Estágio ou trainee: o que é melhor para minha empresa?

Em um cenário cada dia mais competitivo, é extremamente vantajoso para uma empresa poder contar com os benefícios proporcionados pela contratação de jovens profissionais. Dessa afirmação, surge uma dúvida comum: é melhor contratar pela modalidade de estágio ou trainee?

Apesar de serem dois tipos distintos de admissão, ainda existem muitas incertezas na hora de apontar as diferenças e semelhanças entre estágio e trainee.

Trata-se de uma questão pertinente, afinal, ambas são oportunidades oferecidas a jovens universitários (ou recém-formados, no caso de trainees) e não requerem experiência profissional. Neste post, esclareceremos as diferenças entre eles, a fim de auxiliar na decisão do que é melhor para cada caso. Vamos a elas!

Formação

Em ambos os programas, estágio ou trainee, universitários podem ser admitidos.

De acordo com a lei que regulamenta a contratação por estágio (Lei 11.788/08), o estudante precisa estar com o curso em andamento durante sua permanência na empresa como estagiário. Portanto, não se pode contratar um estagiário que esteja com o curso “trancado” ou afastado da faculdade.

No caso de estudantes estrangeiros, a contratação como estagiário pode ser normalmente realizada, desde que o universitário esteja estudando no Brasil.

Com relação aos trainees, não existem leis específicas para o programa. Normalmente, as organizações contratam recém-formados (preferencialmente há menos de dois anos) ou concluindo o curso.

Vínculo

Segundo a lei que regulamenta o estágio, não há vínculo empregatício nesse tipo de contratação. Além disso, o programa pode ter duração de no máximo dois anos ― e pode ser rompido por ambas partes a qualquer momento.

Já os trainees são considerados empregados regulares e têm os mesmos direitos e obrigações que qualquer colaborador da empresa, de acordo com a CLT.

Aos estagiários, são garantidos os seguintes benefícios: salário, auxílio para o transporte, férias e seguro contra acidentes pessoais. Em caso de estágio obrigatório, a remuneração e a ajuda para transporte são opcionais.

Treinamento

Enquanto o estágio é um complemento prático ao que o universitário está aprendendo em seu curso, o programa de trainee é visto como uma preparação do jovem colaborador à ascensão profissional dentro da empresa.

Desta maneira, o trainee normalmente circula por vários setores da empresa, aprendendo um pouco sobre cada departamento e seus processos. Esse procedimento é chamado de job rotation.

Já o estagiário deve obrigatoriamente desempenhar funções ligadas diretamente ao curso de sua formação, aprendendo o cotidiano e a prática da profissão.

Carga horária

Estagiários podem ter jornadas de 4 a 6 horas diárias, com o máximo de 30 horas semanais. Esse limite pode ser estendido até 40 horas semanais, no caso de cursos que alternem o ensino teórico e o prático, em períodos sem aulas presenciais.

O colaborador em programa de trainee pode ter jornada integral (8 horas), possibilitando o uso de horas extras normalmente.

Estágio ou Trainee

Por um lado, a opção de trainee é bastante útil para empresas que precisam angariar novos líderes e jovens para ocupar posições de gerência. Por outro lado, a oferta de estágio é muito benéfica para uma empresa que deseja integrar o seu time com jovens que tragam inovações e diferentes perspectivas.

A presença de um estagiário pode resultar em aprendizado para toda a equipe. As vantagens desse tipo de admissão se tornam ainda mais evidentes com a contratação de pessoas de diferentes culturas, como intercambistas.

Gostou deste post? Ajudou a elucidar suas dúvidas sobre estágio ou trainee? Então continue lendo e se aprimorando no assunto: confira este post sobre as vantagens de contratar um estagiário estrangeiro!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *