Quais perguntas fazer em uma entrevista de emprego?

A hora da entrevista de emprego é conhecida por ser uma das mais tensas do processo de contratação não só para os candidatos, mas também para o profissional de RH, que tem que estar atento a tudo que ocorre nesse dia. Para ajudar nessa etapa crucial do seu processo de seleção, reunimos hoje algumas dicas que trazem quais perguntas fazer em uma entrevista de emprego.

Dentro do planejamento de um processo seletivo, o profissional responsável e a empresa já definiram o perfil da vaga e filtraram os currículos recebidos até aqui. (Leia: Como organizar um bom processo seletivo). Por isso, é importante ter em mente que agora é o momento chave para conhecer cada candidato, tirar dúvidas de pontos do currículo e extrair informações e questões comportamentais importantes para a vaga.

Quem conduz uma seleção deve saber, de forma antecipada, quais serão as perguntas para a entrevista, preparando-se melhor para avaliar as qualidades e o nível de um candidato a uma vaga ou função específica. A seguir, reunimos 10 perguntas mais frequentes entre os recrutadores, e o que você deve procurar ficar atento em cada resposta para chegar ao seu objetivo.
1) Fale sobre você
Esta pergunta serve para quebrar o gelo e para ver como o candidato se comporta em situações menos estruturadas. É também uma das primeiras, mais comuns e recorrentes. Nesse momento você extrair do candidato, algo que o destaque. Estimule respostas que não sejam curtas e concisas.

2) Fale sobre seus objetivos profissionais.
Nessa pergunta, você deve se certificar que o candidato não mandou o currículo a toa, e que realmente deseja crescer na empresa e que tenha objetivos profissionais bem definidos que possa conquistar enquanto estiver trabalhando para você.

3) Você prefere trabalhar sozinho ou em equipe?
Com essa pergunta você consegue descobrir se o candidato tem perfil para trabalhar em equipe, sozinho, ou das duas formas e se ele se encaixa no que você busca no momento.

4) Como é que você lida com a pressão?
Através desse questionamento você pode entender mais sobre como o candidato trabalha e lida com situações adversas. Tente descobrir como ele lidará com trabalhos que envolvam uma carga maior de pressão ou estresse para resolver problemas.

5) Quais são suas aspirações salariais?
Com essa pergunta simples e importante, é possível definir se o candidato prossegue para a próxima etapa ou não. Nesse momento devem ser avaliados e levados em conta a flexibilidade de negociação e o orçamento possuído pela empresa destinado a adquirir um novo funcionário e se o mesmo pode atender às expectativas financeiras do candidato.

 6) Por que você quer trabalhar aqui?
Aqui é possível descobrir quais são as aspirações do candidato sobre a empresa e descobrir se o que ele tem a oferecer e o que busca é compatível com a vaga. É importante observar o que ele considera como competência, quais são seus objetivos e metas futuras, por exemplo.

7) Você tem alguma pergunta que gostaria de me fazer?
Lembre-se que, ao contrário do que muitos pensam, a entrevista de emprego é uma via de duas mãos. Seu candidato também precisa saber como é o trabalho, e se a empresa é certa para ele e suas aspirações. Essa é uma pergunta que pode te ajudar a separar o joio do trigo, já que é possível definir através dela, quem está realmente interessado na vaga.

8) Por que devemos contratá-lo e o que você acha que poderia contribuir para a nossa empresa?
Essa é uma das mais intrigantes de nossa lista de quais perguntas fazer em uma entrevista de emprego. Ela tem basicamente dois objetivos: o primeiro é saber se o quanto o candidato pesquisou sobre a empresa. Já o segundo é o quanto os valores apresentados por ele são compatíveis com os da organização. Além disse é possível descobrir no que o candidato é bom e como ele acha que pode trazer frutos e benefícios para a empresa.

9) Como você se imagina daqui a 5 ou 10 anos?
Aqui, o objetivo deve ser entender de que forma o candidato planeja a sua carreira – ou não – e se ele tem clareza sobre onde quer chegar e em quanto tempo. A ideia é observar se o profissional tem planos para a carreira ou se está pensando só no agora, para juntar dinheiro, por exemplo.

10) Quais são seus pontos fortes e fracos?
Nesta pergunta você deve checar se o recrutado em questão consegue fazer uma autoavaliação e também se os seus pontos (fracos ou forte) são compatíveis com a oportunidade em questão.

Conheça mais algumas perguntas estratégicas para entrevistas de emprego e realize contratações certeiras.

