Aprenda aqui como fazer mapeamento de competências dos funcionários

Encontrar profissionais qualificados a fim de desempenhar corretamente suas atividades e contribuir para o sucesso da empresa é muito importante.

Dessa forma, o mapeamento de competências torna-se uma incrível ferramenta de gestão, de modo a delinear a avaliação dos funcionários e possíveis alterações, como a redistribuição de funções.

Você já ouviu falar sobre mapeamento de competências? Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é mapeamento de competências?

O mapeamento de competências faz parte das estratégias dos Recursos Humanos (RH), e sua finalidade é a definição das aptidões necessárias para cada cargo dentro da empresa. Quando a empresa define corretamente todas as competências ela consegue demarcar também o que pode esperar de cada colaborador.

O processo de mapeamento viabiliza a identificação das lacunas mais importantes dentro da organização. Assim, o gestor terá embasamento para elaborar estratégias e obter os melhores resultados para o bem geral.

Qual a relação entre competências e o CHA?

Para compreender melhor o que são competências, as ideias por trás da sigla CHA ajudarão bastante. Pode-se considerar como competência o conjunto de habilidades e disposições que um funcionário precisa ter para desempenhar determinada tarefa.

CHA significa Conhecimentos, Habilidades e Atitudes. O departamento de Recursos Humanos costuma usar esses três critérios para definir as competências.

Vamos definir esses itens, um por um:

  • conhecimentos: conjunto de informações, especialmente as técnicas, que o funcionário precisa ter para desenvolver determinada atividade;
  • habilidades: relacionam-se com a capacidade que o funcionário apresenta de colocar em prática seus conhecimentos;
  • atitudes: a forma de relacionamento que o funcionário mantém com as outras pessoas dentro da empresa, com as suas próprias atividades, com as suas próprias emoções e sentimentos, considerando-se, sobretudo, o domínio que ele tem sobre tudo isso (Análise Comportamental, também chamada DISC).

Como aplicar o mapeamento de competências?

O mapeamento de competências pode ser aplicado basicamente em três etapas: observação; aplicação de questionários; e consolidação dos resultados.

É necessário fazer uma lista elencando todas as competências necessárias para os cargos da empresa. Em uma Planilha de Avaliação de Desempenho por Competência, é possível registar todas elas, como:

  • comunicação;
  • autoconfiança;
  • liderança;
  • autonomia;
  • pontualidade;
  • responsabilidade;
  • paciência:
  • capacidade de aceitar e obedecer as regras;
  • determinação;
  • relacionamento com a equipe;
  • moral e ética.

Essas habilidades servem, em geral, para todos os cargos da empresa, mas vale apontar que alguns cargos podem ter demandas específicas em determinados aspectos, obviamente.

Veja agora como funciona cada etapa do mapeamento de competências:

Observação

A fim de mapear as competências de um cargo específico é preciso observar os funcionários em atividade. É fundamental compreender os processos mais importantes que a função realiza e a forma como o funcionário se relaciona com as outras normas e setores da organização.

Como se trata de um processo de observação, naturalmente é passível de falhas. Porém, é conveniente aplicá-lo, ainda que haja uma margem de erros a se considerar.

Aplicação de questionários

Essa etapa consiste em perguntar aos próprios funcionários quais as competências essenciais para desempenhar as funções:

  • pesquisa qualitativa: os funcionários preenchem o questionário com suas próprias opiniões sobre as competências requeridas (a análise dos questionários levará mais tempo já que haverá muitas respostas diferentes);
  • pesquisa quantitativa: os campos dos questionários são padronizados, elaborados pelo gestor, cabendo ao funcionário marcar as competências que considera necessárias para o cargo (pode-se deixar um espaço para colocar uma nota para cada competência).

Consolidação dos resultados

Nessa etapa, é preciso avaliar os dados e definir as competências para cada função. O gestor pode contar com a ajuda de outros profissionais para ouvir opiniões diferentes e chegar a uma conclusão. Com uma lista predefinida de competências, o trabalho torna-se mais simples.

Após o mapeamento de competências, será possível usar outras ferramentas da gestão de RH, como a Avaliação de Desempenho de Competências, cuja finalidade é avaliar os colaboradores por meio dessas classificações (é uma forma de buscar respaldo para decisões mais sérias, como demissões, transferências e promoções).

Já realiza o mapeamento de competências na empresa em que trabalha? Segue todas aquelas etapas citadas? Como costuma fazer o mapeamento? Deixe um comentário sobre o assunto!

5 filmes sobre professores que inspiram liderança

Professores são os primeiros líderes que temos contato. Do maternal a pós-graduações, eles fazem parte de nossas vidas e quem nunca teve um professor inspirador?

Dia 15 de outubro, se comemora o dia deles e hoje separamos para você alguns filmes com líderes do ensino que puderam transformar a vida de seus alunos através de lições de vida e exemplos de liderança. Confira:

1- Mentes Perigosas – Para trabalhar a mudança de métodos

O filme, baseado numa história verídica, conta a história da professora LouAnne Johnson que, ao perceber que os métodos convencionais não estavam conseguindo chamar a atenção dos seus alunos, decidiu inovar. Para motivá-los, ela começou a trazer para suas aulas assuntos que estavam relacionados ao universo deles, como o Karatê ou as músicas de Bob Dylan. Com essas estratégias, ela conseguiu se aproximar dos estudantes e mostrar que era possível repensar as práticas pedagógicas.

2- Matilda –  Para trabalhar o afeto

Matilda era uma garota com habilidades especiais e com sede de conhecimento que sempre foi incompreendida pelos pais. Então, ao passar a frequentar a escola ela encontrou uma professora que notou o seu potencial. Em diversos momento do filme, Jennifer Honey (Embeth Davidtz) mostra como um professor inspirador e afetuoso pode ser importante para um aluno.

3- Sociedade dos poetas mortos – Para trabalhar a reflexão

Em 1959, numa tradicional e conservadora escola preparatória, um ex-aluno (Robin Williams) se torna o novo professor de literatura, mas logo seus métodos de incentivar os alunos a pensarem por si mesmos cria um choque com a direção do colégio, principalmente quando ele passa a falar para os  estudantes sobre a “Sociedade dos Poetas Mortos”.

4-O sorriso de Monalisa – Para trabalhar o empoderamento

Julia Roberts interpreta uma professora que dá aulas de História da Arte. Ela desafia o conservadorismo da escola e das estudantes que têm como único sonho casar e ter filhos. Sua trajetória acaba servindo de inspiração para o empoderamento das mulheres de sua classe.

5- Escola de Rock – Para trabalhar o potencial da equipe

Quem nunca teve aquele professor “maluco”?Jack Black interpreta um músico que acaba de ser demitido. Sem ter o que fazer, ele aceita dar aulas como professor substituto em uma escola particular de disciplina rígida. Dewey passa a ensinar música fazendo com que alguns alunos se juntem a ele para montar uma banda local, sem o conhecimento de seus pais.O personagem não era maior exemplo de líder a ser seguido, mas a partir do momento que passou a ensinar música para as crianças, mostrou a elas o potencial que tinham e pode desenvolver uma equipe de sucesso.

Sinopses adaptadas dos sites: Porvir, Adoro Cinema e MdeMulher

5 líderes admirados pela geração Y

Todo ano, a AIESEC realiza um estudo que procura oferecer para vários jovens a oportunidade de opinar sobre vários temas. Propósitos de vida, objetivos globais e liderança são alguns deles. O Youthspeak Survey é realizado em todo o mundo e em 2015, só no Brasil, foram colhidas 14.000 respostas. No tópico “liderança” foram levantadas as principais características que jovens brasileiros de 16 a 30 apontam como essenciais para definir um bom líder: humildade, altruísmo, carisma, visão, ambição, empatia, determinação e dedicação.

De acordo com esses atributos, veja alguns líderes que apareceram como mais admirados pelos jovens brasileiros de acordo com as características citadas anteriormente:

1- Nelson Mandela

O líder foi um dos mais importantes presidentes da África do Sul. Além de ter sido o primeiro negro a ocupar o cargo, foi muito importante para a história, liderando o movimento contra o Apartheid, regime de segregação racial de 1948 a 1994. Posteriormente negociou a Constituição que colocou fim nessa política.

2- Mahatma Gandhi

O líder pacifista foi a principal personalidade na luta pela independência dos indianos. Cursou direito e  também lutou contra o racismo na África do Sul. Era humilde, pregava o amor aos pobres e o diálogos entre as religiões para instaurar a paz.

3- Malala Yousafzai

A líder paquistanesa é uma jovem militante dos direitos das meninas de ir à escola. Ela fez um blog falando sobre seus obstáculos para estudar e por isso levou três tiros contra sua cabeça quando estava dentro do ônibus. Malala se recuperou, se tornou porta voz da causa e aos 17 anos foi considerada a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz. 

4- Barack Obama

Obama foi o primeiro negro a ser presidente dos Estados Unidos da América, nação que possui muitos conservadores na política. Muito carismático, se mostrou em sua campanha preocupado com o sistema de saúde, se posicionou a favor do fim da guerra do Iraque e do desarmamento nuclear.

