Contratação de estrangeiros: fique atento as principais regras!

Não é de hoje que empresas brasileiras ou com sede no Brasil buscam a contratação de estrangeiros. As vantagens incluem abertura para uma percepção diferenciada, contar com uma visão de cultura diferente e desenvolver parcerias internacionais.

No entanto, vale lembrar que contratar pessoas de outros países envolve o cumprimento de algumas formalidades e condições que devem ser observadas e cumpridas para não gerar custos e implicações aos empregadores e aos colaboradores. Confira aqui as principais regras:

Contratação de estrangeiros e a legislação

A resolução normativa do Conselho Nacional de Imigração (CNI Nº 104 DE 16.05.2013) institui que a empresa interessada em contratar um trabalhador estrangeiro, de forma permanente ou temporária, deve solicitar junto à Coordenação Geral de Imigração do Ministério do Trabalho e Emprego uma autorização de trabalho . A Coordenação tem um período de até 45 dias para analisar o pedido, podendo deferir ou indeferir a solicitação.

Com a autorização e o visto, o estrangeiro pode embarcar para o Brasil e deve providenciar, junto à Policia Federal, a identidade de estrangeiro e a carteira de trabalho (CTPS) junto ao Ministério do Trabalho.

Existe o prazo de 90 dias, a partir de seu ingresso no País, para que o funcionário comprove junto à Coordenação sua inscrição no PIS/PASEP e no CPF/MF. Quando se tratar de atividade regulamentada e sujeita à fiscalização do exercício profissional, é preciso comprovar também inscrição no Órgão de Classe.

Contrato de trabalho

Para ter um estrangeiro em sua equipe, o contrato de trabalho deve ser elaborado e assinado antes do início da prestação de serviços, pois este documento será encaminhado ao consulado para requisição do visto. O contrato será temporário, pois o visto também é inicialmente temporário. Quando o visto é prorrogado, o contrato também poderá ser estendido.

O estrangeiro fica vinculado à empresa e, em caso de rescisão contratual, as autoridades deverão ser imediatamente comunicadas.

Imigrantes de alguns países não precisam vir para o Brasil com um emprego definido, podem chegar ao país e solicitar autorização de permanência à Polícia Federal. Esses países são: Bolívia, Chile, Peru, Colômbia, Paraguai e Uruguai.

Direitos

Ao trabalhar no Brasil, os estrangeiros passam a ter todos os direitos garantidos pela legislação brasileira. Segundo a Constituição, o trabalhador estrangeiro tem os mesmos direitos que o brasileiro, como por exemplo, o 13º salário, férias, FGTS, INSS, entre outros.

Regras impostas à empresa

Os artigos 352 e seguintes da CLT estabelecem o limite de contratação de um trabalhador estrangeiro para cada dois brasileiros, ou seja, somente um terço dos colaboradores de uma organização pode ser estrangeiro. Além disso, a empresa deve justificar, junto ao Ministério do Trabalho, o motivo da contratação de mão de obra estrangeira, pois entende‐se que deve existir preferência aos brasileiros.

Como vimos, existem diversas regras e condições que envolvem contratar estrangeiros. Nesse contexto, contar com uma empresa especializada em intercâmbios pode proporcionar uma excelente experiência e ajudar nessa tarefa. Fique atento a essas formalidades e prepare-se para receber um estrangeiro!

Gostou deste texto com orientações para contratação de estrangeiros? Então compartilhe-o em suas redes sociais e ajude mais pessoas a também conhecer essas regras!

De que países vêm os trabalhadores mais produtivos do mundo?

Você já se perguntou quem são os trabalhadores mais produtivos do mundo? Você pode até não saber de onde eles vêm, mas provavelmente sabe que o Brasil ainda está começando quando o assunto é alta performance.

Desse modo, a possibilidade de se basear em dados reais sobre o desempenho de trabalhadores nas mais diversas partes do mundo traz uma maior segurança para quem está pensando em contratar talentos estrangeiros

Antes de recrutar colaboradores de fora, é importante avaliar a cultura do país de origem, bem como as condições de trabalho com as quais os candidatos estão acostumados.

Também é importante saber que, quando o assunto é produtividade, existem alguns países que se destacam. Ficou curioso? Continue a leitura!

Estados Unidos da América

Um trabalhador americano produz o equivalente a quatro trabalhadores brasileiros. Essa foi a conclusão de uma pesquisa feita com organizações públicas e privadas em mais de 60 países. A referência para esse cálculo é quanto cada trabalhador contribui para o PIB do seu país. 