> De que forma este trabalho lhe ajuda a alcançar seus objetivos?
> Por que escolheu essa carreira?
> Qual foi a última vez em que se sentiu envergonhado? O que aconteceu e como lidou com a ocorrência?
> O que você considera mais importante em uma empresa?
> Que tipo de tarefa ou atividade mais lhe anima? De que forma você costuma se divertir?
> Que hábitos você julga que lhe fazem bem?
> Você é bom em pedir e aceitar a ajuda de outras pessoas?
> Que tipo de batalha interna mais lhe aflige no dia-a-dia?
> Que aspecto te apaixona no que você faz no seu trabalho?
> De que forma você procura ter equilíbrio na sua vida?
> Qual é o seu maior sonho?

A AIESEC pode ser uma parceira no seu processo seletivo. Encontramos pessoas preparadas que se encaixam perfeitamente no perfil da sua empresa e que se empenhem bastante em fazer o seu negócio crescer.

 

processo seletivo para jovens talentos

Como selecionar pessoas para sua empresa

Selecionar pessoas com boa qualificação e perfil compatível para trabalhar em uma determinada empresa não é tarefa nada fácil. Quando se trata da sua própria empresa, menos ainda.  Por isso, preparamos algumas dicas para você selecionar pessoas para a sua empresa.

Antes de qualquer coisa, é necessário ter em mente o ‘tipo de pessoa você está procurando’. Não basta selecionar profissionais que tenham as competências descritas para a vaga, é preciso achar potenciais candidatos que abracem a visão do fundador da empresa assim como ele. Por isso, é necessário deixar claro a visão da sua empresa, ou seja, a razão pela qual ela existe, seus valores e o que ela pretende alcançar.

1) Invista em um processo seletivo eficiente

Crie um processo seletivo bem elaborado capaz de avaliar todas as competências e habilidades que você procura em um candidato. Para isso, o empreendedor não deve contratar pessoas com quem simpatize em um primeiro contato ou que ache que pode trazer bons resultados. É preciso determinar quais são as habilidades exigidas desse futuro profissional e analisar se esse candidato será capaz de agregar valor e se adequar à cultura da empresa.

2) Contrate pessoas, não habilidades.

Pode parecer a melhor opção contratar pessoas especificamente habilitadas para preencher determinado cargo em uma empresa. Mas contratar alguém apenas por suas habilidades pode desequilibrar a empresa quando as competências exigidas inicialmente não forem mais desejadas ou primordiais.

3) Use a internet para procurar o perfil desejado

Para chegar a bons resultados saiba divulgar sua marca e suas ideias. Assim você atrairá pessoas com interesses semelhantes. Entre em grupos de interesse no LinkedIn e no Facebook, e aproveite para descobrir novas pessoas. Também é útil perguntar se amigos e colegas conhecem alguém que se interesse pelas oportunidades de trabalho que você vai oferecer.

4) Realize diversas entrevistas

Conversar várias vezes com os candidatos faz com que o empreendedor conheça cada vez mais esse profissional e não tenha surpresas no futuro.

5) Faça um teste antes de contratar

Se possível, faça primeiro um contrato temporário e apenas após a integração do funcionário com o restante da equipe, ofereça a vaga. Pode parecer perda de tempo, mas essa é uma atitude que pode ser determinante para que sua decisão realmente valha a pena.

6) Contrate pessoas com a personalidade que você deseja

Observe o perfil dos profissionais que concorrem ao cargo e analise a personalidade de cada candidato. Encontrar pessoas com os valores que você deseja pode ajudar a montar uma equipe que compartilhe os mesmos conceitos, o que é fundamental para atingir o sucesso empresarial.

7) Procure por alguém que irá se adaptar à sua empresa

Startups passam por muitos momentos com altos e baixos, e pode ser difícil trabalhar com quem não está integrado ao clima e ao ambiente da empresa. Não importam as qualidades técnicas de um profissional talentoso se ele não se dá bem com o time. O ideal é um grupo diversificado, coeso e unido.

Você também tem alguma dica na hora de selecionar? Compartilhe nos comentários!

processo seletivo para jovens talentos

AIESEC é uma recrutadora internacional

Quando a AIESEC ainda na sua fundação se propôs a trabalhar com o público jovem, tomou também a decisão de trabalhar com aqueles que estivessem vivendo uma experiência universitária. Essa escolha determinou seu modelo de negócio – a presença física dentro das universidades se tornou cada vez mais necessária não só para tornar a organização mais presente, mas também para alcançar quantitativamente mais jovens.

A universidade é entendida como o ambiente propício para o desenvolvimento humano e profissional, seja pelo pensamento crítico adquirido, pelas experiências vividas dentro e fora da sala de aula, pela comunidade acadêmica criada e pela tendência de um corpo discente diversificado combinados com a predisposição do jovem a apreender e se engajar.

Atualmente, mais do que o cumprimento das horas e notas mínimas em uma disciplina, a universidade também propicia atividades extracurriculares de caráter acadêmico ou não, permitindo em seu ambiente a manifestação de comunidades e organizações – que são alimentadas pela energia do universitário. Esse ambiente não poderia ser ignorado pelo modelo de negócio da AIESEC. Estar presente em mais de 120 países exige que estejamos no mínimo em 120 universidades diferentes. Se em cada país podemos ter um escritório da AIESEC em cidades diferentes, nosso alcance se torna cada vez maior:

  •  na Colômbia temos mais de 30 escritórios;
  •  na Alemanha mais de 40;
  •  no Egito em torno de 19;
  •  na Índia 28;
  •  na Turquia 14;
  •  na Argentina 17;
  •  no Peru 17;
  •  no México 29;
  •  na Ucrânia mais de 20;
  •  na Rússia mais de 25;

e assim por diante.

Ao conectar seu modelo de negócio com o jovem universitário, a AIESEC a universidade passa ocupar espaço não só como key-partner ou channel, mas também como supplier de talentos de uma rede de global. A atuação da AIESEC através da articulação desse rede, abre leque para uma série de novas oportunidades de negócio. Hoje, as empresas têm claro que a permeabilidade em universidades, o contato com os jovens para programas de estágio, intercâmbio, investimentos em projetos, etc. são atividades estratégicas permanentes para a garantia de talento humano de qualidade e de sua retenção. Da mesma forma, os jovens universitários hoje sabem que a busca do desenvolvimento pessoal vai além da sala de aula e a busca por oportunidades de intercâmbio se configura como uma das principais formas desses jovens adquirirem a primeira experiência profissional e a AIESEC surge como essa plataforma de desenvolvimento buscada, sendo reconhecida cada vez mais como escola de liderança.

Mas não é qualquer jovem aquele que quer viver um intercâmbio de trabalho para o desenvolvimento de liderança. O perfil mais comum entre os candidatos da AIESEC é de gente que teve uma boa carreira acadêmica, mas principalmente se envolveu com atividades fora da sala de aula; gente que tem a cabeça aberta para o mundo em termos gerais, com comportamentos e soft skills muito desejadas – trabalho em grupo, foco em resultado, sentimento de dono, engajamento por causa e não só por remuneração, etc. E foi graças à conexão da AIESEC a universidades no globo todo que nos permitiu criar uma rede de jovens prontos para viver uma experiência de intercâmbio. Em seus países de origens, são recebidos pela AIESEC local, passam por uma avaliação baseada em comportamento e competência para aplicação das vagas. E dessa forma, qualquer empresa, em qualquer país em que a AIESEC é presente é passível de recrutar esse jovem.

Na posição de facilitadora, a AIESEC faz recrutamento internacional sim. Em uma plataforma que a rede que tem mais de 40 mil acessos por mês do mundo todo, permitimos que empresas se apresentem como empregadoras, disponibilizem suas vagas, recebam aplicações de candidatos internacionais. Aqui no Brasil, auxiliamos na triagem desses aplicantes, temos clareza de trâmites de imigração sob regime de estágio e equipes preparadas para recepcionar o candidato e o preparar para viver uma experiência de liderança.

A AIESEC recruta gente jovem pra fazer trabalho relevante dentro de empresa. Acompanha essa experiência para garantir que o desenvolvimento durante o intercâmbio seja consciente e que esse candidato tenha noções básicas de competências de liderança. A seleção de talentos internacionais para empresas foi uma escolha que veio com a rede de jovens ligados a universidades. E é através dela que a AIESEC vem impactando cada vez mais o segundo setor. Nos últimos 4 anos, o Brasil recebeu mais de 1000 estagiários internacionais através da AIESEC e a expectativa é que só entre julho de 2015 a junho de 2016 sejam feitos mais de 400 intercâmbios. E essa é só uma das formas que temos para continuar o desenvolvimento de liderança na juventude.

processo seletivo para jovens talentos