5- Papa Francisco

Francisco é o primeiro papa latino-americano da história. É considerando um líder carismático, humilde, que defende uma igreja com mais compaixão pelos pobres e que busca se aproximar mais da juventude.

Gestão de pessoas: desenvolva bem seus profissionais

Manter um bom relacionamento entre funcionários e líderes de uma empresa é essencial para que qualquer negócio dê certo. Se preocupar com o capital humano, auxilia a desenvolver colaboradores mais motivados e engajados nos objetivos e metas da corporação.

Para que isso aconteça, é necessário ter atenção com cada membro da equipe, observar o quão capacitados estão para seus serviços e assim, poder oferecer feedbacks com elogios ou sugestões de melhoria. Veja a seguir, alguns pontos válidos de investimento para gerir as pessoas da sua equipe:

Preparação

É importante que o funcionário receba uma boa preparação desde sua entrada. Treinamentos sobre o cargo, o funcionamento da empresa, as metas a serem atingidas e como ele contribuirá com esses resultados são essenciais.

Disciplina

Seja organizado nas coisas da empresa e incentive seus colaboradores a serem também, crie esse clima. Negocie com cada funcionário os horários para cada tarefa de acordo com o tempo gasto para o trabalho e ele criará um hábito. Disciplina é essencial para um bom desenvolvimento.

Trabalho em equipe

Crie a cultura do trabalho em equipe na empresa desde o momento de decisões. Seja transparente com a empresa e cultive um ambiente favorável para sugestões e troca de ideias.

Valorização do esforço

Seja observador com o trabalho de sua equipe. Veja as qualidades e dificuldades de cada um para investir em soluções de incentivo e melhoria de dificuldades. Saiba também do tempo de cada um, para buscar meios de trabalhar a produtividade conciliando o ritmo da pessoa e o que a empresa precisa.

Elogio

Se as pessoas estão realizando um bom trabalho, é importante valorizá-lo! Assim, elas continuarão motivadas a crescer em seus segmentos e a alcançar sempre bons resultados.

A AIESEC qualifica jovens através da experiência profissional na própria organização e assim esses aspectos são valorizados, já que visamos transformar jovens através, principalmente, de atividades de liderança.

Clique AQUI para saber mais.

3 erros que bons líderes não devem cometer

Ter um perfil de liderança é algo que vem sendo bastante valorizado pelas empresas na hora de escolher seus funcionários. Mesmo que você ainda seja um “subordinado”, é importante buscar exercer hábitos praticados por um líder pois, muitas vezes, existem situações de trabalho em equipe que é preciso ter alguém para delegar tarefas. Quer desenvolver características de liderança? Veja alguns erros que bons líderes não devem cometer:

Querer fazer tudo sozinho

Conhecer bem e ter confiança no time que você trabalha é essencial. Assim, será possível distribuir as tarefas de uma forma que não sobrecarregue ninguém. Além disso, se você tiver um conhecimento amplo sobre alguma coisa, é interessante compartilhar com o restante da equipe. As pessoas podem realizar o trabalho e você supervisionar, tirar dúvidas. Guardar um conhecimento apenas para você e não se preocupar com o aprendizado do outro é egoísta e péssimo para a imagem de um líder.

Falar uma coisa e fazer outra

Como já foi citado no item anterior, confiança é essencial na hora de construir coisas em grupo. Logo, é importante para um líder ser uma pessoa de palavra. Se propôs a fazer algo? Então faça. Falar uma coisa e fazer outra é uma armadilha para figuras de liderança, já que assim ela perde toda a autoridade para cobrar bons resultados. O líder é o espelho e inspira os demais. Não atrapalhe o andamento de todo um grupo!

Enxergar as pessoas da equipe como inferiores

Sim, existe uma hierarquia dentro de qualquer lugar mas, respeitar as pessoas que trabalham com você independente do cargo é essencial. Tenha tempo para observar seu time e se disponibilizar ajuda a aumentar o conhecimento do colega. Rotular as pessoas é péssimo. Procure entender os pontos fracos e fortes de cada membro do grupo e se dedicar a ensinar quem tiver precisando de uma mão.

Saber, não só liderar, mas também fazer parte de um trabalho em equipe é essencial para qualquer bom profissional. Quer saber mais sobre liderança? Clique AQUI.

Ferramenta de liderança jovem: entrevista com Lucas Mendes

A AIESEC e o Itaú tem trabalhado juntos já há algum tempo, com ações de atração de talento jovem (através de employer branding) e com o recrutamento internacional para uma área do banco. Para falar sobre temas ligados à importância da liderança no mercado de trabalho, a AIESEC convidou um dos fundadores do Cubo coworking Itaú, plataforma de fomento ao empreendedorismo digital, Lucas Mendes, Coordenador de Produtos.

1) O que é liderança para você? Quais são suas referências, no Brasil, de liderança?

Liderança é a capacidade de fazer as pessoas escutarem e acreditarem no que o líder fala e, a partir disso agirem.  Vai muito além de um cargo ou posição e tem muito mais a ver com credibilidade, confiança e admiração.

No Brasil acho que temos bons líderes em vários setores: o Bernardinho e  Zé Roberto Guimaraes são grandes líderes nos esportes, o Roberto Setubal, o Pedro Moreira Salles, o Marcel Telles são todos grandes líderes empresarias. Fora do Brasil eu gosto muito do Sir Richard Branson e do Papa Francisco.

2) Atualmente, gerindo sua equipe, qual a importância do empoderamento?

É um tema central para deixar os colaboradores com autonomia para decidirem, gerarem resultado e se enxergarem como os responsáveis pelo resultado do time. No fundo, todo o resultado acontece por meio deles e o empoderamento deve refletir a realidade que os colaboradores são centrais no desempenho do time, tendo o gestor o papel de facilitar o trabalho deles.

3) Quais características relevantes você acredita que o jovem da Geração Y precisa desenvolver para se destacar no mercado de trabalho?

Curiosidade, iniciativa, vontade de aprender e uma certa habilidade/paciência para ler os cenários e construir relacionamentos com as pessoas chave que podem ajudar no desenvolvimento da carreira. No fundo, o que vale mais é se aproximar de pessoas que você admira para aprender com elas e se desenvolver.

4) Como você, enquanto líder, engaja sua equipe?

Tento fazer uma gestão transparente e participativa, compartilhando as decisões com o time e pedindo feedbacks constantes sobre como podemos melhorar. Aqui vale notar que engajamento também é algo que depende muito do interesse de cada um: tem gente que se motiva fácil e isso é ótimo! O ideal é se cercar de pessoas que se engajam com tudo, compartilhar informações/decisões e dar bastante autonomia. Acho que com autonomia e propósito é mais fácil de gerar engajamento e despertar o sentimento de dono.

Lucas Mendes é LL.M. (Mestre em Direito) pela Universidade da Califórnia, Berkeley. Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais. Trabalhou no International Trade Center, órgão das Nações Unidas e OMC, no escritório Campos, Fialho, Canabrava, Borja, Andrade, Salles advogados e na assessoria da presidência do CADE.

processo seletivo para jovens talentos

Seja um parceiro AIESEC e traga o mundo para dentro da sua empresa

A AIESEC pode fazer a diferença na sua empresa

O empreendedor está sempre à procura de um diferencial para o seu negócio, e em busca de pessoas que possam ajudá-lo a fazer a diferença. Mas nem sempre é fácil achar o que sua empresa precisa. A AIESEC é uma organização formada por jovens que se preocupam em liderar um impacto positivo na sociedade em que vivemos, a partir da promoção da paz, igualdade, tolerância e bem-estar social. Para gerar esse impacto, ela desenvolve nos jovens habilidades e potencial de liderança através do aprendizado proativo, experiências voluntárias e intercâmbios.

Você sente dificuldade em contratar mão de obra qualificada e com o espírito que você precisa? Tenha acesso ao nosso banco de talentos e conheça o programa Talentos Globais.

O custo benefício é vantajoso para ambas as partes. Os candidatos são jovens que buscam autoconhecimento, e a chance de se tornarem excelentes profissionais com crescimento em sua área de atuação. Os principais cursos são das áreas de Administração, Negócios Internacionais, Marketing, RH e Finanças. O perfil dos candidatos é diferenciado e contempla uma visão global de negócios para quem está à procura de internacionalização e competitividade internacional. Assim, a empresa paga apenas uma taxa pela adesão do programa e uma bolsa auxílio (vale-refeição, vale-transporte e host) para o participante nos meses de duração do intercâmbio.

Os benefícios de trabalhar com intercambistas de todo o mundo são inúmeros. Você pode escolher para sua empresa um universitário ou recém-formado, de acordo com sua necessidade. Escolhendo esses profissionais globais, você pode agregar valor ao seu negócio com o conhecimento do estudante, ampliando a visão empreendedora da sua companhia com pessoas pró ativas em seu painel de funcionários. A chance de ter novas ideias e abordagens de negócios mais arrojadas também são grandes. Se você se interessar pelo profissional, você ainda pode optar por contratá-lo através do sistema de trainee. Conheça um case que pode ajudá-lo na decisão de trazer o mundo para a sua empresa:

 

processo seletivo para jovens talentos