Dentre os principais motivos associados ao bom desempenho do trabalhador americano, podemos destacar: investimento em treinamento (de 120 a 140 horas por ano) — enquanto no Brasil são investidas apenas 30 horas por ano, em média — e maior qualificação dos profissionais.

Além disso, há condições tributárias que influenciam nessa dinâmica, beneficiando empregadores e empregados nos Estados Unidos.

França

Quando a avaliação é sobre produtividade por hora trabalhada, os franceses ganham dos americanos. Tal fato é associado às políticas de férias generosas e ao tempo maior que os trabalhadores franceses possuem para descansar e se dedicar ao lazer.

Nesse sentido, a alta performance se deve a uma menor rigidez na jornada de trabalho, o que deixa o país em segundo lugar no ranking de funcionários mais produtivos do mundo pela Organization for Economic Cooperation and Development (OECD).

Outros países como a Suécia e a Dinamarca também investem na reputação de bons empregadores, oferecendo qualidade de vida a seus colaboradores.

Alemanha 

Em primeiro lugar, nesse mesmo ranking, ficou a Alemanha. O país, que tem o PIB quatro vezes maior que o Brasil (com apenas 81 milhões de habitantes), tem como diferencial o investimento em pesquisa e desenvolvimento. Quase 3% do seu PIB é aplicado no setor — enquanto o Brasil investia menos de 1% no mesmo setor em 2013. 

Além disso, desde quando foi unificada na década de 90, a Alemanha passou por diversas reformas, colhendo na última década os frutos das estratégias pensadas em longo prazo.

Algumas das características dessas medidas são a possibilidade de estabelecer contratos temporários e os arranjos criativos da jornada de trabalho, conhecidos como Arbeitszeitkonten.

Diante desses dados, é possível concluir que a produtividade de trabalhadores não se deve a fatores individuais ou pessoais apenas, mas principalmente às condições de trabalho oferecidas.

Portanto, contratar estrangeiros que estejam acostumados a uma cultura organizacional especifica, as quais oferecem qualidade de vida e capacitação profissional, se torna também um compromisso em investir nesses dois aspectos.

Caso contrário, provavelmente o colaborador se sentirá desmotivado e terá uma queda no seu desempenho. 

Ficou surpreso com os países que abrigam os trabalhadores mais produtivos do mundo? Compartilhe este conteúdo com seus amigos e veja se eles sabem quem são os campeões em produtividade!

4 dicas para lidar com a escassez de mão de obra qualificada

Infelizmente, os gerentes e diretores têm deparado com um grande problema, a escassez de mão de obra qualificada, que muitas vezes pode prejudicar o crescimento e o desempenho da empresa independentemente de qual seja a sua área de atuação. O cenário econômico brasileiro tem exigido o máximo das empresas e fez também com que a concorrência do mercado aumentasse bastante em todos os segmentos.

Nesse contexto, os gestores têm buscado maneiras de aperfeiçoar a qualidade dos produtos e dos serviços prestados, mas para isso é essencial que contem com um time de ponta.

Separamos neste post 4 dicas para lidar com a escassez de mão de obra qualificada, veja e aprenda como garantir um time de excelência e obter ótimos resultados!

1. Contratar estagiários

Os estagiários são uma mão de obra que não implica em grandes gastos para a empresa, ao mesmo tempo são estudantes que já possuem uma boa qualificação e podem agregar ao negócio novos conhecimentos vistos na universidade ou faculdade.

Além disso, como os estudantes não têm muita experiência no mercado de trabalho, geralmente não possuem manias e vícios de outras empresas, o que ajuda na adaptação e no crescimento da corporação.

2. Oferecer programas de estágio para profissionais de outros países

O mundo globalizado permite uma série de ganhos para as empresas, um ótimo benefício que podemos citar é a facilidade de criar programas de estágio internacionais. Contratar estagiários de outros países pode ser uma excelente forma de qualificar melhor o time da empresa e leva-la a alcançar melhores resultados.

Ao contar com funcionários de outras nacionalidades a empresa tem acesso a diferentes formas de pensar e conhecimentos que muitas vezes eram desconhecidos. Desta forma, consegue-se evoluir e qualificar bastante a equipe, o que resulta em maiores e melhores ganhos para o negócio.

Antes de abrir um programa de estágio internacional, entenda quais são as 3 vantagens de contratar um estagiário estrangeiro!

3. Proporcionar treinamento aos funcionários

Uma ótima maneira de lidar com a escassez de mão de obra qualificada e driblar esse problema que pode afetar bastante qualquer negócio, é proporcionar treinamentos e investir na capacitação dos colaboradores. Quanto maior for a instrução dos funcionários e eles tiverem conhecimento dos processos e sistemas da empresa, melhores serão as tarefas desempenhadas por eles.

É muito importante que os gerentes busquem ao máximo proporcionar palestras e cursos de capacitação. É fundamental sempre lembrar-se que quanto mais bem treinados forem os colaboradores, mais eficiente e lucrativa será a empresa.

4. Incentivar a capacitação dos colaboradores

Para que as empresas possuam mão de obra qualificada os gerentes, coordenadores e líderes de equipe devem sempre incentivar os funcionários a estudarem e se capacitarem. Uma ótima forma de ajudá-los a buscar maior capacitação é fechando parcerias com diversas instituições de ensino e a empresa. Os gerentes devem procurar escolas de idiomas, faculdades e diversas outras instituições que possam contribuir para o crescimento dos funcionários.

Isso além de proporcionar maior conhecimento aos colaboradores, ajuda também a criar uma maior vínculo entre eles e a empresa fazendo com que se sintam mais motivados e felizes com o trabalho.

Não deixe de ler também 3 dicas para montar uma equipe de alta performance e garantir ótimos resultados para o seu negócio mesmo em cenários de crise econômica!

Gostou das nossas dicas de como lidar com a escassez de mão de obra qualificada? Caso queira qualificar melhor sua empresa, não deixe de entrar em contato com a AIESEC para aumentar a performance e os resultados do seu negócio!

Por que é importante dar valor ao intercâmbio no currículo?

Encontrar o emprego ideal é o sonho de muitos profissionais que, dentro ou fora do mercado de trabalho, tornam suas rotinas adaptadas às qualificações para que o currículo seja tão atraente quanto gostariam. Porém, é justamente por isso que o intercâmbio no currículo é um dos itens mais interessantes.

Isso porque a experiência profissional torna qualquer indivíduo adaptado às diferentes realidades do mundo, o que faz com que os olhos do mercado de trabalho se direcionem a ele com o seguinte questionamento: uma experiência internacional o torna atraente, mas como ele apresentará isso para mim?

Se estes questionamentos fazem parte do seu dia a dia, você está no lugar certo.

A escolha do profissional ideal e a certeza da contratação

Escolher um profissional que teve experiência de intercâmbio é uma tarefa árdua, pois são diversos aspectos da vivência de cada um que serão interessantes — ou não — para a empresa.

De início, qual foi o destino escolhido? Algumas cidades são notoriamente conhecidas pela farra que proporcionam aos visitantes. Quanto tempo de curso? Se a escolha foi de apenas um mês, porque estava de férias, qual foi a carga horária adotada?

Um dos quesitos mais importantes a ser avaliado, além do idioma em si, é a motivação que levou aquela pessoa a fazer um intercâmbio. Muitos vão dizer que foi por questão profissional, pois precisava aprimorar o inglês, mas é justamente como o candidato demonstra isso que fará toda a diferença.

O intercâmbio no currículo torna alguém mais interessante

O valor que o candidato pagou em seu intercâmbio nem sempre é o proporcional à qualidade que ele apresenta ao mercado de trabalho. Isso é visível ao avaliar candidatos que ficaram meses fora e os que puderam permanecer apenas algumas semanas.

Isso porque o valor que o candidato terá para a organização é o mesmo que ele adotou ao considerar seu intercâmbio algo representativo. É a diferença entre encontrar um candidato capacitado e um acima das expectativas.

A diferença entre status e qualidade profissional

Ao adotar uma postura mais generalista na gestão de pessoas, é necessário averiguar não só a procedência intencional do candidato ao dissertar sobre seu intercâmbio, mas também quesitos como o planejamento estratégico junto ao departamento de Recursos Humanos.

Além disso, ao conseguir escolher um profissional gabaritado, qual será a postura da empresa para evitar a evasão em decorrência de pacotes remunerativos mais atrativos? Quais são as políticas de remuneração e, sobretudo, de reconhecimento profissional que a empresa tem?

O momento da entrevista é delicado e pede segurança no discurso, pois representar a empresa nesta troca de informações é algo acima do comum. É exigido como o momento de grande foco para decidir sobre o futuro de ambos os lados — empresa e candidato.

Para a empresa que busca profissionais reciclados pela experiência internacional, é necessário compreender muito bem o enquadramento no qual ele está: uma posição de negociação um pouco mais vantajosa.

E aí? Gostou desse conteúdo? Veja, então, como desenvolver melhor os profissionais da sua empresa, clicando aqui.

Por que recrutar candidatos que fizeram voluntariado?

O trabalho voluntário enriquece qualquer currículo profissional. Ele pode revelar um ponto de suma importância no perfil daquele que se dispõe a realizá-lo: a capacidade de pensar no coletivo e trabalhar sem recompensas materiais.

Neste artigo listamos as principais razões pelas quais contratar um profissional que já tenha participado de um voluntariado é de grande importância para as empresas.

O que é trabalho voluntário e por que ele enriquece o currículo

A legislação brasileira define o trabalho voluntário como aquele realizado sem nenhum tipo de remuneração, com objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade, de acordo com a Lei no. 9.608/98, que define essas diretrizes.

O trabalho voluntário implica, portanto, em um ato realizado de livre e espontânea vontade por um indivíduo que visa auxiliar pessoas, animais, ecossistemas etc. Tais ações são realizadas com intuito de promover o bem de outros, sem pagamento ou qualquer outro tipo de recompensa material.

Ganhos proporcionados pelo voluntariado

Apesar de não gerar benefícios materiais para o indivíduo, o trabalho voluntário é capaz de proporcionar diversos ganhos na forma, por exemplo, de:

  • experiência profissional,
  • novos contatos de trabalho,
  • vivência com o público,
  • treinar a comunicação interpessoal,
  • ampliar capacidade de trabalho coletivo,
  • aprofundar a habilidade de tomar decisões importantes,
  • proatividade.

As empresas, por sua vez, demonstram interesse na contratação de profissionais com experiência nesse tipo de trabalho por conta de fatores como a demonstração de integridade, engajamento, capacidade de tomar iniciativas importantes e trocar conhecimento, habilidade de perceber onde o trabalho é necessário etc.

Além disso, o trabalho voluntário revela que o candidato não ficou parado enquanto estava sem emprego remunerado, sem contato com a área de atuação ou sem deixar de aperfeiçoar suas habilidades profissionais.

Alguns exemplos de trabalhos feitos de forma voluntária e que podem trazer bom destaque a um currículo são:

  • Casas de idosos e crianças;

  • Festivais e gincanas culturais;

  • Aulas e oficinas em comunidades carentes;

  • Abrigos de animais;

  • Instituições de ensino para pessoas especiais;

  • Mutirões ecológicos.

Como inserir trabalho voluntário no currículo profissional

Conforme procuramos demonstrar até aqui, o voluntariado pode enriquecer muito o currículo profissional de um candidato. Não obstante, existe a forma correta de inserir essa informação no histórico de atividades, como realizar atividades que tenham a ver com o ramo de atuação da empresa e também com a personalidade e função do candidato.

Ou seja, pouco adianta ter feito trabalho voluntário ensinando inglês para pequenos monges em um mosteiro se a pessoa está se candidatando a uma vaga de contador.

O ideal é que a experiência lecionando para crianças no estrangeiro seja realizada por alguém que deseja trabalhar com ensino de idioma, por exemplo.

O trabalho voluntário presente no currículo de um candidato pode revelar diversos aspectos importantes de sua personalidade, tais como as causas com as quais se compromete, sua visão de mundo, entre outros fatores.

Para o recrutador é uma ótima oportunidade para conhecer melhor as características individuais de cada recrutado e conseguir mais informações sobre seus objetivos e posturas profissionais.

O que você achou do nosso post? Aproveite para conferir também os X motivos para contratar estrangeiros na sua empresa!

Como definir metas que não sufocam seus funcionários?

Definir metas ajuda sua empresa a criar o mindset correto para garantir que ela esteja crescendo constantemente. Mas esse é um assunto que nem todos os gestores se sentem à vontade para tratar, uma vez que fazer essa definição pode mostrar as falhas e fraquezas de cada área.

Definir metas tem como principal objetivo guiar os colaboradores dentro do propósito da sua empresa para aquele período e garantir que eles atuem juntos para poder alcançá-las, o que por si só é um grande motivador para muitos. Ter certeza que todos entendem a importância do seu papel e das suas atividades dentro daquela meta permite maximizar a performance dos colaboradores.

As metas batidas também podem ter como consequência uma bonificação individual ou em grupo, o que é mais uma forma de motivar aqueles que precisam de um “empurrãozinho” extra. Mas para serem eficientes, as metas devem ser claras e facilmente compreendidas. Para isso, você pode usar a metodologia SMART.

Saiba mais sobre ela e veja como ter metas que encorajam verdadeiramente seus colaboradores:

A metodologia SMART para definir metas

SMART é um termo em inglês que define que metas devem ser específicas (Specific), mensuráveis (Measurable), atingíveis (Attainable), relevantes (Realistic) e com um tempo definido (Time bound).

Essa metodologia consiste em criar uma checklist para ver se todas as premissas acima estão sendo respeitadas.

Específicas

As metas devem ser específicas e responder a algumas perguntas:

  • Quem? Quem está envolvido e quem participará da meta;
  • O que? O que está sendo tratado e o que deve ser conquistado;
  • Onde? Identificar o local;
  • Por que? Por que essa meta está sendo definida?

Um bom exemplo de uma meta específica é a seguinte: o time de vendas deve aumentar o faturamento da empresa para garantir o seu crescimento e permitir a venda de ações no mercado financeiro.

Nessa meta temos quem (o time de vendas), o que (aumentar o faturamento), onde (da empresa) e o porquê (garantir o crescimento e permitir a venda de ações no mercado financeiro).

Mensuráveis

As metas definidas também devem ser mensuráveis. De quanto estamos falando? Como saberemos se ela foi alcançada?

Se usarmos a meta criada acima podemos ainda complementar: o time de vendas deve aumentar o faturamento da empresa em 30% para garantir o seu crescimento e permitir a venda de ações no mercado financeiro.

Nela temos a certeza de quanto o time de vendas precisa aumentar o faturamento (em 30%) e podemos saber se a meta foi atingida a partir do número estipulado.

Atingíveis

Não adianta colocar uma meta muito acima da realidade, pois isso pode gerar desânimo e desistência. Se a meta não for realista, quem se deparar com ela pode logo pensar que não é possível, e acaba nem tentando. Mas isso não significa que elas não devem ser ousadas.

A melhor forma de definir algo atingível é olhar o histórico e ver o que já foi praticado dentro da sua empresa, no segmento e na região.

Relevantes

As metas devem ser realmente importantes para a empresa coletivamente. Quando as desdobramos para os diferentes níveis e cargos, precisamos que tudo leve ao mesmo lugar e contribua para o atingimento de uma meta ainda maior, respeitando sempre o escopo do trabalho.

Tempo definido

As metas da sua empresa podem, sim, ter prazos diferentes para o atingimento. É até bem interessante que você estipule algumas de curto e outras de longo prazo. As de curto prazo direcionam ações mais imediatas e tomadas de decisão instantâneas. As de longo prazo normalmente estão de acordo com um planejamento estratégico e devem ser resultado de metas menores. Mas todas devem ter o tempo definido.

Na meta que traçamos acima, veja como podemos definir tempo: o time de vendas deve aumentar o faturamento da empresa em 30% até o final de 2017.

Metas definidas, é hora de colocar em prática. O atingimento delas é importante, mas o caminho até lá é o que mais importa. Manter sua equipe motivada e correndo atrás do objetivo garante alta performance e muito mais foco.

Para ter certeza de que isso está sendo feito, é necessário acompanhar, avaliar e dar os feedbacks necessários. Veja aqui como dar e receber feedbacks sem constrangimento.

Gestão de pessoas: desenvolva bem seus profissionais

Manter um bom relacionamento entre funcionários e líderes de uma empresa é essencial para que qualquer negócio dê certo. Se preocupar com o capital humano, auxilia a desenvolver colaboradores mais motivados e engajados nos objetivos e metas da corporação.

Para que isso aconteça, é necessário ter atenção com cada membro da equipe, observar o quão capacitados estão para seus serviços e assim, poder oferecer feedbacks com elogios ou sugestões de melhoria. Veja a seguir, alguns pontos válidos de investimento para gerir as pessoas da sua equipe:

Preparação

É importante que o funcionário receba uma boa preparação desde sua entrada. Treinamentos sobre o cargo, o funcionamento da empresa, as metas a serem atingidas e como ele contribuirá com esses resultados são essenciais.

Disciplina

Seja organizado nas coisas da empresa e incentive seus colaboradores a serem também, crie esse clima. Negocie com cada funcionário os horários para cada tarefa de acordo com o tempo gasto para o trabalho e ele criará um hábito. Disciplina é essencial para um bom desenvolvimento.

Trabalho em equipe

Crie a cultura do trabalho em equipe na empresa desde o momento de decisões. Seja transparente com a empresa e cultive um ambiente favorável para sugestões e troca de ideias.

Valorização do esforço

Seja observador com o trabalho de sua equipe. Veja as qualidades e dificuldades de cada um para investir em soluções de incentivo e melhoria de dificuldades. Saiba também do tempo de cada um, para buscar meios de trabalhar a produtividade conciliando o ritmo da pessoa e o que a empresa precisa.

Elogio

Se as pessoas estão realizando um bom trabalho, é importante valorizá-lo! Assim, elas continuarão motivadas a crescer em seus segmentos e a alcançar sempre bons resultados.

A AIESEC qualifica jovens através da experiência profissional na própria organização e assim esses aspectos são valorizados, já que visamos transformar jovens através, principalmente, de atividades de liderança.

Clique AQUI para saber mais.

Quais as vantagens de ter um jovem talento da AIESEC na sua empresa?

A AIESEC é a maior organização mundial gerida por jovens reconhecida pela ONU e estamos presentes em cerca de 120 países e territórios. Nossos membros são jovens  que se preocupam em liderar um impacto positivo na sociedade em que vivemos, a partir da promoção da paz, igualdade, tolerância e bem-estar social.

Nesse sentido, desenvolvemos nos jovens as habilidades e o potencial de liderança através do aprendizado proativo, experiências voluntárias e intercâmbios. Todo ano, mais de 5 mil empresas em todo mundo confiam na AIESEC para prover estudantes e profissionais já graduados de alta qualidade.

Quem são os membros da AIESEC? 

Jovens de 18 a 30 anos, que tem o potencial de liderança. O perfil mais comum entre os candidatos da AIESEC são de pessoas com envolvimento em atividades extracurriculares interessantes e desafiadoras, bom desempenho na carreira acadêmica e comportamentos e habilidades como o trabalho em grupo, o foco em resultado, sentimento de dono, engajamento por causa e não só por remuneração, entre outros aspectos.

Dentro das experiências de intercâmbio, a AIESEC atua em conexão com talentos das universidades em todo o mundo, em uma rede com escritórios em diversos países. Assim, nosso papel é levar intercambistas qualificados que já passaram por uma avaliação de competências em seu país de origem, para trabalharem em outros países.

Leia mais: 8 motivos para ter um intercambista na sua empresa

Como minha empresa pode ter acesso a uma rede jovem qualificada?

Oferecemos a você algumas das pessoas mais brilhantes no mundo.

Se a sua empresa tem interesse em receber um intercambista da AIESEC, o primeiro passo é entrar em contato com nossa equipe para fazer parte do programa Talentos Globais. O Talentos Globais é um programa de intercâmbio que permite experiências profissionais significativas para uma rede global de jovens que querem fazer a diferença. A duração do programa varia de 3 a 18 meses e é focado em trazer talentos globais para dentro de empresas a fim de potencializar seus negócios.

A AIESEC irá atuar como uma facilitadora nesse processo através de uma plataforma que funciona como um banco de talentos com mais de  40 mil acessos por mês do mundo todo, permitimos que empresas se apresentem como empregadoras, disponibilizem suas vagas, recebam aplicações de candidatos internacionais. Aqui no Brasil, auxiliamos na triagem desses aplicantes, temos clareza de trâmites de imigração sob regime de estágio e equipes preparadas para recepcionar o candidato e o preparar para viver uma experiência de liderança.

É uma solução de negócios flexível e efetiva que pode ser escalonada com multinacionais, ou estruturar o crescimento de PMEs globalmente.

Experiência em selecionar os melhores para a sua empresa:

A AIESEC recruta gente jovem pra fazer trabalho relevante dentro de empresa. Acompanha essa experiência para garantir que o desenvolvimento durante o intercâmbio seja consciente e que esse candidato tenha noções básicas de competências de liderança.

Nos últimos 4 anos, o Brasil recebeu mais de 1000 estagiários internacionais através da AIESEC e a expectativa é que só entre julho de 2015 a junho de 2016 sejam feitos mais de 400 intercâmbios.

