Internacionalização da empresa: como o processo impacta o RH?

A internacionalização é uma estratégia que vem sendo adotada por diversas empresas como uma saída para não depender tanto da demanda do mercado interno e também para potencializar suas vendas e seus conhecimentos no setor ao qual está inserido.

Dentre as estratégias de internacionalização mais adotadas pelas organizações, podemos citar a exportação de seus produtos, a criação de uma filial da empresa em outro país, ou ainda, a contratação de colaboradores estrangeiros, que trazem consigo um know-how interessante, enriquecendo culturalmente e profissionalmente o negócio.

É claro que antes da internacionalização de uma empresa, deve haver um amplo processo de planejamento, e é a partir dele que os gestores vão decidir qual estratégia utilizar e se ela realmente é viável e benéfica para o seu mercado de atuação.

Aqui, podemos citar algumas das vantagens normalmente obtidas pelos processos de internacionalização, como: não depender apenas das demandas sazonais do próprio país, aumento da qualidade do produto, devido aos altos padrões de qualidade de importação dos países de destino, diminuição dos tributos e a expertise de profissionais que atuam em outros mercados.

Entretanto, o processo de internacionalização traz muitas novidades para o cenário da empresa, por meio de diferentes culturas e backgrounds.

Por isso, o RH da companhia precisa estar preparado para lidar com todas essas mudanças e incentivar o aprendizado entre todos os seus colaboradores. Confira algumas dicas!

Informe-se sobre a nova cultura

Ao contratar um profissional vindo de outro país, saiba que não é apenas ele que deve se preocupar em conhecer e entender as diferenças culturais entre o seu país e o país no qual virá trabalhar.

Seus novos gestores também devem se preparar para recebê-lo e fazer o possível para que o choque cultural seja minimizado e o colaborador sinta-se à vontade em seu novo ambiente de trabalho.

Com certeza, a pessoa que vem de outro país enfrentará certas dificuldades até se adaptar completamente a essa nova cultura, e isso faz parte do seu aprendizado e do seu crescimento tanto profissional quanto pessoal.

Porém, o que os gestores e colegas puderem fazer para que ele sinta que é bem-vindo ao local de trabalho, vai fazer toda a diferença.

Por esse motivo, antes da chegada do novo profissional, estude bastante a sua cultura e seus hábitos, faça perguntas a ele e, principalmente, conheça as diferenças com relação ao funcionamento das leis trabalhistas e fiscalização das atividades exercidas em seu país de origem.

Também é importante lembrar que a parte burocrática como o visto de trabalho e a confecção do contrato devem estar de acordo com todas as leis e normas que regem os direitos dos estrangeiros em nosso país.

Tudo isso vai auxiliar, e muito, na hora de criar as políticas e procedimentos específicos para o exercício das atividades em outro país, ou na hora de adaptá-los e explicar melhor como funcionam os processos aqui, para os colaboradores que vem de fora.

Construa um time

Se no processo de internacionalização da sua empresa a criação de uma filial em outro país seja uma das estratégias, você primeiro deve tomar muito cuidado com a criação do RH local, já que mesmo que a organização esteja inserida em outra cultura, sua missão, visão e valores devem ser mantidos.

Por isso, leve profissionais daqui para realizarem treinamentos efetivos, não apenas sobre o trabalho e as funções em si, mas também sobre toda a cultura organizacional da empresa.

Provavelmente, as diferenças culturais que incluem a legislação farão com que algumas regras sejam distintas em cada país, mas a essência da companhia será a mesma e ela deve ser preservada.

Tanto nos casos de criar equipes em outro país ou trazer profissionais estrangeiros para trabalhar aqui, a construção de um time é muito importante.

Separe um dia no qual toda a equipe responsável por um projeto ou por um setor possa construir a sua própria identidade, levando em consideração as metas e os objetivos deste setor.

Esse deve ser um momento no qual o líder vai conhecer melhor cada membro de sua equipe, inclusive os estrangeiros, e vice-versa, criando laços fortes entre eles e um sentimento mútuo de confiança e pertencimento.

Deixe bem claro que eles são parte de um time em que podem dar sua opinião e trabalhar juntos para a conquista de um objetivo em comum, sendo cada um uma parte fundamental para o desenvolvimento do trabalho.

Promova a integração da equipe

Trabalhar com pessoas de outra cultura pode ser bem difícil no início, e garantir que essa integração aconteça da melhor maneira possível, garantindo o conforto e a produtividade do profissional, também é uma responsabilidade do setor de RH.

Muitas vezes, o funcionário pode ter um líder imediato, mas ele também pode enfrentar dificuldades em lidar com essa situação. Sendo assim, fica a cargo do RH, supervisionar essa relação e sanar as possíveis dúvidas e dificuldades que possam surgir, principalmente durante o período de adaptação.

Criar um calendário separando alguns horários para ter conversas individuais com os líderes e com os estrangeiros é muito importante durante todo o processo. Nessas reuniões, podem ser perguntadas quais as principais dificuldades e colhidos feedbacks que devem ser utilizados estrategicamente para a melhoria dos processos e relacionamentos.

Incentivar o trabalho colaborativo entre todos os membros do time também é fundamental para que os resultados da empresa sejam potencializados.

É comum que os outros colaboradores fiquem mais motivados e engajados com a chegada de um profissional de outro país, e a empresa deve saber usar essa motivação a seu favor.

Se possível, incentive o aprendizado de um novo idioma, firmando parcerias com escolas de idiomas, que oferecem descontos para alunos corporativos, ou se a realidade financeira da empresa permitir, invista nisso!

Padronize os sistemas

Trabalhar com um sistema padrão e unificado, em todas as filiais da organização é um dos pontos-chave para evitar as falhas de comunicação e a perda de informações durante o processo.

Isso já é algo fundamental em qualquer empresa, independente do seu tamanho, mas se torna ainda mais indispensável quando falamos de filiais que atuam em outro países.

Procure escolher um software completo e que atenda todas as demandas e necessidades de todos, ou quase todos, os setores da companhia. Ter todas as informações e banco de dados com fácil acesso, independente do local do escritório, vai facilitar bastante a globalização do seu negócio.

Está pensando em adotar uma estratégia de internacionalização na sua organização e contratar estrangeiros para fazerem parte da sua equipe? Baixe o nosso e-book com dicas valiosas para a contratação de estrangeiros!

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *