um líder carismático, humilde, que defende uma igreja com mais compaixão pelos pobres e que busca se aproximar mais da juventude.

Gestão de pessoas: desenvolva bem seus profissionais

Manter um bom relacionamento entre funcionários e líderes de uma empresa é essencial para que qualquer negócio dê certo. Se preocupar com o capital humano, auxilia a desenvolver colaboradores mais motivados e engajados nos objetivos e metas da corporação.

Para que isso aconteça, é necessário ter atenção com cada membro da equipe, observar o quão capacitados estão para seus serviços e assim, poder oferecer feedbacks com elogios ou sugestões de melhoria. Veja a seguir, alguns pontos válidos de investimento para gerir as pessoas da sua equipe:

Preparação

É importante que o funcionário receba uma boa preparação desde sua entrada. Treinamentos sobre o cargo, o funcionamento da empresa, as metas a serem atingidas e como ele contribuirá com esses resultados são essenciais.

Disciplina

Seja organizado nas coisas da empresa e incentive seus colaboradores a serem também, crie esse clima. Negocie com cada funcionário os horários para cada tarefa de acordo com o tempo gasto para o trabalho e ele criará um hábito. Disciplina é essencial para um bom desenvolvimento.

Trabalho em equipe

Crie a cultura do trabalho em equipe na empresa desde o momento de decisões. Seja transparente com a empresa e cultive um ambiente favorável para sugestões e troca de ideias.

Valorização do esforço

Seja observador com o trabalho de sua equipe. Veja as qualidades e dificuldades de cada um para investir em soluções de incentivo e melhoria de dificuldades. Saiba também do tempo de cada um, para buscar meios de trabalhar a produtividade conciliando o ritmo da pessoa e o que a empresa precisa.

Elogio

Se as pessoas estão realizando um bom trabalho, é importante valorizá-lo! Assim, elas continuarão motivadas a crescer em seus segmentos e a alcançar sempre bons resultados.

A AIESEC qualifica jovens através da experiência profissional na própria organização e assim esses aspectos são valorizados, já que visamos transformar jovens através, principalmente, de atividades de liderança.

Clique AQUI para saber mais.

A importância de valorizar o jovem de perfil empreendedor

O Empreendedorismo é uma prática cada vez mais valorizada pelos brasileiros, mesmo em época de crise econômica. A habilidade de propor novas soluções para o mercado vem recebendo incentivo para ser desenvolvida, principalmente entre os jovens, coisa que não acontecia com tanta frequência nas gerações anteriores. Os profissionais que estão chegando ao mercado, cada vez mais se enquadram dentro desse perfil e isso é muito vantajoso para as empresas. Quer saber por quê? Por algumas qualidades interessantes que eles possuem para ser um bom funcionário e que ajudam no crescimento de uma empresa. Confira:

Proatividade

Uma das principais características do jovem que se encaixa no perfil empreendedor é a proatividade. Quando ele se interessa por um assunto, ele é o tipo de pessoa que corre atrás de conhecimento e soluções, mesmo que não cobrem isso dele. Tal característica é bastante valorizada na hora da contratação numa empresa, pedir ajuda quando necessário, mas caminhar com suas próprias pernas durante os serviços.

Vontade de fazer

Mão na massa é algo que combina perfeitamente com empreendedorismo, afinal, não dá para abrir negócios e fazer novas propostas para o mercado sem muita dedicação e esforço. Jovens que já possuíram contato com iniciativas empreendedoras, seja através de projetos em ONGs ou na faculdade, geralmente desenvolvem bem o “querer fazer” e o espírito de liderança. A capacidade de dirigir e delegar tarefas é bastante comum do perfil empreendedor. Um bom líder tende a trabalhar bem em equipe e focar em iniciativas que beneficiem os negócios e as pessoas.

Inovação

O jovem, atualmente, possui muitas ferramentas para se informar e desenvolver sua criatividade. Isso é aproveitado na hora que ele pensa em abrir seu próprio negócio. Enquanto não possui investimento para isso, costuma colocar em todas suas experiências profissionais os princípios de fazer diferente e encontrar saídas diferentes para as questões que precisam resolver.

Deseja jovens empreendedores em sua empresa? Conheça um pouco mais o programa Talentos Globais da AIESEC e se torne parceiro!

A importância do feedback para uma empresa

Uma empresa que se preocupa com o crescimento dos seus funcionários e de bons resultados, provavelmente já é uma adepta do sistema de feedbacks. Essa técnica é essencial para estabelecer uma relação de confiança entre colaboradores e líderes, além de ajudar a aprimorar habilidades e solucionar problemas no ambiente de trabalho. Segundo um estudo global do Top Employers Institute, essa foi eleita, num levantamento feito com 600 empresas pelo mundo, a melhor forma de avaliação de desempenho. Veja a seguir as vantagens de implementar o feedback em uma empresa:

Para os funcionários

Reconhecimento é algo muito importante para o ser humano. De acordo com um artigo do Instituto Brasileiro de Coaching, existem alguns estudos que mostram que nosso cérebro tem uma parte dedicada à recompensa e a motivação. Assim, quando essa área é ativada, o corpo libera substâncias que fazem com que a pessoa fique mais comprometida e focada em suas metas.

Logo, ter o reconhecimento de pontos bons ajuda bastante no empenho de atividades. Mas, como nem tudo são flores, o feedback vem também para apontar melhorias. Sendo indicadas da maneira certa e com a sugestão de caminhos produtivos, essa é uma ótima maneira de desenvolver o contratado, colocando metas flexíveis e criando um diálogo contínuo durante a transformação.

Para a empresa

O objetivo de um empreendimento é crescer e alcançar cada vez mais resultados positivos, certo? Para isso é necessário, além de outras coisas, que exista uma equipe qualificada por trás dos serviços. Utilizando a técnica do feedback, os líderes de uma empresa conseguem uma relação mais próxima com seus colaboradores, aprendendo suas necessidades, forças e fraquezas. Assim, é possível encontras soluções para os problemas de forma mais simples, ter mais propriedade para negociar com um funcionário e indicar caminhos para o aprimoramento de suas habilidades.

E como é feito um bom feedback?

Confira algumas dicas para realizar um bom feedback:

1- Se organize

Pense no que e em como você irá falar

2- Escolha o lugar certo

Pense num ambiente quieto e confortável, para diminuir a tensão

3- Não comece pelos pontos negativos

A pessoa pode ficar chateada e na defensiva para ouvir o restante das coisas.

4- Fale mas também escute

Escute as opiniões da pessoa recebendo o feedback e esteja aberto a tirar dúvidas e a acompanhá-la ao decorrer da transformação.

5- Cuidado com as palavras

Escolha com cuidado que palavras usar e lembre-se, o feedback é para ser construtivo e trazer melhorias, não tristeza e desmotivação

3 erros que bons líderes não devem cometer

Ter um perfil de liderança é algo que vem sendo bastante valorizado pelas empresas na hora de escolher seus funcionários. Mesmo que você ainda seja um “subordinado”, é importante buscar exercer hábitos praticados por um líder pois, muitas vezes, existem situações de trabalho em equipe que é preciso ter alguém para delegar tarefas. Quer desenvolver características de liderança? Veja alguns erros que bons líderes não devem cometer:

Querer fazer tudo sozinho

Conhecer bem e ter confiança no time que você trabalha é essencial. Assim, será possível distribuir as tarefas de uma forma que não sobrecarregue ninguém. Além disso, se você tiver um conhecimento amplo sobre alguma coisa, é interessante compartilhar com o restante da equipe. As pessoas podem realizar o trabalho e você supervisionar, tirar dúvidas. Guardar um conhecimento apenas para você e não se preocupar com o aprendizado do outro é egoísta e péssimo para a imagem de um líder.

Falar uma coisa e fazer outra

Como já foi citado no item anterior, confiança é essencial na hora de construir coisas em grupo. Logo, é importante para um líder ser uma pessoa de palavra. Se propôs a fazer algo? Então faça. Falar uma coisa e fazer outra é uma armadilha para figuras de liderança, já que assim ela perde toda a autoridade para cobrar bons resultados. O líder é o espelho e inspira os demais. Não atrapalhe o andamento de todo um grupo!

Enxergar as pessoas da equipe como inferiores

Sim, existe uma hierarquia dentro de qualquer lugar mas, respeitar as pessoas que trabalham com você independente do cargo é essencial. Tenha tempo para observar seu time e se disponibilizar ajuda a aumentar o conhecimento do colega. Rotular as pessoas é péssimo. Procure entender os pontos fracos e fortes de cada membro do grupo e se dedicar a ensinar quem tiver precisando de uma mão.

Saber, não só liderar, mas também fazer parte de um trabalho em equipe é essencial para qualquer bom profissional. Quer saber mais sobre liderança? Clique AQUI.

Qual é a importância do Marketing Pessoal?

O Marketing é um conjunto de estratégias que visa atender as necessidades dos clientes de uma empresa e fortalecer sua imagem no mercado, certo? Já pensou que é possível criar alguns caminhos para fazer isso com sua própria imagem, como se fosse um negócio? É assim que funciona o Marketing Pessoal. Se você deseja ser referência no seu segmento, ele é essencial e deve ser trabalhado o tempo todo.

Vamos começar pensando em redes sociais. Não que você vá fazer todas elas de perfis profissionais, mas é interessante levar em consideração que funcionários, parceiros e possíveis clientes podem ter acesso ao que é compartilhado. Então, é possível aproveitar essa oportunidade para compartilhar conteúdos interessantes e reforçar sua autoridade no seu segmento. Esse é um modo de fortalecer a marca “você”. Porém, é preciso também ter cuidado com tudo que é falado, seguindo essa mesma lógica do público que você tem na internet.

Para além do online, é importante que você cuide da sua aparência, tanto física quanto no modo de se comportar. Vai do modo como você se veste até como compartilha seu conhecimento e valoriza o do outro. É necessário lembrar de cuidar da sua imagem mas sem fingir algo que você não é.

O autoconhecimento é uma ferramenta chave para um bom Marketing Pessoal. Sabendo suas habilidades, defeitos e qualidades fica mais fácil de destacar os pontos positivos e mostrá-los na sua vida profissional. Você escreve bem? Que tal produzir artigos e publicar em blogs? Tem uma didática muito boa? Que tal fazer um vídeo discutindo sobre um assunto? Aproveite suas habilidades!

Resumindo, para construir uma estratégia de Marketing Pessoal, você levará em consideração elementos parecidos com os do Marketing tradicional: o público, o produto e os objetivos. Vamos recapitular o que fazer, então?

1- Tenha cuidado com as redes sociais, observe o que é bom e o que não é ideal postar

2- Invista no visual e preste atenção no seu comportamento perante as pessoas

3- Compartilhe seu conhecimento

4- Observe seus pontos fracos e fortes

Procure estar atento a essa dicas, construa um Marketing Pessoal eficiente e aumente sua visibilidade como profissional.