A seguir, você pode assistir no vídeo depoimentos de donos de empresas que receberam intercambistas da AIESEC e tiveram grandes experiências. E nossos intercambistas falam também sobre os ganhos com a iniciativa:

Se interessou? Nossa equipe está preparada para receber o seu contato e tirar todas as suas dúvidas. Cadastre-se aqui!

processo seletivo para jovens talentos

 

Quais perguntas fazer em uma entrevista de emprego?

A hora da entrevista de emprego é conhecida por ser uma das mais tensas do processo de contratação não só para os candidatos, mas também para o profissional de RH, que tem que estar atento a tudo que ocorre nesse dia. Para ajudar nessa etapa crucial do seu processo de seleção, reunimos hoje algumas dicas que trazem quais perguntas fazer em uma entrevista de emprego.

Dentro do planejamento de um processo seletivo, o profissional responsável e a empresa já definiram o perfil da vaga e filtraram os currículos recebidos até aqui. (Leia: Como organizar um bom processo seletivo). Por isso, é importante ter em mente que agora é o momento chave para conhecer cada candidato, tirar dúvidas de pontos do currículo e extrair informações e questões comportamentais importantes para a vaga.

Quem conduz uma seleção deve saber, de forma antecipada, quais serão as perguntas para a entrevista, preparando-se melhor para avaliar as qualidades e o nível de um candidato a uma vaga ou função específica. A seguir, reunimos 10 perguntas mais frequentes entre os recrutadores, e o que você deve procurar ficar atento em cada resposta para chegar ao seu objetivo.
1) Fale sobre você
Esta pergunta serve para quebrar o gelo e para ver como o candidato se comporta em situações menos estruturadas. É também uma das primeiras, mais comuns e recorrentes. Nesse momento você extrair do candidato, algo que o destaque. Estimule respostas que não sejam curtas e concisas.

2) Fale sobre seus objetivos profissionais.
Nessa pergunta, você deve se certificar que o candidato não mandou o currículo a toa, e que realmente deseja crescer na empresa e que tenha objetivos profissionais bem definidos que possa conquistar enquanto estiver trabalhando para você.

3) Você prefere trabalhar sozinho ou em equipe?
Com essa pergunta você consegue descobrir se o candidato tem perfil para trabalhar em equipe, sozinho, ou das duas formas e se ele se encaixa no que você busca no momento.

4) Como é que você lida com a pressão?
Através desse questionamento você pode entender mais sobre como o candidato trabalha e lida com situações adversas. Tente descobrir como ele lidará com trabalhos que envolvam uma carga maior de pressão ou estresse para resolver problemas.

5) Quais são suas aspirações salariais?
Com essa pergunta simples e importante, é possível definir se o candidato prossegue para a próxima etapa ou não. Nesse momento devem ser avaliados e levados em conta a flexibilidade de negociação e o orçamento possuído pela empresa destinado a adquirir um novo funcionário e se o mesmo pode atender às expectativas financeiras do candidato.

 6) Por que você quer trabalhar aqui?
Aqui é possível descobrir quais são as aspirações do candidato sobre a empresa e descobrir se o que ele tem a oferecer e o que busca é compatível com a vaga. É importante observar o que ele considera como competência, quais são seus objetivos e metas futuras, por exemplo.

7) Você tem alguma pergunta que gostaria de me fazer?
Lembre-se que, ao contrário do que muitos pensam, a entrevista de emprego é uma via de duas mãos. Seu candidato também precisa saber como é o trabalho, e se a empresa é certa para ele e suas aspirações. Essa é uma pergunta que pode te ajudar a separar o joio do trigo, já que é possível definir através dela, quem está realmente interessado na vaga.

8) Por que devemos contratá-lo e o que você acha que poderia contribuir para a nossa empresa?
Essa é uma das mais intrigantes de nossa lista de quais perguntas fazer em uma entrevista de emprego. Ela tem basicamente dois objetivos: o primeiro é saber se o quanto o candidato pesquisou sobre a empresa. Já o segundo é o quanto os valores apresentados por ele são compatíveis com os da organização. Além disse é possível descobrir no que o candidato é bom e como ele acha que pode trazer frutos e benefícios para a empresa.

9) Como você se imagina daqui a 5 ou 10 anos?
Aqui, o objetivo deve ser entender de que forma o candidato planeja a sua carreira – ou não – e se ele tem clareza sobre onde quer chegar e em quanto tempo. A ideia é observar se o profissional tem planos para a carreira ou se está pensando só no agora, para juntar dinheiro, por exemplo.

10) Quais são seus pontos fortes e fracos?
Nesta pergunta você deve checar se o recrutado em questão consegue fazer uma autoavaliação e também se os seus pontos (fracos ou forte) são compatíveis com a oportunidade em questão.

Conheça mais algumas perguntas estratégicas para entrevistas de emprego e realize contratações certeiras.

> De que forma este trabalho lhe ajuda a alcançar seus objetivos?
> Por que escolheu essa carreira?
> Qual foi a última vez em que se sentiu envergonhado? O que aconteceu e como lidou com a ocorrência?
> O que você considera mais importante em uma empresa?
> Que tipo de tarefa ou atividade mais lhe anima? De que forma você costuma se divertir?
> Que hábitos você julga que lhe fazem bem?
> Você é bom em pedir e aceitar a ajuda de outras pessoas?
> Que tipo de batalha interna mais lhe aflige no dia-a-dia?
> Que aspecto te apaixona no que você faz no seu trabalho?
> De que forma você procura ter equilíbrio na sua vida?
> Qual é o seu maior sonho?

A AIESEC pode ser uma parceira no seu processo seletivo. Encontramos pessoas preparadas que se encaixam perfeitamente no perfil da sua empresa e que se empenhem bastante em fazer o seu negócio crescer.

 

processo seletivo para jovens talentos

Como selecionar pessoas para sua empresa

Selecionar pessoas com boa qualificação e perfil compatível para trabalhar em uma determinada empresa não é tarefa nada fácil. Quando se trata da sua própria empresa, menos ainda.  Por isso, preparamos algumas dicas para você selecionar pessoas para a sua empresa.

Antes de qualquer coisa, é necessário ter em mente o ‘tipo de pessoa você está procurando’. Não basta selecionar profissionais que tenham as competências descritas para a vaga, é preciso achar potenciais candidatos que abracem a visão do fundador da empresa assim como ele. Por isso, é necessário deixar claro a visão da sua empresa, ou seja, a razão pela qual ela existe, seus valores e o que ela pretende alcançar.

1) Invista em um processo seletivo eficiente

Crie um processo seletivo bem elaborado capaz de avaliar todas as competências e habilidades que você procura em um candidato. Para isso, o empreendedor não deve contratar pessoas com quem simpatize em um primeiro contato ou que ache que pode trazer bons resultados. É preciso determinar quais são as habilidades exigidas desse futuro profissional e analisar se esse candidato será capaz de agregar valor e se adequar à cultura da empresa.

2) Contrate pessoas, não habilidades.

Pode parecer a melhor opção contratar pessoas especificamente habilitadas para preencher determinado cargo em uma empresa. Mas contratar alguém apenas por suas habilidades pode desequilibrar a empresa quando as competências exigidas inicialmente não forem mais desejadas ou primordiais.

3) Use a internet para procurar o perfil desejado

Para chegar a bons resultados saiba divulgar sua marca e suas ideias. Assim você atrairá pessoas com interesses semelhantes. Entre em grupos de interesse no LinkedIn e no Facebook, e aproveite para descobrir novas pessoas. Também é útil perguntar se amigos e colegas conhecem alguém que se interesse pelas oportunidades de trabalho que você vai oferecer.

4) Realize diversas entrevistas

Conversar várias vezes com os candidatos faz com que o empreendedor conheça cada vez mais esse profissional e não tenha surpresas no futuro.

5) Faça um teste antes de contratar

Se possível, faça primeiro um contrato temporário e apenas após a integração do funcionário com o restante da equipe, ofereça a vaga. Pode parecer perda de tempo, mas essa é uma atitude que pode ser determinante para que sua decisão realmente valha a pena.

6) Contrate pessoas com a personalidade que você deseja

Observe o perfil dos profissionais que concorrem ao cargo e analise a personalidade de cada candidato. Encontrar pessoas com os valores que você deseja pode ajudar a montar uma equipe que compartilhe os mesmos conceitos, o que é fundamental para atingir o sucesso empresarial.

7) Procure por alguém que irá se adaptar à sua empresa

Startups passam por muitos momentos com altos e baixos, e pode ser difícil trabalhar com quem não está integrado ao clima e ao ambiente da empresa. Não importam as qualidades técnicas de um profissional talentoso se ele não se dá bem com o time. O ideal é um grupo diversificado, coeso e unido.

Você também tem alguma dica na hora de selecionar? Compartilhe nos comentários!

processo seletivo para jovens talentos